Momento em que Antônio Almeida foi preso na porta de casa

*Rapaz disse que sentia bem ao abusar dos garotos, sabia que era um crime, mas aquilo se tornou necessário a ele

A Polícia Civil de Três Pontas prendeu na tarde desta quarta-feira (03), um rapaz de 36 anos suspeito de pedofilia, no bairro Catumbi.

Policiais civis cumpriram um mandado de busca e prisão na residência de Antônio Luiz Almeida, após denúncia feita de que ele estaria abusando de um menino de 11 anos de idade, que frequentava a casa onde ele morava com a mãe.

As investigações duraram dois meses e a prisão temporária foi decretada. Quando a polícia chegou, ele inicialmente negou os crimes, mas logo começou a contar os detalhes de como fazia com o menino, que ele acompanhou no caminho da escola por cerca de 10 dias.

Na Delegacia, ao ser ouvido, Antônio Almeida surpreendeu e revelou pelo menos 8 abusos, praticados desde 2008. Já são 9 anos e suas vítimas teriam entre 11 e 17 anos. Os garotos eram atraídos por dinheiro, alimentos e alguns até ganhavam suplemento alimentar, para beijar na boca, ganhar abraços e manter relações sexuais com o acusado. Na maioria dos casos ele conhecia os familiares dos menores e levava-os para construções e terrenos baldios. Lá, eles eram induzidos a fazer sexo anal com o rapaz. Mas, algumas vezes, em plena luz do dia Antônio não se intimidava, acariciava e beijava suas vítimas em praça pública.

O rapaz disse durante entrevista à Equipe Positiva que sabia que estava cometendo um crime, mas que se sentia bem mantendo as relações sexuais e aquilo se tornou necessidade para ele. Todas as vezes que agia conseguia, pois, seus convites sempre eram aceitos e pagava por isto, de R$10 a R$20.

Antônio diz que espera que a justiça de Deus seja feita e que quer pagar pelo crime que cometeu, caso seja condenado. Quando sair, não quer fazer de novo.

ASSISTA O VÍDEO COM AS REVELAÇÕES DO ACUSADO

O delegado titular de Varginha e que está respondendo por Três Pontas, Dr. Gustavo Gomes (foto), após colher o depoimento de Antônio não tem dúvidas de que ele é um pedófilo. Com a divulgação do caso, a expectativa é que o número de vítimas possa aumentar.

Antônio Luiz Almeida permanecerá preso temporariamente por 30 dias, prazo que a Polícia Civil tem para concluir o inquérito que foi instaurado. No início da noite, o rapaz foi levado para o Presídio da cidade e permanecerá em cela isolada dos demais detentos. Na casa dele, nada foi encontrado.

COMPARTILHAR

Comentários