Com a chegada do período eleitoral e o fim do mandato, os vereadores buscam conquistar eleitores e consequentemente votos para a reeleição. Com isto, as sessões da Câmara Municipal se transformam em palanques ficando mais evidente as diferenças políticas.

Acompanharam a reunião desta segunda-feira (27), os ex-vereadores Marcelo Chaves Garcia e João Victor Mendes de Gomes e Mendonça e o presidente da Associação Comercial e Agro Industrial de Três Pontas (Acai-TP) Michel Renan Simão Castro.

De ambos os lados, situação e oposição fizeram suas publicidades no Pequeno e Grande Expediente. Os vereadores divulgaram aquilo que estão fazendo. O bloco da situação divulgou as ações promovidas pela Administração, reconhecendo as dificuldades e a oposição afinou os discursos de combate a atual gestão, demonstrando que é preciso melhorar.

Sem projetos na pauta de votações, os legisladores Antônio Carlos de 07Lima (PSD) e Paulo Vitor da Silva (PSL), tentaram inserir dois itens, mas eles foram indeferidos pelo presidente Luis Carlos da Silva (PPS). A justificativa é que faltam os pareceres completos das Comissões Técnicas.

No Grande Expediente, a fala que mais chamou a atenção foi do vereador Antônio do Lázaro. Ele usou durante um bom tempo o microfone na Tribuna e em determinado momento, acusando a atual Administração em não fazer nada, esbravejou. “Falam que houve desvio no mandato passado, mas pelo menos foi feito alguma coisa e agora”, revelou o vereador.

TRIBUNA LIVRE

A psicóloga Aparecida Maria Chaves Garcia se inscreveu na Tribuna Livre da Câmara para divulgar um projeto que está sendo desenvolvido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Ele se chama “Olhar Acompanhamento Infantil” que busca detectar o sofrimento psíquico em bebês. Por isto, duas avaliações são feitas, aos três e aos nove meses e um dos focos é identificar o autismo.

São quatro psicólogas que atuam e o atendimento no Município é toda quinta-feira. Três Pontas é uma das cidades polos, juntamente com Varginha e Poços de Caldas, mas ele abrange 17 municípios.

Os recém nascidos na Maternidade do Hospital São Francisco de Assis são todos encaminhados além para o “Teste da Orelhinha” à este novo projeto.

COMPARTILHAR

Comentários