O vice presidente da Câmara Benício Baldansi, o prefeito Luiz Roberto, o deputado Dalmo Ribeiro e o padre Ednaldo

 

As autoridades políticas e religiosas de Três Pontas, receberam em uma cerimônia realizada no Plenário Presidente Tancredo Neves, na noite desta terça-feira (16), a Lei Estadual número 22.857, de 08 de janeiro de 2018, que institui a Comenda Padre Victor. Ela tem o objetivo de prestar justa homenagem ao Padre Francisco de Paula Victor, condecorando personalidades e instituições que  tenham se destacado nas áreas social, cultural e educacional, contribuindo direta ou indiretamente, para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária, solidária e cidadã, seguindo o exemplo de Padre Victor.

Prestigiada por poucas pessoas, a entrega foi feita pelo deputado estadual Dalmo Ribeiro (PSDB), autor do projeto que criou a Comenda, um reconhecimento pela vida e obra deste grande Beato Campanhense Trespontano. Executivo, Legislativo e a Associação Padre Victor receberam das mãos do parlamentar o documento que materializa o ato. A Comenda será concedida anualmente pelo governador do Estado, no dia 15 de novembro, em Três Pontas. Ela será administrada por um comitê a ser designado pelo Governador. A ideia inicial era de fazer a entrega no dia 23 de setembro de cada ano, mais a Diocese da Campanha e a Associação Padre Victor não acharam viável a data e sugeriram então 12 de abril, quando é aniversário natalício de Francisco de Paula Victor ou no dia 15 de novembro, um dia após a sua beatificação.

O deputado Dalmo Ribeiro demonstrou extrema emoção pela oportunidade ímpar que Deus lhe concede, através do mandato e da vida pública que tem ao exercer seu quinto mandato na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Mesmo antes de ser político, Dalmo visitava Três Pontas e a Igreja onde ocorre a Festa de Padre Victor, junto com seus pais. O tempo passou, ele continuou participando de celebrações e pode vivenciar a cerimônia de beatificação, momento que ficou marcado no coração e na vida de todos que estavam presentes e daqueles que tem fé no sacerdote Brasil afora. “Hoje a minha vinda aqui é diferente. Trago um instrumento em que o Estado reconhece e junto com o Município possam homenagear as pessoas físicas, jurídicas e aquelas já falecidas”, explicou. Quando apresentou a lei na ALMG, o parlamentar enviou cópia ao prefeito Luiz Roberto, a que tem tido um estreito relacionamento político.

Se incluindo como devoto, Dalmo Ribeiro espera que Três Pontas continue sendo respeitada em toda Minas Gerais e abençoada por Padre Victor, que terá sua história e o retrato de sua vida de retidão, reconhecida além de outras fronteiras.

Assim que as autoridades foram a frente receber o documento, o secretário municipal de Educação Paulo Vitor da Silva fez a leitura da lei, assinada no Palácio Tiradentes, pelo governador Fernando Damata Pimentel (PT) e divulgada no Diário do Executivo do Governo do Estado. A voz da musicista e professora do Conservatório de Música Heitor Villa Lobos e o som do violão do professor Beto Maciel ao entoarem o Hino do Beato.

O pároco da Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda Padre Ednaldo Barbosa, reafirma que o Estado reconhece em forma de lei, a grandiosidade deste sacerdote que se entregou a Igreja e a toda a comunidade trespontana. Padre Ednaldo se sente no anseio de agradecer o deputado pela iniciativa, que contribui com a divulgação do Município. Ter uma Comenda se torna um ponto muito importante para que o processo do turismo religioso seja colocado em prática, conforme Dr. Luiz Roberto tem planejado. O padre acrescentou que tem a expectativa que a honraria seja entregue às pessoas como forma de reconhecer os trabalhos que foram realizados ao longo dos anos e que certamente serão intensificados. Demonstrando que o projeto de Padre Victor continua mais vivo do que nunca e seja um marco para a cidade.

