Os vereadores fizeram nesta segunda-feira (12), a penúltima sessão desta legislatura e o tom que tomou conta desde as Eleições de outubro, ganhou mais força nesta reunião, onde a despedida daqueles que não conseguiram se reelegerem para o mandato 2017/2020 foi mais clara.

Quem ocupou uma das cadeiras reservadas ao público no Plenário Presidente Tancredo Neves, foi a ex-vereadora Gleida Garcia Mendonça. Eleita para seu primeiro mandato para 2005/2008, ela acabou sendo cassada pela Câmara.

O Pequeno Expediente teve poucos vereadores inscritos, porém, as declarações em torno da inauguração da Orla no Distrito do Pontalete neste domingo (11) foram polêmicas.

Antônio Carlos de Lima (PSD), comentou a importância da melhoria no Distrito e deu os méritos à ex-prefeita Luciana Ferreira Mendonça. Questionou o ofício que recebeu do prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), respondendo que ele deveria saber o porque do atraso nas obras e pediu que a ex gestora fosse parabenizada.

O vereador líder do prefeito na Câmara Sérgio Eugênio Silva (PPS) falou da obra, reconheceu o mérito de Luciana Mendonça, mas afirmou que as pessoas não sabem a luta do atual prefeito Paulo Luis para resolver as dependências com a empresa que estava executando a obra. Sérgio denunciou na Tribuna, que o dinheiro que deveria ser aplicado nas melhorias do Pontalete foram desviados e para fazer campanha eleitoral. “O que não fazem para ganhar uma Eleição”, questionou.

O presidente Luis Carlos da Silva (PPS) começou a dar prosseguimento a sessão quando foi interrompido por Paulo Vitor da Silva (PSL), que disse que se houve desvio de dinheiro e ninguém tomou atitude é preciso ser esclarecido. Segundo Paulinho, não há denúncias relacionadas a este caso, por isto pediu que a fala de Serjão seja colocada na ata na íntegra. Sérgio não se intimidou e interpelou que quer ponto e vírgula do que disse documentos pelo Poder Legislativo.

Quem se despediu foi o vereador Edson Vitor Nascimento. “Piu” fez nos cinco minutos a que tem direito um relato da sua passagem pela Câmara. Informou que por conta de sua atuação foi condecorado com medalha pelo Instituto Tiradentes, que sai de cabeça erguida e com a sensação de dever cumprido. Fez solicitações a vários órgãos de todas as esferas, pediu, cobrou, foi atendido em alguns casos outros não. Relembrando seus votos, mencionou o posicionamento nos projetos polêmicos que votou durante estes quatro anos e, concluiu que os gastos com diárias e seus bens não precisam ser escondidos.

Logo após o Pequeno Expediente, a sessão foi suspensa para a entrega de duas Moções de Aplausos, de autoria da vereadora Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), ao técnico de telecomunicações Ismael Campos Tiso e ao sitiante Victor Cândido de Souza.

Na primeira fileira a ex vereadora Gleida Mendonça acompanhou uma parte da sessão desta segunda-feira
Na primeira fileira, a ex vereadora Gleida Mendonça acompanhou parte da sessão desta segunda-feira
COMPARTILHAR

Comentários