SAMSUNG CAMERA PICTURES

“Deus me deu mais uma chance”. É o que não tem dúvidas o comerciante Geraldo José Prado, o popular “Coelho do Bar”. Depois da situação que passou e nunca imaginou viver aos 42 anos de vida, ele retoma suas atividades profissionais desejando que ninguém sofra o acidente como o que se envolveu na tarde deste domingo (05).

Coelho possui um bar e uma loja de conveniência na Avenida Ipiranga. Vive uma vida corrida e no domingo estava com uma lista de entregas de bebidas para fazer. Estava a caminho da Rua Sergipe, passava pela Rua São Paulo e quando foi atravessar a Rua Matogrosso, próximo da Praça das Lavadeiras no bairro Santa Edwirges foi surpreendido por uma linha chilena em seu pescoço. Um menino estava com o material preso em uma cerca e puxava quando de moto, Coelho foi atingido. Tudo foi muito rápido e quando percebeu já estava com a linha enrolada em seu pescoço. Mesmo assim, conseguiu reduzir a velocidade, que não era tanta e já percebeu que perdia muito sangue. Um primo dele, que mora bem perto o socorreu e o levou para o Pronto Atendimento Municipal (PAM). Lá foi prontamente bem atendido e o resultado foram 16 pontos no pescoço.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Depois de receber o atendimento conversou com o médico que o comerciante não lembra o nome, mas não esquece a informação de que ele poderia ter morrido. Há muitos casos como este, em que os motociclistas tem a cabeça cortada e outras situações bem piores. “O doutor me disse que eu podia agradecer a Deus por estar vivo, porque episódios desta maneira costumam morrer”, acrescentou. Na hora pensou apenas na família, que esposa, mãe e neto precisam dele.

O caso dele é apenas um, entre muitos que acontecem, mas que talvez seja pouco divulgado. Coelho aproveita para aconselhar os pais que observem se seus filhos estão usando cerol na linha, principalmente nesta época de férias. A linha chilena pelo que o comerciante soube, é mais perigosa que o cerol. Algumas crianças e adolescentes tem ultimamente usando até ferro para fazer o cerol, deixando a linha ainda mais cortante e aumentando o perigo para ele e para os outros.

COMPARTILHAR

Comentários