O presidente da Câmara Municipal de Três Pontas, Luis Carlos da Silva (PPS), respondeu algumas perguntas feitas pela Equipe Positiva, sobre o ano de 2015. A atuação dos vereadores, da Casa Legislativa, dos projetos e ações parlamentares que mais se destacaram nos últimos 12 meses. Na onda das de várias manifestações que foram realizadas em todo o Brasil, o Poder Legislativo de Três Pontas foi pressionado algumas semanas a fim de que fossem adotadas medidas para economizar e cortar gastos. Uma conquista considerável foi a redução no número de cadeiras, dos atuais 15 para 11 para o próximo mandato.

Por outro lado, alguns vereadores protagonizaram reportagens que ficaram marcadas na mídia regional, como os casos “do presunto, do copinho e do café”. Luisinho que é considerado “amigo de todos”, emitiu sua opinião nesta entrevista exclusiva.

ENTREVISTA – PRESIDENTE LUIS CARLOS DA SILVA

Equipe Positiva) Presidente Luis Carlos, qual o balanço você faz do ano Legislativo de 2015?

Apesar de todas as dificuldades passadas por todos nós brasileiros, vejo que o Poder legislativo através de seus parlamentares contribuiu de forma eficiente e positiva com o desenvolvimento de Três Pontas. Além de realizar seus trabalhos dentro do município busco recursos junto às esferas de governo estadual e federal, bem como Emendas Parlamentares de deputados. Ao meu ver, a Câmara Municipal atuou de forma ímpar neste ano de 2015.

Seguindo a tendência de todo o Brasil, trespontanos foram à Câmara e fizeram manifestações pedindo a redução dos salários e do número de cadeiras para 2016. Como você viu estes manifestos?

A manifestação popular é um dos direitos mais nobres da democracia. Hoje na Câmara Municipal são 15 vereadores e em 2017 esse número será de 11.

Você concorda com as reivindicações?

Em alguns pontos, sim. Fiz questão de receber em meu gabinete várias pessoas que participavam das manifestações ocorridas e repassar meu posicionamento.

Você sempre teve uma posição muito convicta sobre o salário dos agentes políticos e sempre defendeu que é preciso ganhar bem. Você continua pensando assim?

Sim. Fico triste porque no cenário político brasileiro alguns parlamentares estão decepcionando e com isso passando uma imagem negativa de todos os políticos do Brasil. E, nem todos, são pessoas que não atuam de forma efetiva para a comunidade.

Secretários e vereadores recebem o 13º salário. Porque a Câmara não conseguiu aprovar para prefeito e vice?

Porque foi a decisão da maioria dos vereadores.

Acompanhando semanalmente as sessões da Câmara, as discussões ficaram várias vezes acaloradas. Você não acha que os vereadores perdem muito tempo com assuntos que não vão resultar em nada?

Durante as sessões da Câmara, várias vezes manifestei contra discussões que fogem do tema da votação e vão para o lado pessoal e com isso deixamos de aproveitar a força conjunta do Poder legislativo em prol de conquistas para o nosso município.

Você acha que falta os vereadores entenderem e aceitar a posição do outro colega?

Acho. Mas respeito o direito de cada vereador ou vereadora dentro do Plenário.

Vereadores da oposição insistem em assuntos antigos e mesmo discutindo projetos que não tem nada a ver com o assunto desviam a outros temas. É difícil segurar isto?

Muitas vezes sim, pois ficam repetitivos tanto os discursos, quanto as respostas de outros vereadores. E eu, como presidente da Câmara, tenho que lembrá-los que não podemos durante a discussão de um projeto sair daquele assunto.

Você não acha que o vereador Antônio do Lázaro exagera, leva para o Plenário assuntos pessoais e ofende as autoridades no campo pessoal?

Durante o Pequeno e Grande Expediente, o vereador tem um tempo estipulado, no qual tem direito de se manifestar sobre qualquer assunto. Este vereador, se ofender qualquer cidadão, o ofendido poderá protocolar na Câmara pedido de investigação de quebra de Decoro Parlamentar.

A Câmara em 2015 ganhou destaque na mídia por casos que colocam o desempenho dos vereadores em questionamento. Primeiro, o caso do presunto, em que o vereador Antônio do Lázaro perdeu em todas as instâncias por ter acusado uma funcionária de furtar presunto. Depois, José Henrique quis cortar o café que é servido aos visitantes da Câmara. E por último, o vereador Itamar Diniz foi flagrado pela TV Alterosa fazendo brincadeiras com a equipe da emissora e jogando copinho no chão. Você considera que estes foram pontos negativos do Legislativo este ano?

Toda repercussão negativa de atos dos vereadores acabam enfraquecendo todo o poder.

A Câmara desenvolveu a partir deste ano, o Projeto Parlamento Jovem dentro da Escola do Legislativo. Você acha que isto vai formar cidadãos mais conscientes e prepara-lo inclusive para a política?

Sim. Nós precisamos conscientizar nossos jovens da importância da política na democracia e aumentar com isso, a credibilidade de nossos políticos.

Quais os projetos mais importantes foram aprovados pela Câmara este ano de 2015?

Foram aprovados vários projetos da saúde, de cunho social e também de convênios importantes. Seria difícil apontar um como mais importante. Todos são cruciais para o Município.

Você ampliou o número de estagiários na Câmara, mas o prédio não comporta mais nem vereadores e muito menos funcionários. Ao final de todo ano é comentado sobre a construção de uma sede própria para a Câmara. Porque isto nunca acontece?

Primeiro sobre os estagiários: nós entendemos que precisamos incentivar nossos estudantes dando oportunidade de estágio em todos os departamentos do Poder Público. Já a respeito da sede da Câmara, vejo que ela comporta muito bem o quadro de servidores e vereadores, necessitando de uma reforma urgente que já está com projeto em andamento.

Qual a avaliação você faz do Poder Executivo em 2015?

Considero boa. Considerando os graves problemas enfrentados pela administração pública em todo o Brasil, o Executivo trespontano conseguiu honrar seus compromissos com servidores e fornecedores.

Quanto a Câmara está devolvendo ao Poder Executivo das economias feitas na Câmara?

Estamos devolvendo de economias feitas pela gestão da Câmara, o valor total de R$ 636 mil.

Dizem que em ano eleitoral é mais difícil presidir uma Câmara. Qual a sua expectativa para 2016, quando serão eleitos prefeito e vereadores?

Acredito que mesmo com o processo político vindouro, a experiência que adquiri entre 2007 e 2008 como presidente da Câmara me ajudará neste desafio.

Qual a mensagem você deixa aos trespontanos?

Gostaria de agradecer a todos os trespontanos, principalmente àqueles que estiveram próximos, nos apoiando em todos os momentos durante este ano. Quero desejar a todos os trespontanos um 2016 repleto de alegrias e realizações. As portas da Câmara e do Gabinete estarão sempre abertas para todos os cidadãos e cidadãs. Feliz Ano Novo a todos.

(Colaborou Francisco Cândido – Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Três Pontas)

COMPARTILHAR

Comentários