*Em Três Pontas são 14 mil pessoas aptas a  vacinar que fazem parte dos grupos prioritários

A Secretaria Municipal de Saúde de Três Pontas começa na próxima segunda-feira (17), a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza. O período de imunização este ano será entre 17 de abril a 26 de maio e o Dia D da campanha no sábado dia 13 de maio, quando todas as Unidades Básicas de Saúde de todo o Brasil estarão abertas.

A vacinação é para integrantes dos grupos considerados prioritários: maiores de 60 anos, trabalhadores de saúde, crianças entre seis meses e 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias depois do parto, população indígena, funcionários do sistema prisional e presos, além de pessoas com doenças como diabetes e hipertensão. Pela primeira vez, a vacina também será oferecida para professores de escola pública e particular, qualquer que seja o nível de ensino.

A meta é vacinar 90% do público-alvo, um porcentual maior do que anos anteriores. Em Minas Gerais, foram registrados em 2016, 631 casos e 195 mortes causadas pela gripe H1N1. Em Três Pontas foram 11 e nenhum óbito.

Em Três Pontas devem tomar a vacina 1.068 crianças de seis meses a dois anos, 2.087 de 2 a 4 anos, 873 trabalhadores da saúde, 534 gestantes, 88 puérperas, 6.177 idosos, 3.559 comorbidades, num total de 14.386.

Em Santana da Vargem 126 crianças de seis meses a dois anos, 283 de 2 a 4 anos, 145 servidores da saúde, 63 gestantes, 10 puérperas, 830 idosos, 430 comorbidades, totalizando 1.887 vacinas que devem ser aplicadas contra a gripe.

O objetivo de vacinar é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus influenza, na população alvo para a vacinação. A maioria das mortes por influenza sazonal é registrada em idosos. Entretanto, as taxas de hospitalizações em crianças menores de cinco anos são tão elevadas quanto às observadas no grupo de idosos. Em adultos, a maioria das complicações e mortes ocorre em pessoas portadoras de doenças de base, enquanto em crianças menores de cinco anos de idade, a maioria das hospitalizações e quase metade das mortes ocorrem em crianças previamente saudáveis, particularmente, no grupo menor de dois anos de idade.

A vacina contra gripe é contraindicada para pessoas com alergia a ovo de galinha, seus derivados e para aquelas que tenham histórico de reação anafilática ao imunizante. A vacina em casos raros pode provocar dor, vermelhidão e enrijecimento no local da aplicação. Estudos demonstram que a vacina reduz entre 32% e 45% as hospitalizações por pneumonias. O imunizante também reduz entre 39% e 75% a mortalidade por complicações da gripe. (Imagem de destaque: ilustrativa)

 

COMPARTILHAR

Comentários