O prefeito será o presidente de honra do Comitê que vai administrar a comenda e na visão de Luiz Roberto, o deputado Dalmo Ribeiro, teve uma luz ao pensar a homenagem. Há muitos anos companheiro, a oportunidade surgiu justamente quando a Administração deseja que Padre Victor seja reconhecimento não somente em Minas Gerais, mas também nacionalmente e internacionalmente. “Esta comenda veio para somar no reconhecimento à Padre Victor”. O prefeito destacou o empenho do parlamentar que trabalhou sem pensar nada em troca na aprovação da lei e se surpreendeu ao ver que o governador Pimentel não demorou para sancioná-la, mesmo sendo ele da oposição.

O Beato Padre Victor é o símbolo maior de Três Pontas que sempre conhecida por ser a Terra do Café e nós temos o maior orgulho disso. A Comenda traz um respeito a toda população, mesmo àqueles que não são católicos. O dia 15 de novembro será marcante para a cidade e teremos algo a mais no calendário festivo, lembrando o quando importante Ele foi e é.

Provedor da Santa Casa Michel Renan Simão Castro

Esta Comenda vai ser uma divulgação muito grande e importante para a cidade que vai ganhar movimento. Vamos levar o nome de Padre Victor a nível estadual e talvez a regiões que não seja tão conhecido. Ficamos muito satisfeitos e felizes com este reconhecimento.

Presidente da Associação Padre Victor Airton Andrade

Compareceram ainda o vice presidente da Câmara Benício Baldansi, os vereadores Geraldo Prado “Coelho”, Sérgio Silva, Roberto Cardoso, Marlene Lima, o secretário de Cultura, Lazer e Turismo Deivis Victor dos Santos, o presidente da Associação Padre Victor Airton Andrade, o presidente da Cocatrel Francisco Miranda, o presidente da Associação Comercial Bruno Dixini Carvalho, o provedor da Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis Michel Renan Simão Castro e o diretor do IPREV Dr. Luciano Reis Diniz.

Beato Padre Victor   

Francisco de Paula Victor nasceu na Vila da Campanha da Princesa, hoje município de Campanha (MG), aos 12 de abril de 1827 e foi batizado em 20 de abril do mesmo ano.

Filho da escrava Lourença Maria de Jesus e pai desconhecido, nasceu escravo, mas não viveu como um, tendo como madrinha de batismo a patroa, Dona Mariana de Santa Bárbara Ferreira, que o ensinou a ler, escrever, tocar piano e falar francês.

Em 1848 o Bispo de Mariana visitou a cidade de Campanha onde foi procurado por Padre Victor que na época era alfaiate, ele manifestou a vontade de seguir a vida religiosa. Assim, em 05 de junho de 1849, Francisco de Paula Victor entrou para o Seminário em Mariana.

A ordenação de Padre Victor aconteceu no dia 14 de junho de 1851. Uma vez pároco, voltou para Campanha e rezou a primeira missa na cidade natal. Por lá permaneceu cerca de um ano, até ser transferido para Três Pontas (MG). Chegou a pequena Vila em junho de 1852 para substituir o vigário da Paróquia que havia morrido. Aqui permaneceu 53 anos até falecer, em 23 de setembro de 1905. Foi sepultado na Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, Igreja a qual ajudou a construir e seu velório durou três dias.

Em 03 de junho de 2015, os cardeais aprovaram no Vaticano por unanimidade o milagre atribuído ao Padre Victor que foi a gravidez de uma professora que a medicina não explica. A cura já havia sido reconhecida por médicos do Vaticano e por uma Comissão de Teólogos. Foi beatificado em 14 de novembro de 2015 em Três Pontas, em cerimônia presidida pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o Cardeal Ângelo Amato, representante da Santa Sé, que anunciou a data como festa litúrgica em memória.

COMPARTILHAR

Comentários