*TAC pagou caro pelos erros de pontaria de Kojak e foi derrotado por 3 a 1

Eles pareciam que sabiam que iriam virar o jogo, recuperar o resultado ruim que conseguiram dentro de casa, na semana passada, quando empataram com Alfenas em 1 a 1, no Estádio do América.

Na partida da volta no Estádio Municipal Ítalo Tomagnini neste domingo (19), eles trouxeram na bagagem cerveja para a festa. A bebida só seria servida, se eles é claro, conseguissem repetir o feito de 2014, bater o TAC com vitória dentro de sua própria casa e garantir consequentemente a vaga à final da Copa Sul Mineira de Futebol Amador. Empate daria o passaporte a Três Pontas.

E não deu outra. A comemoração foi do Chapadão. Do começo ao fim. No fim do primeiro tempo quando os alfenenses empataram em 1 a 1 e no apito final que demorou para soar 3 a 1 para os visitantes.

O Leão amarelou diante do Chapadão
O Leão amarelou diante do Chapadão

A partida

O TAC começou diferente, uma alteração apenas. A saída de Rafa da Cohab que deu lugar a Buiu. Entre Rafa que sentiu um dos joelhos na semana passada e Buiu que estava contundido, o técnico Luciano Arara preferiu o segundo e até certo ponto acertou. O primeiro tempo foi do TAC. O time teve a maior posse de bola, as melhores chances, a maioria delas desperdiçadas por Kojak em uma tarde inspirada de Gabriel “Porquinho” que está na expectativa de se apresentar no Atlético Mineiro. Em 2011 ele fez um teste em Belo Horizonte, não foi aprovado e agora foi chamado.

O gol foi dele, que saiu de uma jogada de Regi que cruzou para Porquinho marcar e deixar o TAC na frente – 1 a 0. Depois disso, Kojak chegou muitas vezes na cara do gol. E não é apenas um ditado popular, é a realidade no futebol, quem não faz leva. Na última volta do relógio do primeiro tempo, com um cruzamento na área, o experiente atacante Flávio Torres deixou tudo igual.

No intervalo, as cobranças foram para todo o grupo, especialmente a Kojak, mas o time que terminou a primeira etapa voltou sem alteração, o mesmo acontecendo com o Chapadão.

Luiz Fernando logo aos 3 minutos, de falta chutou direto no canto das redes e abriu a virada chapadense. A partir daí, foi jogo de um time só. O TAC jogou na defesa, não acertava nada. Kojak que fez muito no primeiro tempo caiu bruscamente de produção. Até nas cobranças de falta que geralmente Regi cobra, quando o artilheiro ia cobrar batia na barreira ou isolava. Luciano Arara demorou a mexer. Algumas mudanças que fez foram questionadas. Colocou em campo um time ofensivo, prá cima, mas que não deu um resultado esperado. Resumindo não era o dia do leão, ele não rugiu, apesar da vibração e torcida que vinha das arquibancadas. Um bom número de torcedores com a batucada compareceram no Municipal.

Na dele, o Chapadão começou um cai-cai, a chutar bola para fora do estádio e a encenar cinematograficamente faltas simples, mas que não resultaram em nenhum cartão. O árbitro Antônio Tarcísio Gomes Silva deve os ter deixado em casa porque ele não colocou a mão no bolso. Aliás, Buiu do TAC reclamou quando um jogador de Alfenas ameaçou a arbitragem de que se não marcasse saberia que eles iriam pegá-lo, apontando para alguns torcedores de fora que assistiam a decisão à vaga.

Mas voltando ao jogo. A pressão continuou durante todo o tempo e os trespontanos se tornaram figurantes. As mudanças no TAC foram promovidas. Vieram Rafinha, Guilherme e Leozinho e nada de gol. E de novo no fim, Flávio Torres marcou e ampliou. Aos 51 minutos da etapa final, quando os próprios jogadores de Alfenas pediam o fim da partida, ele decretou a classificação de virada – Chapadão 3 x 1 TAC. Foi com este resultado que em 2014, Alfenas venceu São João Del Rey e conquistou o título inédito.

A partida foi de Porquinho (primeiro a esquerda), mas não foi o dia do TAC

A decisão a final teve um público pagante de 398 torcedores e 500 no Estádio, o que proporcionou uma renda de R$1.990,00.

Na outra decisão deu de novo o Campomeiense, de Campo do Meio que derrubou Alterosa. O time tinha vencido o primeiro jogo por 1 a 0, perdeu no tempo normal por 2 a 1 mas na prorrogação ganhou por 1 a 0.

FICHA DO JOGO

Três Pontas Atlético Clube 01 x 03 A.C.E.R. Chapadão

Em Três Pontas – Estádio Ítalo Tomagnini
Arbitro – Antônio Tarcisio Gomes da Silva
Auxiliar 01 – Geberson Fernando Moura
Auxiliar 02 – Mauro Gabriel
Representante – Vander Luis Almeida
Delegado – José Abel Bernardes Bueno

Gols – TAC – Gabriel Reis
Chapadão – Flavio Torres (2) e Luiz Fernando

Público pagante – 398 torcedores
Público presente –500 torcedores
Renda – R$ 1.990,00

SAMSUNG CAMERA PICTURES
TRÊS PONTAS ATLÉTICO CLUBE
CHAPADÃO DE ALFENAS

Em Campo do Meio – Estádio Antônio José de Moraes
Clube Recreativo Campomeiense 01 x 02 Alterosa Futebol Clube
Prorrogação: Campomeiense 01 x 00
Árbitro – Rodelci Francisco da Silva
Auxiliar 01 – Ilton Augusto da Silva
Auxiliar 02 – Lázaro de Carvalho
Representante – Jaderson de Souza
Delegado – Renan de Souza
Fiscal – Gilberto Antônio Cardoso Junqueira
Gols – Campomeiense – Leandro da Silva
Alterosa – Cristian Vitor e Luiz Claudio (contra)
Gol prorrogação – Pierre Assis

Decisão começa no próximo domingo

A primeira partida da decisão da Copa Sul Mineira de Futebol acontece no próximo domingo (26) em Alfenas e a segunda dia 02 de agosto na cidade de Campo do Meio. Ambas as equipes tem uma torcida bastante ativa e participativa, por isto, nas duas cidades, um grande reforço policial será inevitável.

O Clube Recreativo Campomeiense conquistou até agora 29 pontos com 09 vitórias. Uma a mais que o
Chapadão que tem a mesma pontuação, mas uma vitória a menos.

COMPARTILHAR

Comentários