EXCLUSIVO Quem estiver usando linhas cortantes ferir alguém, pode responder ao crime de lesão corporal

Os dois casos de motociclistas que sofreram cortes provocados por linhas cortantes repercutiu em toda a cidade nesta semana em Três Pontas. Após a divulgação feita pela Equipe Positiva, a Polícia Militar recebeu uma ‘chuva’ de denúncias de crianças, adolescentes e também adultos que estão usando linhas cortantes em pipas e papagaios, em diversos bairros do Município.

O comando da 151ª Companhia de Polícia Militar montou na tarde desta sexta-feira (10), uma operação que buscou coibir o uso deste material que é capaz de provocar ferimentos graves que muitas vezes leva até a morte. Bastou começar para constatar que além do cerol, é possível comprar linha chilena. Ela é de várias cores, mas a capacidade de cortar é ainda maior.

Materiais estavam com crianças e adultos e foram apreendidos
Materiais estavam com crianças e adultos e foram apreendidos

A Operação se concentrou na região do bairro Santa Edwirges e em pouco de tempo, 4 pipas e 5 recipientes com linhas foram apreendidos. Três estavam com a linha chilena e as outras com cerol. Os materiais eram utilizados por menores de 10 e 11 anos e dois jovens de 18 e 19 anos. Para cada apreensão foi elaborado um boletim de ocorrências que será encaminhado à Secretaria Estadual de Fazenda, órgão competente que pode aplicar uma multa que pode variar de R$100 a R$1,5 mil. No caso dos menores os pais foram identificados e são eles que responderão pela ação.

Se a pessoa que sofre um acidente com linha cortante, souber identificar o dono da pipa, ele pode ser detido e responsabilizado pelos ferimentos provocados. Ele será certamente relacionado em um boletim de ocorrências e pode responder ao crime de lesão corporal, se for menor ou não.

A Operação continua e vai a todos os bairros.

CASOS GRAVES REGISTRADOS

No último domingo (05), o comerciante Geraldo José Prado, de 42 anos, o popular “Coelho do Bar”, quase teve a cabeça decepada por conta de uma linha chinela. Ele estava de moto indo fazer uma entrega no bairro Santa Edwirges quando foi surpreendido pela linha enrolada em seu pescoço. Ele sofreu 16 pontos e por pouco não morreu.

O caso de repetiu no dia seguinte no bairro Vila Marilena. O monitor da APAE Altair de Paula Herculano de 45 anos, também teve linha enroscada no pescoço. Elas estavam em um poste de iluminação e quando ele passou de moto o vento levantou a linha com cerol.

Em nenhum dos casos a PM foi chamada. Com o período de férias que ainda não começou a tendência é que aumente o número de pessoas soltando pipas e papagaios.

COMPARTILHAR

Comentários