Denis Pereira – A Voz da Notícia 

O novo horário das sessões ordinárias da Câmara começou a valer a partir desta segunda-feira (17). Apesar da antecipação para as 18 horas, alguns chegaram atrasados, como Chico do Bairro Santana (PT) e Itamar Antônio Diniz (PRTB). Antônio Carlos de Lima (PSD) faltou e sua ausência não foi justificada como de praxe pelo presidente Sérgio Eugênio Silva (PPS).

Nas cadeiras reservadas ao público, o presidente da Associação Comercial e Agro Industrial de Três Pontas Michel Renan Simão Castro e o proprietário da Dellas Comércio e Transportes Ltda de Sebastião Jairo de Carvalho. Atendendo um pedido do empresário, ele usou a Tribuna da Câmara para explanar sobre a empresa. Por conta disso, o Pequeno Expediente que havia 10 vereadores inscritos foi suprimido. Com o crescimento da pauta, a reunião foi suspensa e Jairo da ‘Global’ como é conhecido, apresentou no telão um vídeo institucional da Shell e depois os números da empresa trespontana. 

Dellas tem áreas para escolher em Campo Belo, mas quer ficar em TP

Camara 3

Apesar de ter nascido em São Sebastião do Paraíso, Jairo veio para Três Pontas na adolescente e foi por aqui que constituiu sua família. Logo no início da explanação falou que a empresa representante da companhia em todo o estado de Minas Gerais não poderia ser descartada, apesar de já ter uma decisão tomada de sair do Município por razões de investimento e logística. Ela já tem um armazém geral em Contagem. Há uma negociação avançada com a Prefeitura de Campo Belo, inclusive com um projeto de lei já aprovado pela Câmara de lá. Porém, quando soube da possibilidade de encerrar suas atividades em Três Pontas e abrir fazer a matriz em Campo Belo, o presidente da Associação Comercial e Agro Industrial Michel Renan Simão Castro, convenceu ao empresário a pelo menos repensar sua decisão. Pelos números apresentados, a Dellas teve em 2013 um faturamento de mais de R$112 milhões e a previsão para 2014 é de R$158 milhões. Ela também é a maior distribuidora da América Latina, possui mais de 140 funcionários com 4.350 clientes em Minas. Paga mensalmente entre salários e comissões uma média de R$680 mil, fazendo dela uma das empresas que paga melhor os trespontanos. Possui uma frota com 100 veículos. Sem falar nas despesas da unidade que gira em torno de mais R$100 mil.Jairo mostrou quanto paga de impostos e taxas e o que o Município arrecada com a Dellas.

Os projetos são audaciosos para este ano, mas ele revela que está preparado para o crescimento. Depois de conhecer o prefeito Marco Túlio Lopes Miguel veio uma proposta que veio a calhar com a vontade do empresário, se caso não der certo as negociações em Três Pontas. Continuar no interior, porém, bem localizado em um ponto com logística mais fácil e rápida. Existe lá áreas que já foram inclusive escolhidas, com fácil acesso a Rodovia Fernão Dias.

Depois que Paulo Luis assumiu a prefeitura ainda não recebeu nenhuma proposta, o que havia sido feito no mandato da ex-prefeita Luciana Mendonça, porém, não houve resposta.

“A carta de intenção que temos é para transferir para Campo Belo a Matriz, com um faturamento de R$7,5 milhões ao mês durante os próximos 15 anos e uma filial continuaria em solo trespontano”, disse. Para encerrar, Jairo atribuiu a permanência da Dellas aos vereadores. Vitor Bárbara (PDT), interveio que também é dele, com os poderes Executivo e Legislativo. O presidente da ACAI Michel Renan reforça a importância do empresário permanecer em Três Pontas, por tudo que ele representa em geração de emprego pagando um dos melhores salários, solidez, confiança e preocupado com o desenvolvimento da cidade. “A Dellas é muito mais importante para Três Pontas, do que Três Pontas para a Dellas. Qualquer município quer e precisa ter condições especiais”, reforça.

Vereadores fizeram algumas perguntas e destinaram muitos elogios à empresa. O presidente Sérgio Silva sugeriu que a carta de intenção seja enviada ao prefeito Paulo Luis e que a Câmara estaria pronta para resolver este problema que se arrasta desde o mandato anterior.

