Os vereadores votaram e aprovaram 10 itens que formaram a pauta de votações da sessão ordinária desta segunda-feira (06), na Câmara Municipal de Três Pontas. Nove já estavam na relação divulgada pela Assessoria da Casa e um outro foi inserido durante a reunião, a pedido da secretária da Mesa Diretora, a vereadora Alessandra Vitar Sudério Penha.

O destaque é para três Projetos de Resoluções, que cria a Escola do Legislativo e separadamente institui os Programas Vereador Mirim e Vereador Jovem na Câmara dentro da Escola. A iniciativa é assinada pela Mesa Diretora, porém, quem se empenhou e trabalhou às implantações foi a vereadora Valéria Evangelista de Oliveira (PPS)., (foto) Ela teve o reconhecimento dos colegas que a parabenizaram pelo seu altruísmo.

DSC03377
Iniciativa foi de Valerinha, mas por questões burocráticas, quem assina o Projeto de Resolução é a Mesa Diretora da Câmara, mas vereadores reconheceram o trabalho feito por ela

A Escola do Legislativo de Três Pontas e os Programas “Vereador Mirim e Vereador Jovem de Três Pontas”, levam o nome da Professora Maria Rogéria de Mesquita “Dona Rogéria”. Suas atribuições são de interesse político-institucional; democráticos, aderindo caráter apartidário e de interesse político-institucional. O público alvo são Conselhos Municipais, lideranças comunitárias, parlamentares, assessores, servidores públicos, estudantes e sociedade. A Escola capacitará agentes políticos e servidores em diversos assuntos e áreas, como da Câmara Jovem, Câmara Mirim, coordenar e dar suporte ao Projeto Parlamento Jovem de Minas. A Escola do Legislativo funciona com presidente, diretor e assessor. O presidente precisa ser um vereador ou vereadora escolhido e nomeado pela Mesa Diretora da Câmara. O diretor necessita ser um servidor efetivo e o assessor pode ser nomeado também pela Mesa.

O Programa Vereador Mirim será formado por representantes das instituições do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano. O Vereador Jovem para estudantes do 1º ao 3º ano do ensino médio. Em ambos, eles precisam estar matriculados na rede municipal, estadual e particular de ensino e o número de representantes será definido pelo presidente da Escola.

A professora e advogada Maria Rogéria de Mesquita, que empresta seu nome à instituição, nasceu em 10 de abril de 1934 em Três Pontas. Cursou Ciências e Estudos Social na Faculdade de Filosofia de Três Corações e, posteriormente, o curso de Direito da Faculdade de Direito de Varginha. Atuou na Escola Cônego Victor, como professora e auxiliar na diretoria. Na Escola Jacy Junqueira Gazola, como professora e na Escola Coração de Jesus, como professora e vice diretora, tendo também trabalhado na Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira e na extinta Escola de Comércio Nossa Senhora d’ Ajuda. Ainda como escrevente e suboficial, atuou no Cartório do Registro Civil. Tia Rogéria, como era carinhosamente chamada por muitos trespontanos, ajudou durante a crise da Santa Casa em 1994. No processo de beatificação e canonização de Padre Victor foi notaria e fez parte da comissão história. Em 1996, participou da fundação da Associação Padre Victor de Três Pontas, da qual ela foi membro e se orgulhava. Sua paixão em manter vivas as virtudes e obras do sacerdote era tanta, que juntamente com Dona Nilce de Oliveira Piedade, escreveu a biografia “Padre Victor – O Homem de Deus para o mundo”. Dona Rogéria faleceu em 07 de julho. Os três projetos de resolução foram aprovados.

APROVADOS TAMBÉM

Projeto de Lei nº 105, que cria uma ação no Plano Plurianual, na Lei Orçamentária de 2014, para que em 2015, o Instituto de Previdência de Três Pontas possa construir com prioridade sua sede própria.

Alteração na lei orçamentária que estimou e fixou as despesas para 2014, abrindo crédito adicional suplementar, para a criação das fichas, as contas econômicas, de obrigações patronais no orçamento do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). O projeto foi aprovado, porém, Itamar Diniz, Antônio do Lázaro, Paulinho, Joy e Edson Vitor foram contrários.

Foi votado também, este a pedido de Alessandra, o projeto 096, do Executivo, que trata da regulação da tarifa social de água e esgoto. Ele faz correções de algumas distorções contidas na legislação atual.

A sessão terminou votando homenagens e honrarias que serão entregues pelo Poder Legislativo. Um Título de Cidadania Honorária Trespontana, indicado por Antônio do Lázaro, a Antônio Vicente de Brito, o popular Toninho Brito, que é natural de Santana da Vargem. Da vereadora Valerinha para a psicóloga e técnica em estudo para a conversão de áreas em unidades de conservação de proteção integral Regina Mara Lopes, com destaque à sua decisiva atuação nos estudos e projeto de proteção ambiental da Serra de Três Pontas.

O presidente da Câmara Sérgio Silva, homenageia com Moções de Aplausos, o comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar de Três Pontas, o 1º Tenente Bruno Neves Tavares, pelo recebimento da Comenda Alferes Tiradentes. Outros militares que se destacaram e receberam medalhas, foram os terceiros Sargentos PM José Roberto dos Santos, Adenilson Martins, José Juvenil da Silva e o mais antigo militar em atuação na 6ª Região da Polícia Militar, Sargento Geraldo Custódio Pereira. Todos estes foram aprovados por unanimidade.

COMPARTILHAR

Comentários