Os moradores de Três Pontas estão preocupados com o número de casos suspeitos de Dengue e Zika Vírus que estão sendo investigados.

Por isto, a Prefeitura organizou um mutirão de limpeza neste sábado (27) e começou pelo bairro Vila Marilena a limpar quintais e terrenos baldios. O movimento contou com a presença do grupo Meninos da Vila na concentração na Praça José de Anchieta. De lá, eles se dividiram em grupos e iniciaram os trabalhos que durou toda a manhã.

Quantidade de lixo e entulho em quintais das residências encheu os caminhões disponibilizados pela Prefeitura
Quantidade de lixo e entulho em quintais das residências encheu os caminhões disponibilizados pela Prefeitura

Autoridades, agentes de saúde, servidores do Município, o grupo de Escoteiros Boa Vista, Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, Atremar, voluntários e moradores, declararam guerra ao mosquito e soaram a camisa debaixo de sol forte. Eles bateram de porta em porta e contaram com o apoio de caminhões que ficaram lotados de tanta sujeira. Apesar das recomendações, foi visto que nem todo mundo toma os devidos cuidados e em dezenas de lugares, havia muita água parada.

Em alguns locais, foram as máquinas e caminhões que atuaram e deixaram tudo limpo. Em outros, foram os voluntários que deram uma geral para recolher tudo que podia servir de abrigo ao mosquito Aedes aegypti.

Uma das voluntárias foi Rosely Aparecida Fabre. Ela é agente comunitária de saúde e fez questão de tirar o dia de folga para ajudar. No dia a dia destes profissionais, contou Rosely, as orientações estão sendo passadas aos moradores. “Achei muito produtivo o mutirão e quero poder participar de todos os outros”.

Começar pelo bairro Vila Marilena não foi atoa, esclarece o secretário de Saúde Hermógenes Vaneli. É que nesta região da Cidade está o maior número de casos suspeitos sendo investigados. Os voluntários foram também nos bairros Ponte Alta e Jardim Primavera.

Até 2014, a preocupação era com a Dengue. A partir de 2015, passou a ser também com a Chikungunya e a Zika, embora o que se tem hoje são casos notificados (suspeitos), e não há por enquanto nenhum confirmado. As pessoas tem desenvolvido sintomas característicos da Zika. Na dúvida, a Secretaria de Saúde notifica.

Sobre o mutirão, o principal objetivo desta mobilização é sensibilizar a cidade, para um trabalho constante, todos os dias do ano, dos próprios moradores, que na opinião do secretário, ainda não sabem o risco que é acumular água em suas residências. “Não adianta este trabalho, se novamente os locais com acúmulo de água forem multiplicados nas residências. Observar calhas, caixa com água, garrafas e inclusive uma tampinha de garrafa pet, deve se tornar um hábito das pessoas”, conscientiza Hermógenes. Mesmo pequenos, estes locais é o suficiente para a fêmea fazer a postura e dali sair mosquitos que vão picar as pessoas, seja para a transmissão da Dengue, Chikungunya ou Zika. O problema são as consequências que estas doenças podem trazer.

Quem acompanhou tudo de perto, foi o prefeito e o vice Paulo Luis Rabello e Érik dos Reis Roberto. Junto aos seus secretários, que foram convocados, o Chefe do Executivo, ajudou na distribuição dos panfletos de orientações. “Estamos iniciando a guerra contra este mosquito e queremos que cada trespontano seja um guerreiro, para que possamos sair vitoriosos”, afirmou Paulo Luis.

O próximo mutirão será no bairro Santa Edwirges.

VEJA A GALERIA DE IMAGENS

COMPARTILHAR

Comentários