Se a situação não melhorar, cirurgias que estão agendadas no Hospital São Francisco de Assis podem ser adiadas

A Agência Transfusional necessita de ajuda urgente. É que o estoque de sangue que abastece o Hospital São Francisco de Assis de Três Pontas está com seu estoque quase zerado. Diante da falta de doadores, os profissionais que atuam no Banco de Sangue, fazem um apelo para que os voluntários façam doações.

A situação está tão critica, que os doadores estão desaparecendo e o estoque ficando vazio. Não há mais condições de atender a todos e suprir a cota de sangue utilizada pelo Hospital. De acordo com o técnico de enfermagem e captador de sangue Aislan José Silva Lino, existem pessoas internadas na Santa Casa que precisam de transfusão e o Banco já não está conseguindo atender de forma adequada.

A farmacêutica responsável pela Agência Transfusional Adriana Beatriz Zacaroni e o captador de sangue Aislan José Silva Lino
A farmacêutica responsável pela Agência Transfusional Adriana Beatriz Zacaroni e o captador de sangue Aislan José Silva Lino

Se a situação não melhorar, ou seja, as pessoas não se conscientizarem da necessidade de doarem sangue, cirurgias podem ser adiadas. “Se o paciente entrar em estado crítico durante uma cirurgia e houver a necessidade de transfusão, não tem como atender”, afirma Aislan.

Quando gravamos a reportagem, na manhã desta quarta-feira (28), havia apenas armazenado uma bolsa de O negativo, uma de O positivo e uma de B positivo. Todos os tipos sanguíneos são necessários e fundamentais, já que é feito um sistema de troca com o Hemominas.

Para suprir a demanda não é preciso muito, se levarmos em conta o número de habitantes em Três Pontas. De 60 a 80 doações por mês, deixaria o Banco de Sangue em situação mais tranquila, já que cada um doa uma quantidade capaz de atender a quatro pessoas e na maioria das vezes salvando vidas.

Uma das dificuldades em conseguir doadores é que o procedimento é feito somente em Poços de Caldas. É preciso pegar ônibus que é oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e enfrentar três horas de viagem para praticar este ato de amor que salva vidas. O captador de sangue Aislan Lino, disse que praticar a solidariedade é imprescindível, mas reconhece as dificuldades. “Era mais fácil quando as doações eram feitas no Hemocentro Frota em Varginha, porém, acabou sendo fechado por determinação do Estado”. Com a distância e o tempo de viagem, as pessoas reclamam, pois precisam faltar do trabalho. Mas o problema não é apenas em Três Pontas. Em Varginha, são utilizadas cerca de 500 bolsas ao mês, mas a reposição é de apenas 10%. Lá, as cirurgias já estão sendo remarcadas.

Nesta sexta-feira e sábado, dias 30 e 1º de outubro, haverá coleta, com transporte e alimentação gratuitos. Quem puder ajudar, precisa entrar em contato com o Hospital São Francisco de Assis através dos telefones 3265-9749, 3265-9716 ou 3265-9700.

Alguns critérios ter que ser obedecidos para ser um doador. É preciso ter entre 16 e 69 anos de idade. Porém, menores de 18 anos são obrigados a apresentar autorização dos pais, que é emitida pelo próprio Banco de Sangue de Três Pontas para ser preenchida. Dos 60 aos 69 anos, é necessário comprovar que já foi feita uma doação antes dos 60.

Além disso, é essencial estar bem de saúde, não ter pressão alta, diabetes, ter tido hepatite após os 11 anos de idade, fazer o uso de medicamentos controlados e estar usando alguns hipertensivos para pressão alta. Neste último caso, depende de uma avaliação médica que é feita no próprio Hemoninas.

Não podem doar provisoriamente durante um ano – quem fez tatuagem, colocou piercing, fez cirurgia, ou algum tratamento dentário, se estiver resfriado ou tomou alguma vacina.

COMPARTILHAR

Comentários