Os vereadores levam para o Pequeno Expediente os mais diversos assuntos. Com o microfone a disposição durante cinco minutos cada um, como manda o Regimento Interno, eles elogiam, criticam, fazem pedidos e divulgam suas ações parlamentares. É obvio que nem sempre os assuntos são interessantes, mas nesta segunda-feira (28), chamou a atenção quando o vereador Geraldo Messias Cabral (PDT). Enquanto ele pedia o envio de um punhado de ofícios dos mais diversos, observamos que ninguém o ouvia. Alguns estavam fixados nos celulares, outros batiam papo e andavam pelo Plenário Presidente Tancredo Neves. Desta vez passou despercebido pelo presidente Luis Carlos da Silva que costuma usar a campainha para chamar a atenção.

O vereador José Henrique Portugal (PMDB), disse que está lutando junto com o deputado federal Diego Andrade (PSD-MG), para reverter o fechamento do Aeroporto Municipal Leda Mello de Rezende junto a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

A pedido de moradores e empresários, Portugal comentou e pediu providências quanto a colocação de mão única na Avenida Caio de Brito. De acordo com ele, comerciantes estão saindo deste trecho e fechando as portas por conta do prejuízo que a alteração no trânsito causou. A sugestão é que seja liberado mão dupla a partir da Rodoviária, já que quem precisa voltar, precisa ir até próximo do trevo. O Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) será oficiado.

Paulo Vitor da Silva (PSL), fez questão de registrar na Tribuna, o conteúdo de dois ofícios que recebeu do Poder Executivo – sobre os fechamentos do Posto de Saúde do bairro Vila Marilena e do Aeroporto Municipal. Sobre a UBS, a justificativa é de que a mudança para o bairro Morada Nova, foi provocada por causa da falta de segurança, conservação do imóvel e higiene sanitárias. Na opinião dele, coisas possíveis de serem resolvidas para não deixar moradores daquela região sem atendimento. As consequências disso, são muitas reclamações, que Paulinho disse estar recebendo.

DESTAQUE 1Sobre o Aeroporto também leu a resposta que recebeu do Poder Executivo e reforçou que o que falta é um convênio entre a ANAC e o Município. Exemplificando como fez já outra vez, Paulinho acrescentou que falta é alguém assumir a responsabilidade da pista de pousos e decolagens.

O vereador Francisco Cougo (PT) que é defensor do fechamento do Aeroporto, pois entende que prejudica os moradores do bairro Santana, lembrou aos colegas das 100 crianças que são atendidas na Creche e dos 25 servidores que lá trabalham. Acredita que seja difícil reverter a portaria que determinou o fechamento a partir do próximo mês e questionou de quem seria a responsabilidade caso um terceiro seja registrado. “A ANAC está de parabéns e as pessoas precisam pensar e repensar esta questão do Aeroporto. Os moradores do bairro Santana não podem ser feridos como gado, a ferro quente” avaliou.

Seu colega de partido, Francisco Botrel Azarias (PT), fez dois comentários no Pequeno Expediente. Disse que na semana passada quando comentou a visita da deputada estadual Geisa Teixeira (PT) a Três Pontas, não foi sua intenção esquecer de mencionar que estiveram com o prefeito Paulo Luis Rabello, em seu gabinete. Ele comentou que a reportagem publicada pela Equipe Positiva, afirma que ele pode não ter citado propositalmente, o que segundo Chico não é verdade. “Se não falei foi uma falha minha e tenho o maior respeito pelo prefeito” diz.

Em apoio aos moradores do residencial Jardim das Esmeraldas ele protocolou pedidos a Secretaria Municipal e Transportes e Obra. Um é a construção de redutores de velocidade na Avenida Barão da Boa Esperança, próximo da entrada do bairro, para evitar acidentes. E outro que na Avenida e na primeira rua, a Agripino Botelho de Aguiar, bem na entrada do empreendimento, estão faltando iluminação. Ele também denuncia que motoristas tem abusado da velocidade e colocando em risco a integridade de pedestres.

COMPARTILHAR

Comentários