Na foto, o terceiro gol do Chapadão na cobrança de penalti de Léo Mineiro

O TAC jogou bem, mas o Chapadão fez jus ao jogar em casa, impôs seu ritmo de jogo no Estádio do América e acabou derrotado por 3 a 1, com um erro da arbitragem que deixou chateados diretores, comissão técnica de jogadores. O jogo estava aberto, quem vencesse seguiria na disputa e disputaria as duas últimas partidas da final da 13ª Copa Record de Futebol Amador. As arquibancadas ficaram cheias e muita gente foi prestigiar o time da cidade.

Com uma forte marcação em cima do principal jogador de Alfenas, o Léo Mineiro, a partida começou com ambas as equipes conhecendo o adversário. E foi o TAC quem atacou primeiro. O atacante Mineiro do TAC recebeu na área e balançou as redes. 1 a 0 TAC.

Nem bem deu tempo de comemorar. A arbitragem marcou um penalti ao ver erradamente uma falta dentro da área. Léo Mineiro cobrou e marcou – 1 a 1.

O gol deu um banho de água fria no time, mas as coisas continuavam sob controle já que não havia vantagem de ninguém. Mas foi o Chapadão que voltou do segundo tempo e marcou aos 2 minutos, com Flávio Torres, fazendo 2 a 1, numa falha do goleiro Rudinho.

O TAC bem que lutou. O técnico Amarildo fez alterações colocando o time prá cima, indo pro tudo ou nada. E mesmo com um atleta a menos, com a expulsão de Eduardo Mamão, o time do Leão do Sul de Minas parou. Aos 30 minutos Léo Mineiro foi derrubado na área pelo zagueiro Willian. Ele próprio cobrou e não desperdiçou, fazendo o placar final 3 a 1.

O técnico Amarildo acredita que o TAC deu um salto em qualidade, desde que ele assumiu o grupo, trouxe novos jogadores. Realidade bem diferente de quando o time não conseguia vencer, estava apenas com dois pontos e sem vencer. Ele explica que começou montando seu time com três zagueiros, porque sentiu na semana passada que o TAC havia perdido a força da marcação e deixou Rafa na marcação do Léo Mineiro, que segundo ele neutralizou o atleta do Paraná Clube. Depois, com o decorrer da partida foram usados três atacantes.

Amarildo atribui o resultado ao erro da arbitragem ao marcar o penalti do primeiro tempo que não aconteceu. “A gente fica chateado porque o resultado poderia ser outro, foi por isto que gostaríamos que apitasse um árbitro da Federação Mineira de Futebol. Mas reconhecemos a competência que teve o Chapadão”, afirmou o comandante rubro negro. Deixando o comando técnico do TAC, Amarildo agradeceu a confiança da diretoria, em especial ao presidente Ney Antônio e também aos jogadores que entenderam seu trabalho. Ele espera voltar a comandar o time em breve.

FICHA DO JOGO

CHAPADÃO – Moranga, Gean Carlos (Ribeiro), Leandro Bianchini, Diney e Eduardo Mamão. Rogério Cebolinha, Emerson, Cuecão (Rodrigo Terra) e Léo Mineiro. Flávio Torres (Leonardo) e Japinha.  Técnico: Uarli Cristi

TAC – Rudinho, Rafa da Cohab, Willian, Macaco (Yerks) e Nono. Buiu (Max), Lucas (Pierre), Wesley e Regi (Tanaka). Mineiro e Luiz Fernando. Técnico: Amarildo.

Arbitro – Daniel Eduardo Gonçalves Franco
Auxiliar 01 – Everton Salatiel Bigon
Auxiliar 02 – Geberson Fernando Moura
Reserva – Aguinarras Amadeu Costa Bento
Representante – José Ailton da Silva
Fiscal – Rogério Venâncio

[AdSense-A]

COMPARTILHAR

Comentários