* Se depender do vereador José Henrique Portugal, cafezinho, lanche e até água deverão ser cortados e servidos somente para vereadores e servidores

Depois da polêmica envolvendo uma servidora e o vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), um pedido do vereador José Henrique Portugal (PMDB), soou estranho na sessão ordinária desta segunda-feira (29).  O peemedebista quer que o cafezinho servido na Câmara Municipal seja cortado, com exceção aos vereadores e servidores e vai além. Ele oficiou ao presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS), que restrinja também, o lanche e até a água servida no Poder Legislativo somente aos vereadores e servidores que trabalham na Casa. Para convencer o Chefe do Legislativo, ele esclarece no documento assinado nesta segunda-feira que o público de um modo geral, está utilizando o café, o que “contraria as normas vigentes da Casa”.

Acontece é que populares e pessoas convidadas dos próprios vereadores, sempre vão à cozinha para bater um papo e aproveitam a visita para tomar um cafezinho. Populares também costumam beber água na recepção da Câmara e durante todas as reuniões, é uma cortesia servir um café. Caberá a servidora Nídia dos Santos Xavier fiscalizar se alguém fizer diferente. Foi justamente ela a acusada pelo vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), de estar furtando presunto servido no café. O pedido acontece a menos de uma semana, depois que Antônio do Lázaro foi condenado pela Justiça em primeira instância a indenizar a funcionária em R$3 mil. Na época, o presidente que sucedeu Sebastião Pacífico, Sérgio Silva cortou o presunto do café, para evitar as chacotas e piadas. Luis Carlos explicou que o pão é comprado apenas os servidores na Câmara, mas que não vai cortar o cafezinho do público das sessões, nem mesmo de quem passa pela Casa Legislativa.

No Grande Expediente, alguns disseram que se sentiram ofendidos quando a Imprensa disse que alguns legisladores estão brincando na Câmara. Portugal criticou a imprensa não ter falado sobre o projeto dele aprovado na semana passada que trata sobre a possibilidade de quitar o IPTU atrasado com desconto de juros e multas.

Pedido acontece após a polêmica do presunto
Da esquerda para a direita Itamar Diniz e Antônio do Lázaro, os vereadores mais falados da última semana em TP

O caso do vereador que acusou a funcionária pública de ter furtado o presunto, que era servido no café da Câmara Municipal de Três Pontas, ganhou destaque nacional, após a reportagem ser publicada com exclusividade no site da Equipe Positiva. A RecMinas afiliada da Rede Record no Sul de Minas também destacou a condenação do legislador que depois foi exibida no Programa Fala Brasil em rede nacional.

Para a TV Alterosa afiliada do SBT na região, o assunto rendeu mais ainda. É que quando uma equipe foi até o Poder Legislativo procurar pelo vereador Antônio do Lázaro, o vereador Itamar Antônio Diniz (PRTB), brincou com os jornalistas Kadu Lopes e Reginaldo Lopes, de que seria o vereador que eles procuravam, mas que não daria entrevista por não ter dinheiro para pagar. Depois, ao sair, jogou um copo plástico no chão e se desmentiu, dizendo que aquilo era brincadeira. Ambas as matérias foram veiculadas a nível estadual e repercutiu negativamente na Cidade. Em uma enquete realizada no dia seguinte, populares condenaram a atitude do vereador que despreza a lixeira para jogar lixo.

O caso aconteceu em julho de 2011. Além de reclamar com o então vereador Geraldo Alves Lopes (PMDB), não satisfeito, Antônio do Lázaro pegou e abriu a bolsa de Nídia para verificar se o presunto estava lá. Antônio já havia sido condenado criminalmente e, por ser réu primário, pagou um salário mínimo para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Agora por danos morais, a Justiça determinou que ele indenize a auxiliar legislativo. Em entrevista às emissoras de TV, ele disse que tudo não passou de uma brincadeira e que vai recorrer da decisão.

Projetos em tramitação não serão mais divulgados

Uma determinação do presidente Luisinho deixa imprensa e populares sem saber dos projetos que estão entrando e tramitando na Câmara Municipal. É que a partir desta segunda-feira (29), apenas os projetos que estão liberados para votação e foram colocados na pauta é que estão acessíveis. Aqueles que estão tramitando nas Comissões Técnicas e que muitas vezes entram em votação durante as sessões, não estão mais a disposição da população.

COMPARTILHAR

Comentários