Os vereadores aprovaram na sessão ordinária desta segunda-feira (13) uma pauta extensa, porém, repleta de homenagens – Moções de Aplausos e Títulos de Cidadania Honorária Trespontana. É que as sessões solenes acontecem nas próximas semanas. Por isto, os assuntos mais relevantes foram no Pequeno Expediente e se estendeu até mesmo na discussão dos projetos de lei, dois já estavam na pauta e um foi inserido a pedido do vereador Antônio Carlos de Lima (PSD), líder do prefeito na Câmara.

O Plenário aprovou por unanimidade, isentando as dívidas da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, a Codemig, com o Município de Três Pontas. É que a Companhia tinha três terrenos que foram doados à Prefeitura e restou uma parcela em aberto de IPTU no valor de R$272,32.

Em termos de votação, o que mais gerou discussão e provocou emendas além da já apresentada nas Comissões Técnicas, se refere ao estacionamento de carga e descarga. O assunto é polêmico, divide opiniões e inclusive foi tema de Audiência Pública, que provocou uma emenda feita ao projeto apresentado pelo Poder Executivo. Atualmente, o horário para veículos ocuparem livremente as vagas na região central e fazerem suas entregas é de 18:00 horas as 9:00 da manhã do dia seguinte. Fora do centro é até as 10:00 horas. O horário proposto pela Prefeitura, protocolado no Projeto de Lei 136 de 20 de outubro, foi de 8:00 da manhã as 17:00 horas.

Antônio do Lázaro adotou o projeto e a Câmara Municipal promoveu inclusive uma Audiência Pública para debater o assunto. Comerciantes opinaram pela expansão do horário em mais duas horas – de 7:00 as 19:00 horas, atendendo segundo ele, um pedido dos comerciantes e uma emenda foi inclusa.

De imediato, o vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP) fez no próprio Plenário uma sub emenda aumentando para o horário de 7:00 para as 20:00 horas. Ela foi inclusa, discutida e votada.

Sérgio Eugênio Silva (PPS) opinou que deveria manter como está devido aos problemas que os motoristas já enfrentam no trânsito. Por isto, antecipou seu voto contrário.

Motorista de profissão, o vereador Luiz Flávio Floriano falou pela primeira sobre um projeto de lei. Defendeu a ampliação no horário e disse que os entregadores enfrentam dificuldades.

O horário de 7:00 as 20:00 horas não foi unanimidade entre os legisladores – Antônio, Sérgio e Marlene foram contrários, mas o projeto foi aprovado com a emenda de Robertinho.

Com pedido de urgência, o Orçamento foi alterado com crivo dos vereadores. As mudanças são no valor de R$32 mil na Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo, para garantir as festividades natalinas e do Reveillon e a manutenção das atividades da Secretaria Municipal de Esportes.

Em seguida os vereadores concluíram as votações deste ano de Moções de Aplausos, reconhecendo o trabalho de profissionais e Títulos de Cidadania Honorária, homenageando aqueles que não nasceram na Capital Mundial do Café, mas se destacam na comunidade. Foram seis Decretos Legislativos concedendo o direito de serem trespontanos de direito – o comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar Tenente Bruno Neves Tavares, a servidora aposentada do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Sônia Maria Pires da Silva, o Procurador de Justiça aposentado do Ministério Público de Minas Gerais, Dr. Duarte Bernardo Gomes, os párocos das Paróquias Nossa Senhora D’Ajuda e Nossa Senhora Aparecida padres Ednaldo Barbosa e André Rodrigues Vilas Boas, o jornalista da Equipe Positiva Denis Pereira dos Santos. Para terminar a pauta de votações, mais três Moções de Aplausos e Congratulações para: o Técnico Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Minas Gerais, o Grupo de Socorristas Voluntários “Anjos da Vida” e o treinador Carlos Henrique Araújo “Paulinho Zebrinha”.

De acordo com a Assessoria de Imprensa do Poder Legislativo, as 11 Moções aprovadas durante o ano serão entregues já na próxima segunda-feira (20), após a reunião plenária que vai começar as 18:00 horas.

