Campanha externa teve a participação de 200 doadores. Meta era 150 e ainda teve gente que foi dispensada

A manhã chuvosa deste sábado (30), não espantou doadores de sangue que haviam inscritos, para fazer a doação na campanha que trouxe até Três Pontas a equipe da Fundação Hemominas de Poços de Caldas. A captação aconteceu no Centro Integrado de Assistência a Mulher e a Adolescente Maria Luiza de Mello Vicentini, no bairro Botafogo.

O pintor Wagner da Silva de 54 anos pratica este ato desde 1996 e aproveitou a coleta externa do Hemominas para doar. Ele está sempre doando, vai a Poços de Caldas sempre que pode e revela que a vinda da Fundação facilita a doação. “Faço questão de doar porque sei que há muita gente precisando e que este simples ato salva a vida das pessoas”, afirmou o doador, que estava concluindo a doação depois de 40 minutos.

A meta era inscrever antecipadamente 150 doadores, mas 200 conseguiram se cadastrar. Mas teve gente que procurou a unidade neste sábado e foi dispensado, mas, claro convidado a doar em outra oportunidade. Os doadores foram atendidos primeiro pelos estudantes do curso de enfermagem da ETEC, que fizeram primeiro a triagem, verificando os sinais vitais, depois eles responderam a um questionário para em seguida fazerem a doação.

Movimento na recepção do CIAMA foi grande durante toda a manhã

De acordo com a farmacêutica e responsável pelo Banco de Sangue Adriana Beatriz Zacaroni, os trespontanos demonstraram mais uma vez a solidariedade, reconhecendo a importância de doarem, prova disso, é o sucesso da campanha.

A captadora do Hemominas Lauriceia Esteves Cardoso explica que a Fundação é responsável por abastecer o Banco de Sangue do Hospital São Francisco de Assis, por isto, todo sangue utilizado em pacientes de Três Pontas e das cidades que pertencem a microrregião vem de Poços de Caldas. Ela revela que a coleta externa deixa a instituição mais próxima do doador e a facilidade é muito maior. Muita gente tem dificuldade em se deslocar até a unidade, mesmo que o Hospital e a Prefeitura ofereça tudo gratuitamente. Todas as sextas-feiras, um veículo van ou microônibus vai até a cidade. O Hemominas funciona de segunda a sexta-feira de 7:00 as 11:30 da manhã, sendo que toda quarta-feira tem um horário alternativo para a captação, de 16:00 as 20:00. E todo primeiro sábado do mês, os funcionários atendem no período da manhã.  A coleta externa acontece nos municípios da região uma vez ao ano. Porém, a capacidade de doação vai muito além. Os homens podem doar a cada 60 dias e a mulher a cada 90. Ou seja, em um período de 12 meses, homens fazer 4 vezes e mulheres 3 três vezes ao ano.

Todo tipo sanguíneo é preciso, mas os mais difíceis de serem captados são os negativos, os mais raros e mantém o estoque dele no Hemominas não é tarefa fácil. “É muito dinâmico a entrada e saída de pacientes nos hospitais e assim também o estoque sanguíneo. A nossa luta é constante e freqüente e apesar destes mutirões de coleta externa, a gente não para de fazer apelo pela consciência das pessoas”, alertou Lauricéia Cardoso.

A responsável pelo Banco de Sangue Adriana Zacaroni, afirma que o Hospital em feito um trabalho bom de captação, mas pela logística e a distância as vezes não consegue o ideal, ou seja, o número suficiente de pessoas para que toda semana faça a doação. Ela deixa claro que o doador não tem custo algum. O transporte é oferecido pela Prefeitura e o Hospital paga pela alimentação, após a captação. Quem vai até a cidade recebe um atestado.

O prático de farmácia Lázaro Donizete Carvalho tem 61 anos e está doando pela segunda vez. Ele viu a publicação da reportagem no site da Equipe Positiva e decidiu ajudar. “Como está faltando muito sangue no banco de sangue, resolveu ajudar o próximo. A gente tem que retribuir aos outros, aquilo que nos Deus nos dá”, disse ele.

Na mesma sala estava Aline Aparecida Silva de 28 anos. Ela é técnica de enfermagem do Hospital e diariamente vê a necessidade dos pacientes por uma bolsa de sangue. Ainda mais que o seu irmão, Aislan José Silva, é o captador de sangue do Banco da Santa Casa de Misericórdia. Esta também é a segunda vez que ela doa.

As 11:30 da manhã, 25 litros de sangue captados já estavam sendo levados em caixas térmicas para Poços de Caldas.

Assista a reportagem

COMPARTILHAR

Comentários