O tempo instável deste domingo (17), não adiou novamente o #DiaD, apenas fez que o evento fosse transferido para a Cidade. Ao invés do alto do Morro da Cocada, onde é possível ver um belo por do sol, a Praça do Centenário, que foi inaugurada quando Três Pontas completou seus primeiros 100 anos, em 1957, foi o local escolhido.

Foi “embaixo” do enorme monumento do arco íris, que os músicos trespontanos tocaram e encantaram. As tradicionais canções da MPB embalaram a tarde nublada e quando a noite caia, o som do pop rock e rock roll fez a galera agitar. A chuva não veio, mas mesmo se viesse ela não seria motivo para tirar a alegria de tanta gente, inclusive de cidades vizinhas que conectados nas redes sociais, formam uma corrente de boas energias exemplos. Tanto é que nas redes sociais, o assunto ganha compartilhamentos e curtidas, todo mundo confirmando presença.

12

Grupo de Teatro Encenart subiu no palco e andaram fazendo "os sombras" nas pessoas que curtiam o show
Grupo de Teatro Encenart subiu no palco e andaram fazendo “os sombras” nas pessoas que curtiam o show

O propósito do DiaD, é levar a música, compartilhar bons momentos, e a conscientização de que depende de cada um de nós, para fazermos um mundo diferente e melhor. O show que foi cancelado em dezembro, justamente por causa da chuva, teve novamente Adriano Kamy e Natasha Maria no palco. Com eles, músicos de talentos, de Três Pontas mesmo – Alex e o filho Mateus Tiso, no saxofone e violino, na bateria Fernando Augusto Marchetti e André Silva Rosa no baixo. Os participantes foram convidados a colaborar com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), doando alimentos não perecíveis. A Cocatrel disponibilizou sacolas plásticas para que o público guardasse o lixo produzido durante a apresentação. Foram muitos patrocinadores que colaboraram, para que Kamy e Natasha subissem novamente no palco e voltasse a realizar o projeto que nasceu em uma brincadeira, durante um churrasco e tudo foi ganhando forma. O primeiro foi realizado no alto da Cocada, bem perto onde em 1977, Milton e seus convidados tocaram e marcaram a história da música do Brasil, partindo de Três Pontas.

De acordo com Kamy, a ideia é trazer de volta uma nova

Kamy planeja repetir ainda este ano, o festival realizado na década de 70 em TP
Kamy planeja repetir ainda este ano, o festival realizado na década de 70 em TP

geração do Clube da Esquina. O nome até já existe, “Do Outro Lado da Esquina”, trazendo de volta encontros memoráveis de nomes da música popular brasileira. “Estes são na verdade, ensaios para um grande festival que pensamos realizar ainda este ao, convidando inclusive Milton Nascimento”, disse Kamy.  Um dos maiores nomes da música vai receber um vídeo gravado neste domingo, em que em coro, pedem a presença dele, para uma repetição do evento da década de 70, parte 2, em 2016.

Sobre a parceria dele com Natasha, Kamy, revela que eles sempre foram amigos, unidos é claro pela música. Os dois demonstram no palco sintonia e suas vozes se completam.

09

COMPARTILHAR

Comentários