A solenidade para a entrega dos Títulos, está agendada para o dia 30 de novembro, e serão 22 pessoas homenageadas.

Desabafo do provedor da Santa Casa irrita vereadores

As declarações dadas pelo provedor da Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis, Michel Renan Simão Castro, apimentaram o Pequeno Expediente, que arrastou por toda a reunião. Michel foi explícito em defender o deputado federal Diego Andrade, por causa de mais R$500 mil destinados à entidade, através de emenda parlamentar, mas, não poupou críticas ao vereador que ele chamou de falastrão, cobrando firme o que “seu” parlamentar havia trazido ou feito em prol da Santa Casa. Michel não citou, mas foi o vereador Érik dos Reis quem havia feito duras críticas ao Diego Andrade, avaliando que o parlamentar não estaria fazendo favor, ou mais do que sua obrigação, já que pela segunda Eleição consecutiva é majoritário no Município.

Antes da polêmica, o vice presidente Benício Baldansi (PSL) falou da final dos Jogos Outubro Rosa e Novembro Azul (JORNA) realizados no Ginásio Poliesportivo Governador Aureliano Chaves de Mendonça. A disputa terminou no fim de semana, mas a reclamação dele foi da quantidade de goteiras no telhado do Poliesportivo.

Robertinho tem acompanhado nas redes sociais, na Equipe Positiva e imprensa da região, as reclamações ao setor da saúde. Ele enumerou alguns dos problemas, como a falta de medicamentos, de ultrassom e de consultas com ortopedista.

“A gente não sabe aonde isto vai chegar”, protestou.  Ainda sobre a saúde, o vereador quer saber como a Prefeitura vai pagar o conserto de vans do Município que estão sendo restauradas em oficinas particulares. Ele acha também estranho, que a Secretaria de Saúde tenha alugado ônibus para fazer o transporte de pacientes, mas utilizar os servidores municipais como motoristas.

Maycon Douglas Vitor Machado (PDT) abordou vários assuntos. Começou registrando os eventos que participou na semana passada. A Conferência Municipal de Educação, que contou com a participação do Parlamento Jovem. O VI Encontro do Regimento Próprio de Previdência Social (RPPS) e neste domingo (12), o evento ciclístico realizado pelo SEST/SENAT, que contou com 500 ciclistas inscritos, com muita animação e um momento ímpar de entretenimento à comunidade, com o sorteio de dezenas de brindes.  Maycon Machado agradeceu o deputado Diego Andrade pela liberação de mais R$500 mil à Santa Casa e terminou dando uma notícia sobre a rodovia MG 167. Junto com o presidente da Câmara Luis Carlos da Silva (PPS), eles estiveram com o vice diretor do Departamento de Estradas e Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais (DEER) Dário Rutier Duarte. Presidente e secretário da Mesa souberam que o projeto da duplicação dos 26 quilômetros está pronto. Eles pediram então agilidade e mais empenho para que o projeto não fique no papel e sai de fato, diminuindo os acidentes entre Três Pontas e Varginha, garantindo mais tranquilidade e segurança aos motoristas.

Érik dos Reis usou todo o seu tempo no Pequeno Expediente e deu mais rápidas alfinetadas durante o debate dos projetos, sem chamar a atenção do presidente Luis Carlos. Sem citar o nome de Michel, Érik se referiu a todo o momento ao provedor da Santa Casa. Michel também não citou seu nome nas entrevistas que concedeu. Na Tribuna, Érik explicou que falastrão, como foi intitulado, significa falar demais ou mais do que deve. “Talvez eu tenha falado muito, mas nunca mais do que devo”. Sobre a cobrança que recebeu do que fez em seu mandato, o ex-secretário de Educação, disse que não enumeraria tudo, mas pontou ações que considera fundamental para a melhoria da qualidade da educação.

