Sem critérios para usar ou não a Tribuna da Câmara Municipal, os vereadores fizeram suas manifestações no Pequeno Expediente na sessão desta segunda-feira (01). Alguns não tiveram o trabalho nem de se levantarem das suas cadeiras, outros, ou os de sempre, foram até a frente.

José Henrique Portugal (PMDB), fez um requerimento ao vereador Vitor Bárbara presidente da Comissão de Justiça e Redação da Câmara, que deferiu a realização de uma Audiência Pública, agendada para o dia 10 de setembro as 18 horas, para debater a implementação do programa de incentivo ao desenvolvimento econômico de Três Pontas, através  geração de emprego e renda. Bastante complexo, é pela primeira vez na história que isto está sendo feito e se for aprovado pelo Legislativo e sancionado pelo Executivo, além das indústrias terão incentivos, comerciantes e pessoas jurídicas ou físicas que prestam qualquer tipo de trabalho. Segundo Portugal, ele fez um trabalho de pesquisa em municípios do País onde deram certo. “Ele é fruto de uma junção e coloquei tudo aquilo que é possível para adaptar para Três Pontas. Por isto, já reunimos vários seguimentos da sociedade que aprovaram a iniciativa. É um projeto audacioso e a população precisa tomar conhecimento e participar”, diz.

Antônio Carlos de Lima (PSD), pediu ofício ao órgão responsável da Prefeitura que trata sobre o funcionamento da antena de telefonia móvel que está instalada no Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário. Segundo soube, desde março, o contrato com a empresa que dá manutenção venceu e desde então está em licitação. Porém, já fazem 15 dias que a antena já está sem sinal da Vivo.

Antônio do Lázaro voltou a falar sobre a quadra que está localizada no Quilombo, pronta mas sem ser inaugurada ou entregue à população. Na semana passada, várias pessoas invadiram o local que é público. Isto segundo ele, por conta da revolta em ver o espaço pronto para ser usado e os moradores da comunidade rural não ter como utilizá-lo. A obra foi feita pela administração da ex-prefeita Luciana Mendonça e restou a atual gestão fazer a conclusão. “É uma vergonha, pegar tudo pronto e não ter competência nem para inaugurar. É lamentável ver que precisaram invadir para desfrutar de uma área esportiva que é do povo e que nós lutamos muito para que ela acontecesse”, lamentou Antônio.

Paulo Vitor da Silva (PP), concordou com o colega de bancada. E continuou registrando que a insatisfação da comunidade contra a Administração é enorme. “São coisas que a gente não consegue entender. O povo está sofrendo com tanta inércia e precisa de muito mais”, afirmou Paulinho.

Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), parabenizou pela organização de mais uma etapa do Festival Nacional da Canção (FENAC) que foi realizado na última sexta e sábado em Três Pontas. Ao citar a importância do encontro de músicos, ela leu reportagem publicada pela Equipe Positiva no fim de semana.

Francisco Botrel Azarias (PT), cobrou o Poder Executivo através de ofício, a posse do Conselho Municipal Anti Drogas. A correção já foi feita retirando a participação do Ministério Público, mas a efetivação ainda não aconteceu e Chico Botrel quer saber se pode ajudar a concluir os membros do conselho.

Outra preocupação do vereador foi quanto a uma fila enorme que ele viu na porta da Secretaria Municipal de Saúde hoje de manhã. Teve gente que chegou as 22 horas da noite anterior, enfrentou frio e chuva e pode ser que não se enquadre e não consiga marcar seus exames. O serviço é terceirizado, mas é preciso empenho de todos, criticou Botrel.

COMPARTILHAR

Comentários