*Apoio das Mulheres Empreendedoras e outros parceiros foi fundamental na execução do evento que termina no sábado

As Mulheres Guerreiras fizeram um grande evento na noite desta quarta-feira (22). No Auditório da Cocatrel, elas deram seguimento a programação da Campanha do Outubro Rosa, que conta com o apoio das Mulheres Empreendedoras, Associação Comercial, SEST/SENAT, Cedup, Unimed, Cocatrel e Prefeitura, que apoiam a iniciativa da campanha realizada durante todo este mês, a favor do combate ao câncer de mama. Porém, o câncer de colo de útero também ganhou foco na programação.

Na chegada ao Auditório, todos, inclusive alguns homens, recebiam um número para concorrer ao sorteio de brindes, folder produzido pelas Guerreiras, um livreto com explicações sobre o câncer, uma flor e o laço, todas rosa, maior símbolo que representa o combate a este mal que afeta mulheres entre 40 e 69 anos, as maiores vítimas. Estabelecimentos comerciais e a Maternidade do Hospital São Francisco de Assis substituíram as cores da luzes dando a cor natural à campanha.

DSC03638O público se surpreendeu com o desfile de mulheres que estão em tratamento e outras que venceram a doença, e hoje, encabeçam e integram o grupo levando a experiência que tiveram durante meses e a auto estima de guerreiras necessária para enfrentar a vida com auto estima. Elas esbanjaram beleza e arrancaram aplausos. Porém, o principal objetivo foi levar assuntos sérios ao público.

Primeiro, a necessidade do exame papa nicolau, preventivo realizado de graça pela rede pública de saúde, disponível em Três Pontas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Centro Integrado de Assistência a Mulher e a Adolescente,  foi o assunto da enfermeira Maria de Lurdes Rodrigues. O câncer do colo de útero é 100% curável, se detectado precocemente e o exame preventivo é a única maneira de evitá-lo. Não há cotas, por isto, todas as pacientes que procuram o serviço, quando se inicia uma vida sexual, são atendidas. Apesar de ser bem mais fácil de outros exames que as pessoas precisam enfrentar filas para marcar e depois fazer, a procura é pequena demais. Mensalmente são feitos no CIAMA de 250 a 300 procedimentos, número muito a quem da população feminina trespontana. “Infelizmente tem muitas mulheres que nunca fizeram exames desses. O nosso alvo são sempre estas que nunca procuraram a prevenção”, explica Maria de Lurdes. São sempre as mesmas mulheres que voltam todos os anos.

Vergonha do médico ginecologista é umas das causas que afastam elas de procurar pelo atendimento, segundo Lurdes. Porém, é preciso lembrar que há enfermeiras nos postos de saúde que colhem o exame, que é rápido, demora no máximo 15 minutos e o material é encaminhado para um laboratório e leva 30 dias para ficar pronto.

DSC03626A mastologista Carolina Lemos Baroncelli (foto) é medica em Varginha e ficou a vontade para um bate papo, intercalado com perguntas feitas e dúvidas que iam surgindo sendo respondidas. Na entrevista à Equipe Positiva, Baroncelli alteou o trabalho das Mulheres Guerreiras em levar a prevenção para mais perto da população. Para ela, mulheres e seus companheiros precisam entender que todos podem ter o câncer de mama e que não é grupo de maior risco. Apesar da grande divulgação da mídia, a prevenção ainda continua sendo um grande tabu. Ao contrário do que acontece no Brasil, no Sul de Minas, com o trabalho de conscientização os casos de câncer de mama são identificados na fase inicial, fruto de uma luta diária ao longo dos anos.

Se as mulheres tem medo do exame, pior são os homens. Porém, neles, além da incidência ser bem mais baixa é mais fácil de se diagnosticar porque eles não tem mama. Aparecendo um caroço, o homem identifica com mais facilidade. Ele percebe mesmo aqueles mais obesos, que tem uma mama maior, por causa da gordura. O caroço é mais duro que o tecido gorduroso.

Todos os pacientes diagnosticados com a doença no Sul de Minas são tratados no Centro de Oncologia de Varginha, onde Dra. Carolina Baroncelli atende. A estrutura lá, acolhe pacientes já doentes ou com lesão muito suspeita. Lá é feito o tratamento cirúrgico, quimio e radioterapia. Se houver necessidade, com acompanhamento de fisioterapeuta, assistente social e psicólogo, que vai dar todo o suporte ao paciente e sua família.

DSC03627

Próximas atividades do Outubro Rosa das Mulheres Guerreiras são no sábado

Sábado (25)

Praça Cônego Victor

9 horas

II Cãominhada M3 com benção dos animais

Campeonato de supino

Apresentações esportivas Academia M3

12h às 15h: Praça Cônego Victor:

Apresentação da ExtaZ Banda Show

Zumba com Juninho e Myl Bueno

Brinquedos

Pipoca e algodão doce

Aferição de pressão e diabetes por profissionais da saúde

15h30min: Praça Cônego Victor

Passeio ciclístico

 

Outubro Rosa da Prefeitura tem ponto alto nesta sexta-feira

Dia 24 (Sexta-feira)

Praça Cônego Vitor

08:00 – Apresentação da Corporação Luiz Antônio Ribeiro

08:30 – Apresentação do Grupo “Cigarras Cor de Rosa”

09:00 às 16:00 – Aferição de pressão e Glicemia Capilar

Atendimento da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social, por meio da Subsecretária de Direitos Humanos – SEDESE, com Unidade Móvel de Atendimento À Mulher, com objetivo de promover o acesso das mulheres a serviços públicos.

[ot-gallery url=”http://www.equipepositiva.com/gallery/bate-papos-sobre-a-prevencao-aos-tipos-de-cancer-e-desfile-marcam-o-outubro-rosa-das-mulheres-guerreiras/”]

outubroCâncer é diagnosticado em estado avançado

O câncer de mama é o tipo mais frequente na mulher brasileira e consiste no desenvolvimento anormal das células da mama, que se multiplicam repetidamente até formarem um tumor maligno. Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, respondendo 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom.

No Brasil, as taxas de mortalidade continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançado. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%. São quase 50 mil óbitos por ano em todo o mundo. Somente no Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima mais de 57 mil novos casos em 2014.

Com os exames em dia, o câncer raramente passa despercebido e o médico consegue detectá-lo em uma fase inicial, onde a chance de cura ultrapassa a 90%. A mamografia é o melhor recurso. Ela deve ser realizada a partir dos 40 anos de idade.

COMPARTILHAR

Comentários