Direto ao provedor, o legislador contou que havia agendado através do deputado federal Dimas Fabiano (PP) uma audiência com o ministro da Saúde Ricardo Barros indicado pelo partido de Dimas, para tratar sobre recursos do Hospital de Três Pontas. Poucos dias depois, a audiência foi marcada e Michel informado, porém, recusou porque disse já teria ido até o ministro. “Ninguém sabia disso e eu poderia ter ficado quieto, como fiquei até hoje. As pessoas devem falar o que sabem”, repudiou.

Na visão dele, apesar de ter fixado faixa dizendo que o Hospital não fecha, hora nenhuma a população foi reconhecida pelo tanto que fez e colaborou sem pedir nada em troca. Entre eles, estão crianças de escolas que juntaram o “dinheirinho” em uma espécie de cofrinho.

Já Sérgio Eugênio Silva (PPS) iniciou falando sobre a Audiência Pública realizada na semana passada que mais uma vez foi um fiasco em termos de presença de público, inclusive a maioria dos vereadores não compareceram. “A população está desacreditada, por apresentar emendas e depois vê as suplementações retirá-las”, definiu.

Sobre o Hospital, Sérgio reclamou que não colocaram faixas para o deputado federal Dimas Fabiano, que ao longo dos anos sempre tem ajudado a entidade. Já sobre as declarações de Michel Renan, acredita não ter sido para ele seu desabafo, mas que deveria ter citado nome. Ele fez as contas comparando o número de votos, com o volume de recursos destinados através de emendas parlamentares e calculou de Diego Andrade com o de Renato Andrade, deputado federal que Serjão apoiou. Pelos cálculos, o voto de Diego que disponibilizou R$1 milhão foi majoritário saiu por quase R$70 e seu aliado R$4.750, aplicado em diversos setores.

Serjão elogiou o trabalho do Provedor do Michel Renan que é digno de aplausos, mas ficou indignado pela forma com que a Casa foi tratada, quando os vereadores foram chamados de falastrões. Mesmo depois de ter ouvido no mandato passado, de que vereadores não eram bem vindos na sede da Associação Comercial, cujo presidente é Michel Renan, Sérgio diz manter uma relação amistosa e respeitosa com ele.

Geraldo José Prado (PSD) “Coelho”, começou seu pronunciamento cobrando providências da Secretaria Municipal de Transportes e Obras sobre a situação precária das estradas das comunidades rurais Potreiros e Cascalho, que segundo moradores estão sem condições de tráfego.  Ele também reclamou que deixou na sede da Secretaria placas para serem produzidas 10 lixeiras, mas após ter rompido com a Administração, nenhum providência foi tomada e os moradores de diversos bairros estão aguardando as lixeiras serem instaladas.

A polêmica desta semana envolvendo Coelho, foi que o vereador, seu colega de partido, Antônio do Lázaro, tirou fotos que foram postadas na rede social da Secretaria de Obras anunciando a revitalização da Praça do bairro Padre Victor. Mas a melhoria havia sido uma solicitação de Coelho, onde está seu maior reduto eleitoral. Depois que ele rompeu com o Governo, Antônio esteve lá e adotou a obra, o que causou a ira de Coelho. Ele falou na Tribuna que o ato era uma pouca vergonha e não tem este perfil de puxar o tapete ou prejudicar nenhum colega. Tudo isto, porque eles [a Administração] o considera do bloco oposicionista, mas Coelho esbravejou na Tribuna que a maior oposição hoje que a gestão de Dr. Luiz Roberto enfrenta é a população, que está vendo o desgoverno.

Se por um lado, Coelho desabafou contra o prefeito, ele jogou confetes na sua esposa, a secretária de Assistência Social Iara Araújo Dias. Ele disse que tem visto o trabalho que ela tem feito a favor dos mais necessitados e agradeceu a primeira dama.

O provedor da Santa Casa Michel Renan enviou nota respondendo o vereador Érik sobre seu protesto. Mais uma vez ele não citou seu nome, mas, se defendeu claramente do posicionamento apresentado pelo vereador na Tribuna da Câmara durante o Pequeno Expediente desta segunda-feira (13).

