Os candidatos a prefeitura de Três Pontas apresentam nesta quinta-feira (29), o último programa eleitoral gratuito no rádio. Os três candidatos, Wanderley Vitoriano (PSOL), Paulo Luis Rabelo, da Coligação “A Mudança Já Começou” e Luiz Roberto Laurindo Dias da Coligação “Muda Três Pontas” se despediram de formas parecidas.

Com o menor tempo, Wanderley Vitoriano disse que não foi fácil enfrentar tantas injustiças e a luta com os poderes foi árdua. Terminou agradecendo os eleitores, acreditando na vitória.

O programa do atual prefeito e candidato a reeleição, Paulo Luis, apontou as falhas da Administração anterior, que segundo ele deixou um rombo de R$9 milhões que impediram que tantos investimentos fossem feitos. Acusou o adversário de prometer o universo para conseguir o voto dos eleitores. O programa reproduziu uma entrevista de Dr. Luiz Roberto de 2012, quando ele teria afirmado que não teria tempo para conciliar a Prefeitura com seu consultório médico.

O programa de Dr. Luiz Roberto terminou com uma entrevista com o candidato falando da caminhada que fez durante estes 45 dias. Da oportunidade que teve mais uma vez de ouvir as pessoas em várias partes da cidade e do carinho que recebeu das famílias, que segundo ele, clamam por mudança. Agradeceu em especial, sua equipe, família e seus filhos.

Terminou também hoje, as inserções dos candidatos a vereadores, que durante 35 dias apresentaram suas propostas nas cadeias de rádio e TV.

Já no sábado (1º), véspera das Eleições 2016, até as 22h, a lei autoriza a distribuição de material gráfico, volantes, santinhos e outros impressos.

Também o último dia para os candidatos fazerem caminhadas, carreatas, passeatas ou usar carros de som.

2 de Outubro

No domingo (2), Dia das Eleições 2016, é proibida qualquer propaganda dos candidatos. Também está vetada a propaganda de boca de urna e qualquer tentativa de influenciar a vontade do eleitor, inclusive a aglomeração de pessoas com roupas padronizadas, até o término da votação.

Nas seções eleitorais, os mesários e funcionários da Justiça Eleitoral também ficam proibidos de usar roupas ou outros objetos que contenham propaganda de partido político, de coligação ou de qualquer candidato.

Os fiscais dos partidos políticos, que conferem os trabalhos de votação, só é permitido que, em seus crachás, constem o nome e a sigla do partido político ou coligação a que sirvam. É proibida a padronização do vestuário.

É permitida divulgação de pesquisas a qualquer momento, desde que tenham sido realizadas até a véspera e, depois das 17h, para as pesquisas feitas no dia da eleição.

Ao eleitor é permitida a manifestação individual e silenciosa de sua preferência por partido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos.

COMPARTILHAR

Comentários