A tradição na cordialidade em receber bem os romeiros e devotos do Venerável Padre Victor, se repete ano a ano. Muito antes do início do processo de beatificação, em 1998, por opção dos próprios trespontanos, serviam café e até comida àqueles que como os moradores de Três Pontas, já acreditavam nas virtudes que levaria o sacerdote campanhense-trespontano a honra dos altares.

A Associação Padre Victor começou a organizar e gerenciar isto tudo. Sempre contou com a doação dos fiéis para alimentar aqueles que vem a pé ou mesmo em romarias, milhares apenas com o dinheiro da passagem. O café com leite, pão e manteiga oferecidos na MG 167, nos postos de evangelização montados entre Três Pontas e Santana da Vargem, das 18 horas da véspera (dia 22), as 6:00 da manhã do Dia do Padre Victor e na Praça Cônego Victor, de 22 horas de terça-feira até as 9:00 horas de quarta-feira, rendeu muito mais do que o esperado.

Destaque

Os visitantes ficaram a vontade, se alimentaram o dia inteiro. Foi tanta coisa que o povo doou durante a Novena do Venerável Padre Victor, que sobrou muito coisa, principalmente café e açúcar. A Associação Padre Victor começou na tarde desta sexta-feira (25), a beneficiar entidades, associações, pastorais, movimentos e grupos que ajudam famílias carentes, além do Hospital São Francisco de Assis. Estão sendo entregues além do pó de café e açúcar, margarina, pão e leite. Não se tem a quantidade certa do que foi arrecadado e nem do que foi distribuído às entidades.

05Serão beneficiados o Carmelo São José, Pastoral da Criança das paróquias Nossa Senhora D’Ajuda e Aparecida, Paróquia Cristo Redentor, Pietá e Renascer, Mão Amiga que cuidam de dependentes químicos, Vila São Vicente de Paulo, Hospital São Francisco de Assis, Secretaria de Assistência Social da Prefeitura e Apae. Para algumas delas foram montadas cestas básicas.

Membro da Associação e responsável pela comunicação Denise Barbosa Reis Abreu, faz questão de lembrar que isto tudo foi adquirido no comércio local, pouca coisa veio de gente de fora, demonstrando que a economia é impulsionada na Festa do Venerável ano a ano. “Alguns acham que isto deveria ser cortado e o café não ser distribuído, mas ele tem o seu valor para quem vem e não tem dinheiro para gastar”, afirma Denise Barbosa.

BALANÇO Religiosidade foi diferencial

Agora em Três Pontas, na Rua Coronel Domingos Monteiro de Resende 14, sala 06, diferente de tudo que os trespontanos já viram. Venham experimentar
Agora em Três Pontas, na Rua Coronel Domingos Monteiro de Resende 14, sala 06, diferente de tudo que os trespontanos já viram. Venham experimentar

Ainda não deu tempo para reorganizar tudo, parar para fazer um balanço de toda a programação desenvolvida desde o dia 14 de novembro, quando começaram as comemorações dos 110 anos de morte de Padre Victor. O que ela não tem dúvidas é que a religiosidade – novenas, celebrações e pregações – foi mesmo de louvar a Deus e dizer ao este sacerdote que ele vai ter o título de Beato e isto está muito próximo.

Ainda não dá para apontar, segundo Denise, o que deve mudar para a Festa do ano que vem. A preocupação primordial agora é quanto a cerimônia de beatificação que já teve o horário confirmado pelo Vaticano, as 16 horas no Aeródromo Municipal. Parece longe, mas para tanta demanda, não há tempo para dias e dias de descanso. A Associação Padre Victor aguarda uma reunião com o Governo do Estado para definir questões relacionadas a beatificação do Anjo Tutelar Padre Victor.

COMPARTILHAR

Comentários