Michel começou dizendo que na semana passada quando foi anunciar a chegada da segunda parcela da emenda parlamentar do deputado Diego Andrade no valor de R$500 mil de um total de R$1 milhão, houve por parte de um vereador criticas ferrenhas em desfavor deste Deputado.

“Fui às redes sociais para os devidos agradecimentos e direcionei minha indignação ao “vereador falastrão”(no singular) não direcionado “aos vereadores”, e este vereador sorrateiramente e oportunamente quis atrelar aos outros, o que era para ele. Tenha dó vereador, que papelão.

Este vereador disse ainda que eu noutra oportunidade disse que os vereadores não eram bem vindos na Associação Comercial, e eu disse mesmo, não fujo das minhas palavras ditas, não sou covarde. Posso arrepender e pedir desculpa,  mas naquela ocasião foi criada a Taxa de Inspeção e Vigilância Sanitária, taxa esta que até hoje não tem destinação concreta, tampouco finalidade reversiva, assim sendo nem poderia ser cobrada.

Estou até hoje presidente desta estimada e valorosa Associação Comercial, entidade que me propus bem representa-la, não omitindo tampouco deixando nosso Associado a mercê da imposição injusta. Não conseguimos reverter a taxa naquela ocasião mas combati e preparamos nossos Associados para se adequarem as imposições, condição esta que ficaria a cargo do Poder Público pois era remunerado para tanto.

Vivo agora algo parecido, a frente da nossa Santa Casa não vou admitir que o senhor vereador, reprima e condene emenda direcionada a Santa Casa, emenda esta que tanto vai nos ajudar. Uma entidade que salva vidas, emprega muitas famílias e é de todos nós, acredito que este vereador não deva estar em sã consciência, pois se estivesse não condenaria e sim agradeceria, pois gratidão é um gesto nobre.

Vereador a população não aguenta mais a velha política onde era mais fácil criticar e destruir, do que arregaçar as mangas e trabalhar em prol da cidade. Abra seus olhos pois esta postura de desconstruir prejudica nossa cidade. Jesus nos disse: “Quando Pedro fala de Paulo sei mais de Pedro que de Paulo”. Infelizmente as pessoas quando falam dos outros falam muito mais delas mesmas,  e não da pessoa a qual direciona a crítica.

Senhor vereador também trabalho muito. Em média 16 horas por dia e me sobra tempo de colaborar para um mundo melhor. Quando disse que eu não sei de nada, trouxe-me uma dúvida.  Em qual aspecto? Mas acredito que tenha razão, pois, todo dia aprendo algo novo.

Foto: Arquivo Pessoal

Quando disse que me convidou para irmos ao Ministro da Saúde, eu lhe disse que já havia ido até ele na semana anterior e as despesas dos meus deslocamentos são arcados por mim e não pela Santa Casa, daí minha recusa para ir até Brasília novamente.

Todo deputado que tenha enviado emenda será comemorado da mesma maneira que fizemos para Diego Andrade. Como eu disse gratidão é um gesto nobre.

Para o deputado Dimas Fabiano ainda não foi feito por questão de agenda dele”, diz a nota enviada por Michel Renan.

Ele também remeteu a mensagem que enviou a Dimas agradecendo pelo apoio e agendando uma visita para dar publicidade a emenda.

Michel Renan: Prezado Deputado Dimas Fabiano, bom dia.

Gostaria de agradecê-lo pelo direcionamento da emenda para nossa Santa Casa, Deus te abençoe e ilumine. Fica o convite para agradecê-lo pessoalmente e podermos dar publicidade. Michel Renan – Provedor.

Na nota, o provedor Michel Renan conclui agradecendo. “Cada dia estou mais convicto que a união faz a força, assim sendo agradeço todas a pessoas que de alguma maneira colaboraram e colaboram com nossa Santa Casa, e só venceremos os obstáculos se estivermos imbuídos e aglutinados nesta bela causa. E para encerrar pedirei ao Pai para dar-lhe discernimento e aclarar seus pensamentos, pois insistir no erro lhe trará enorme frustração. Deus te abençoe”.

COMPARTILHAR

Comentários