Por Willian de Oliveira

Como de costume, o réveillon é uma época onde a maioria das pessoas fazem
promessas para todo o ano que se inicia. Ser mais paciente, ser mais carinhoso, não beber tanto, malhar mais, são promessas usuais desta época. Contudo, apesar de muito esforço, muitas pessoas não conseguem cumprir tais promessas e acabam se sentindo frustradas.

É sabido que as mudanças em geral podem causar certo desconforto. Tudo que é
previsível é mais seguro que o novo. Novidades não são totalmente controladas e isto pode aumentar o nível de ansiedade. A dificuldade de mudar pode ser considerada como uma resistência do aparelho psíquico como Sigmund Freud tratou em “Inibição, sintoma e ansiedade” (1926).

Algo traumático para o indivíduo pode sofrer resistência pela consciência que,
tornando este trauma inconsciente, reduz o sofrimento do indivíduo. Mas, mesmo
inconsciente ainda causa pressão psíquica. A repetição de comportamentos pode ocorrer, justamente, devido à resistência e seria como uma tentativa de descarregar esta pressão inconsciente. Funcionaria como uma válvula de escape para a energia que ficou inconsciente. A pessoa pode entrar numa espécie de círculo vicioso e não conseguir sair sem passar por uma análise pessoal, fato que é confirmado por FINK a respeito do seminário 11 de Lacan:

“A repetição envolve algo de que, por mais que se tente, não se consegue lembrar.
O pensamento não consegue encontrá-lo: O que é isso? Isso é o que está excluído da cadeia significante, mas em torno de que cadeia gira. O analisando dá voltas e mais voltas numa tentativa de articular o que parece estar em questão, mas não consegue localizá-lo, a menos que o analista aponte o caminho. (FINK s.d., p. 241)”.

Isto explica o porquê de muita gente realizar sempre as mesmas promessas já
realizadas e não cumpridas nos anos anteriores. Portanto, a dificuldade de mudar pode ser inconsciente e sendo assim, pode ser necessária uma ajuda profissional de um psicólogo ou psicanalista para intervir nesta cadeia de significantes e tentar trazer para a consciência o que, inconscientemente, vem influenciando a repetição.

Willian de Oliveira
Psicólogo CRP 04/44.936
Rua Agnelo Araújo, 525, Bairro São Francisco de Assis
Fone: (35) 99856-9258

REFERÊNCIAS
FINK, B. (s.d.). "A causa real da repetição ", in: Para ler o Seminário 11. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar.
FREUD, S. (1996). Obras completas de S. Freud. Rio de Janeiro: Imago

COMPARTILHAR

Comentários