“As épocas de maior crise para a doação de sangue são Carnaval, inverno e final de ano”. É com esta afirmação, que o técnico de Enfermagem do Hospital São Francisco de Assis, Aislan José Silva Lino convoca doadores para a Agência Transfusional, o chamado Banco de Sangue de Três Pontas.

A demanda de transfusões de sangue aumenta e o estoque praticamente zerado, o que é comum nesta época do ano, faz com que o Hemoninas e os bancos de sangue façam campanha para sensibilizar doados, já que os estoques estão abaixo do esperado.

E qualquer tipo sanguíneo é bem vindo, orienta Aislan, que explica que uma única doação é capaz de ajudar quatro vidas. O sangue é um recurso importante tanto para tratamentos planejados como para intervenções urgentes. Ele ajuda pacientes que sofrem de doenças crônicas graves, como a doença falciforme e a talassemia, além de servir de apoio para procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. O sangue também é vital para tratar feridos em emergências.

E não há outra constatação. O frio espanta os doadores, que precisam sair de Três Pontas as 6 horas da manhã para Poços de Caldas onde é feita a coleta. O transporte é fornecido pela Prefeitura e a alimentação paga pelo Hospital.

“Convidamos a comunidade trespontana e todos que podem doar. Aqueles que já doaram e aqueles que ainda nunca doaram e atendam os requisitos para nos ajudar”, solicita Aislan.

Em setembro do ano passado, o Banco de Sangue esteve com seu estoque perto do zero e as pessoas internadas na Santa Casa que precisavam de transfusão já não estavam conseguindo ser atendidas de forma adequada. Chegou até a ser anunciado que se as pessoas não se conscientizarem da necessidade de doarem, cirurgias poderiam ser adiadas, mas felizmente isto não ocorreu.

O que é preciso para doar sangue

O perfil dos doadores de sangue se mantém estável no país ao longo dos últimos anos. Do total de doadores, 60% são do sexo masculino e 40% do sexo feminino. O maior percentual está na faixa etária a partir dos 29 anos, com 58% do total dos doadores, enquanto as pessoas de 16 a 29 anos representam 42%.

Quem pode doar

No Brasil, pessoas entre 16 e 69 anos podem doar sangue. Para os menores de 18 anos é necessário o consentimento dos responsáveis e, entre 60 e 69 anos, a pessoa só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos. Além disso, é preciso pesar, no mínimo, 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O candidato deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e não estar de jejum. No dia da doação, é preciso levar documento de identidade com foto.

A frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.

Além disso, é essencial estar bem de saúde, não ter pressão alta, diabetes, ter tido hepatite após os 11 anos de idade, fazer o uso de medicamentos controlados e estar usando alguns hipertensivos para pressão alta. Neste último caso, depende de uma avaliação médica que é feita no próprio Hemominas.

Não podem doar provisoriamente durante um ano – quem fez tatuagem, colocou piercing, fez cirurgia, ou algum tratamento dentário, se estiver resfriado ou tomou alguma vacina.

Quem deseja ajudar, deve entrar e contato pelos telefones 3265-9700, 3265-9749, 3265-9716 ou ir diretamente ao Hospital para ter mais informações e esclarecimentos.

COMPARTILHAR

Comentários