A Câmara tem alguns problemas, que passam de gestão em gestão. Entra presidente sai presidente e, a questão da transmissão das sessões ordinárias da Câmara é sempre uma dúvida. Ninguém sabe se vai ter imagem e som. Nesta segunda-feira (04), quando a reunião ordinária foi presidida pelo vice presidente Geraldo Messias Cabral (PDT), havia apenas imagens, mas só quem é capaz de fazer leitura labial poderia acompanhar. A Assessoria de Imprensa da Câmara informou que as imagens não deveriam estar nem sendo transmitidas, por problemas técnicos. Na era da tecnologia, é inadmissível que quem esteja em casa não possa acompanhar as reuniões ao vivo. A filmagem foi feita apenas para arquivo.

A reunião não foi presidida por Luis Carlos da Silva que está com licença médica, restou então a Geraldo sentar na cadeira maior do Legislativo.

O Pequeno Expediente teve poucos inscritos e assuntos relevantes. O vereador José Henrique Portugal (PMDB) era só felicidade, por conta do comunicado que a Câmara recebeu de que as contas do seu mandato em 2009 a 2010 como presidente do Legislativo. Externando sua satisfação com servidores, sobretudo do Controle Interno, Portugal afirmou que não é fácil cumprir toda exigência formal, conseguindo assim a aprovação do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG).

Valéria Evangelista Oliveira (PPS) aproveitou seu tempo, para convidar a todos, especialmente as mães para a apresentação da Orquestra de Bombeiros Instrumental Show BIOS. Será as 19:30 do próximo sábado, dia 09. A publicidade feita pela Administração é de que ele faz parte das comemorações do Dia das Mães.

COMPARTILHAR

Comentários