*Vereadores homenagearam o historiador Paulo Costa Campos com Diploma de Honra ao Mérito

Os vereadores da Câmara Municipal de Três Pontas, lançaram oficialmente durante sessão solene nesta segunda-feira (25), o Selo Personalizado em comemoração aos 160 anos de Três Pontas, celebrado em 03 de julho.

Diretores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, membros da Associação Padre Victor e autoridades políticas municipais prestigiaram a sessão, que também homenageou o professor, historiador e ex vereador Paulo Costa Campos.

O Selo contém seis fotografias: uma do plenário da Câmara de Três Pontas e ao lado outra da fachada do prédio que agora passa por reforma. Abaixo temos há uma foto da Praça Dr. Tristão Nogueira, a Praça da Fonte à noite e jorrando água. Na sequência três fotos importantes da cidade. A Igreja Matriz de Nossa Senhora D’Ajuda, a sede da Prefeitura e a Herma do Beato Padre Victor. Todas têm por objetivo marcar este momento histórico dos 160 anos de Três Pontas. A partir de agora, toda correspondência postada pela Câmara Municipal terá selo comemorativo. Quem precisar pode fazer uma solicitação na agência local e o custo é de R$32 a folha com 12 selos.

Na mesa principal da Câmara ficaram o presidente Luis Carlos da Silva (PPS), o prefeito de Três Pontas Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD) e o Superintendente de Operações Correios de Minas, Juarez Pinheiro Coelho Júnior.

A cerimônia foi rápida, contou com a participação de músicos do Conservatório de Música Heitor Villa Lobos e a da Corporação Musical Luiz Antônio Ribeiro, que no hall de entrada da Câmara tocou os Hinos do Centenário de Três Pontas e de Padre Victor.

Os discursos foram restritos a poucos. O vereador Érik dos Reis Roberto (PSDB) falou em nome dos demais legisladores. Após ouvir a história da cidade, destacou a importância de um aniversário e de todas as pessoas que vieram de fora, abdicaram de suas vidas e trabalharam por uma Três Pontas melhor nestes 160 anos. Na opinião dele, o Selo traz parte da história, que não pode morrer, como não deixou o historiado Paulo Costa que sabe com requintes de detalhes o passado e a história.

 

O prefeito Luiz Roberto é um exemplo disso. Natural do Rio de Janeiro, escolheu Três Pontas a cerca de três décadas, ama a cidade e por isto disputou Eleições para ser mais que um simples cidadão que ama o Município. Citando exemplos das referências que a cidade tem, como Milton Nascimento e o Beato Padre Victor, que não são daqui, disse que Três Pontas. “Existe a diferença de ideias, mas não do amor por Três Pontas”, terminou o prefeito Dr. Luiz.

O presidente da Câmara Municipal Luis Carlos da Silva disse que recebeu bem a ideia do lançamento do Selo, que atrasou por questões burocráticas que demanda tempo no setor público. “Não se trata apenas de um selo, é mais do que isso. É uma marca que fica para a história. Quando um selo personalizado é lançado como o da Câmara, além de ficar para a história da cidade, vai ficar marcado na vida de todo mundo que recebe”, justificou.

Ele comungou com as palavras do gestor, e acrescentou que Três Pontas é uma ótima mãe, mas também uma ótima madrasta. Ele mesmo é um deste exemplo. Nasceu em Campos Gerais, mas construiu sua história na Capital Mundial do Café. “Hoje Três Pontas tem um prefeito carioca e um presidente da Câmara natural de Campos Gerais”, diz o vereador Luis Carlos.

As primeiras obliterações do Selo Personalizado foram feitas pelo presidente da Câmara Luis Carlos da Silva o prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias e pelo presidente da Associação Padre Victor Airton Milton de Andrade.

Para o Superintendente de Operações dos Correios, Juarez Pinheiro, o Selo e o Carimbo lançados, ao serem utilizados nas correspondências, levarão a todos os cantos do mundo, a marca de Três Pontas e de seus 160 anos de história. “Os Correios se orgulham de fazer parte de tão importante comemoração e parabeniza a todos que diariamente cumprem sua missão e contribuem para o desenvolvimento de Três Pontas, com inovação, sem abandonar as tradições”.

Na Capital Mundial do Café, os Correios entregam por mês, em média, 15.400 objetos entre registrados e encomendas e 132 mil objetos simples.

Paulo Costa foi homenageado com título de Honra ao Mérito na Câmara Municipal

Personagem fundamental na história

A história de Três Pontas foi contada pelo mestre de cerimônias, Francisco Cândido para fazer justiça a cerimônia e ao homenageado da noite. O professor, historiador e ex vereador Paulo Costa Campos (foto), que recebeu um Diploma de honra ao Mérito.

Ele tem 92 anos, é personagem fundamental na história de Três Pontas. Portador de uma memória irretocável, o trespontano sabe tudo de nossa história e buscou ao longo de sua vida preservar esta história. Nunca se negou a dar informações sobre fatos históricos, famílias ou pessoas que ajudaram no desenvolvimento de Três Pontas.

Paulo Costa tem 5 filhos, 10 netos e um bisneto. Iniciou seus estudos primários no Grupo Escolar Cônego Victor em 1932. Matriculou-se depois no Ginásio São Luiz em 1936, tendo se formado em 1941. Em 1996, entrou para o curso de Matemática graduando-se em 1968. Em 1942, prestou serviço militar obrigatório no Tiro de Guerra, na cidade de Varginha.

Foi para Belo Horizonte em janeiro de 1943, a fim de fazer o curso bancário, no Bando de Crédito Real de Minas Gerais. Ingressou no banco na cidade de Três Corações, em abril de 1943, onde permaneceu até outubro de 1945, quando foi transferido para a Agência de Três Pontas, onde exerceu as funções de tesoureiro e contador, até setembro de 1952. No mesmo ano, prestou concurso para o Banco do Brasil e no mesmo ano foi para Poços de Caldas, depois em 1953, onde permaneceu até 1959. Depois veio trabalhar na sua terra natal, até sua aposentadoria em novembro de 1975, exercendo as funções de investigador de cadastro, Chefe do Serviço na Carteira Agrícola, fiscal da mesma carteira e Ajudante de Serviços.

Quando voltou para Três Pontas, dedicou-se ao magistério como professor na Escola de Comércio Nossa Senhora da Ajuda, nas cadeiras de Matemática, Contabilidade geral e Comercial. Lecionou ainda na Escola Estadual Deputado Teodósio Bandeira Campos, no antigo Curso Científico, a disciplina de Física, primeira e segunda séries.

Promoveu vários cursos, a fim de preparar candidatos a concurso de admissão no Banco do Brasil, funcionalismo público e outros.

Paulo Costa Campos foi fundador e primeiro presidente do Serviço Trespontano de Assistência Social (STAS), também conhecido como Casa da Crianças no final de 1965, no local onde teve início a Apae, da qual foi o primeiro vice presidente.

Membro de várias diretorias do Trespontano Olímpico Clube (TOC), como tesoureiro, secretário e presidente.

Participou de várias diretorias do Clube Recreativo Literário Trespontano.

Foi membro do diretório do PSD e presidente do PFL. Foi vereador de 1983 a 1988 em Três Pontas, exercendo a função de presidente da Câmara Municipal no biênio 1987 e 1988.

É autor do livro Dicionário Histórico e Geográfico de Três Pontas. Assina uma coluna no Jornal Correio Trespontano sobre a história da cidade e de genealogia.

COMPARTILHAR

Comentários