Profissionais da rede estadual de ensino de Três Pontas, realizaram um protesto no Centro da cidade, no fim da tarde desta quinta-feira (23).

Vestidos de preto, usando apitos e distribuindo panfletos para chamarem a atenção, professores fizeram um ato pacífico demonstrando a insatisfação da Reforma da Previdência que o Governo Federal pretende que seja aprovada pelos deputados federais no Congresso Nacional.

Nas escadarias da igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, na Praça Cônego Victor, os professores que estão em greve, cantaram o Hino Nacional e saíram em passeata por algumas ruas, passando em frente ao Fórum Dr. Carvalho de Mendonça e a Prefeitura.

Um dos líderes do movimento, o professor Cristiani Marcelo Machado Pirâmides, da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Minas Gerais, afirmou que o movimento não é apenas contrário por causa das mudanças prejudicais aos profissionais da educação, mas também ao homem do campo e da construção civil, que terão que trabalhar muito mais para se aposentarem, caso a reforma seja aprovada. Os professores terão que ficar 15 anos a mais nas salas de aulas, em atividades, para depois se aposentarem. A situação considerada deplorável por Piramides, é que o caso das mulheres do campo que tem dupla jornada, não está sendo analisada.

O líder da CUT no movimento, usando um megafone, iniciou os gritos de “Fora Temer”, que logo ganhou coro na Praça da Matriz e nas ruas por onde os manifestantes passaram.

A trespontana Else Vasconcelos que faz parte da direção do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, o Sindiute, acrescentou as pessoas precisam ser informadas sobre a PEC 287 que acaba com o direito dos trabalhadores em geral. Os professores aproveitam também para cobrar os atrasos e pendências do Governo do Estado, com a categoria.

O movimento foi pacífico e acompanhado pela Polícia Militar. (Fotos Crédito: Equipe Positiva)

COMPARTILHAR

Comentários