Com a temperatura caindo no outono e no inverno, começa a temporada de vacinação contra o vírus influenza, causador da gripe. Em Três Pontas são 14.639 que fazem parte dos grupos vulneráveis e vão receber a dose no SUS

Todas as unidades básicas de saúde de Três Pontas, estão com as salas de vacinação com doses suficientes para atender todos os grupos prioritários que devem se imunizar na Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza. Os postos funcionam de 7:00 as 16:00 horas e a Policlínica, na Avenida Oswaldo Cruz, está com horário estendido, até as 20:00, somente nesta semana, possibilitando que os trespontanos se imunizem contra a gripe o quanto antes e ainda coloque em dia o cartão de vacina. O Dia D, considerado a data mais importante de mobilização nacional, está marcado para 12 de maio, um sábado, quando em todo o Brasil 65 mil postos de vacinação estarão abertos. A campanha vai até o dia 1º de junho.

Nestes primeiros dias, o movimento está pequeno nos postos de saúde. Em Três Pontas, fazem parte do público alvo que pode receber as doses gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), 14.639 pessoas. A estimativa é que se vacine: 93.073 crianças de 6 meses 5 anos; 873 trabalhadores da saúde; 493 gestantes; 81 mulheres que estão com 45 dias após o parto; 6.177 idosos; 3.559 com doenças crônicas, 383 professores e cerca de 250 detentos. De acordo com a coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Lara Miranda da Silva, o Município recebeu vacinas suficientes para atender aos grupos de risco. Ano passado, apenas a meta de imunização das crianças não foi cumprida. A meta é de 90% para cada faixa etária.

CUIDADO A gripe mata

O Ministério da Saúde tenta com a campanha, diminuir o impacto da gripe em todo o país. Quem faz parte dos grupos de risco para complicações da doença a participação é primordial. A gripe é uma doença séria, que mata mais de 650 mil pessoas todos os anos, de acordo com um recente levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além de causar aqueles sintomas clássicos — febre alta, nariz entupido, cansaço e dor no corpo —, ela está por trás de complicações como pneumonia e infarto.

O Ministério da Saúde adquiriu 60 milhões de doses para a campanha. A Influenza (gripe) é uma infecção respiratória e existem três tipos: A, B e C. Os sintomas aparecem de uma hora para a outra e podem ser febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. Casos mais graves apresentam complicações como pneumonia e síndrome respiratória aguda grave (nesses casos é necessária a internação).

O tratamento consiste em beber água, descansar e consultar um médico para receitar os medicamentos antivirais. Segundo o Ministério da Saúde, pessoas com gripe devem evitar sair de casa em período de transmissão da doença, evitar aglomerações e ambientes fechados e adotar hábitos saudáveis.

Os especialistas lembram que a vacina da gripe não causa gripe. Ela não contém o vírus. As reações que da vacina pode dar são: dor no braço, braço quente e inchaço. Em casos raros, a pessoa pode ter um mal-estar leve. 

Quem deve tomar a vacina?

Não há quase contraindicação para a vacina. Quem não tem alergia aos componentes do imunizante, pode se vacinar. Pessoas que fizeram transplante, pessoas com pressão alta, pessoas com diabetes e outras condições, devem e podem tomar o imunizante. Aqueles que passaram por cirurgia recente ou tomaram uma outra vacina, também podem se vacinar normalmente.

A vacina tem reações? Posso ficar doente?

O vírus não causa reações porque está morto. A maioria das reações será consequência de processos deflagrados pelo próprio sistema imunológico. A reação mais frequente é a dor na região em que a vacina foi aplicada. Em alguns casos, há a possibilidade de um pouquinho de febre e um mal-estar geral — também por reações ao sistema imune. Já em situações raras, é possível que ocorra reações alérgicas, como a vermelhidão na pele, lábios inchados e a língua mais grossa.

 

COMPARTILHAR

Comentários