Pauta não muito grande, o contrário dos discursos

Na pauta que a Assessoria Legislativa divulgou havia apenas dois projetos, mais outros três foram inseridos pelo Plenário Presidente Tancredo Neves, todos do Executivo pedidos do vereador Luis Carlos da Silva.

Seguindo a ordem, foram dois projetos votados – o 024 de 05 de fevereiro de 2014  que altera a Lei Municipal nº 3.470, de 26 de dezembro de 2013 que ‘Dispõe sobre o Plano Plurianual de 2014 a 2017’, bem como a Lei Municipal n° 3.409, de 19 de julho de 2013, que ‘Dispõe sobre as Diretrizes para a Elaboração da Lei Orçamentária deste ano, abrindo crédito especial no orçamento do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Três Pontas (SAAE) considerando que a licitação para a aquisição de produtos químicos para tratamento de água teve o valor orçado em R$ 511.940,00. Paulinho e Itamar Diniz foram contrários. Já o outro está abrindo crédito especial, referente a aquisição de veículo para a Secretaria Municipal de Saúde, totalizando R$27 mil referente ao repasse de recursos da Secretaria de Estado da Saúde possibilitando melhorias de infraestrutura no transporte de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O Município tem o encargo de R$3 mil de contrapartida.

Para transferir R$1,2 milhão para o Hospital São Francisco de Assis para Urgência/Emergência, os vereadores aprovaram a mudança na lei que destina subvenções sociais e as contribuições às entidades. No voto foram unânimes, mas bateram nas propostas de campanha do prefeito ao setor de saúde. Alguns chegam a dizer que o projeto é tão bom que dispensa comentários, mas alongam nos discursos e elogios. A ‘oposição bate’ nas filas dos postos de saúde, dando testemunhos das dificuldades que eles próprios enfrentam e desvirtuando o assunto em pauta.

Um projeto polêmico, sobre a Permissão dos Serviços de Utilidade Pública de Transporte Individual de Passageiros em Veículos a Motor de Aluguel, dos taxistas desta vez foi votado. O debate foi acirrado, emendas foram rejeitadas, como do vereador José Henrique Portugal que propunha a realização de licitação a cada 15 anos e renovação por igual período ao invés de 10. Quando viu que foi derrotado, criticou a Casa por já ter tudo arquitetado, votos combinados, que a medida prejudica a classe e que as emendas apresentadas pelo vice presidente da Câmara Luis Carlos era uma enganação, já apenas Edson Vitor, Paulinho, Joy e Itamar votaram com ele. O colega rebateu imediatamente alegando que as alterações apresentadas por ele no Plenário foi o que estava combinado entre os taxistas e o Chefe do Executivo. Estas foram aprovadas – mantendo os pontos fixos como nas Praças Tristão Nogueira e Cônego Victor, em frente ao Pronto Atendimento Municipal e nos Distritos do Pontalete e Quilombo Nossa Senhora do Rosário.

Retira-se a realização de licitação para os pontos temporários, mas permite a transferência da permissão em alguns casos. O prazo se manteve os 10 anos, corta a necessidade do veículo ter ar condicionado; obriga o profissional a ter uma assiduidade nos postos já que tem denúncias de que pessoas usam da categoria apenas para ter descontos no IPVA. Apenas o vereador Joy votou contra a emenda de Luisinho. Paulinho também teve dúvidas quanto a permanência dos que já estão regularizados possam transferir a terceiros o seu ponto pelo prazo restante da permissão. Itamar Diniz falou da falta de fiscalização; denunciou que existem taxis clandestinos, outros que ficam nos pontos jogando baralho, que não há uma unificação na cor dos veículos e que não usam uniforme. O projeto foi aprovado, o único contrário foi José Henrique Portugal. Antes, o presidente Sérgio teve que chamar a atenção de novo dos colegas e alertou que não vai mais esperar nenhum vereador que esteja fora do Plenário para votar, dando quórum vai seguir a reunião.

Foi aprovado o projeto de abertura de dois créditos especiais para receber dinheiro para a execução e término da obra de revitalização no Distrito do Pontalete, totalizando R$729.059,52, repasse já depositado para o Município por causa do convênio assinado com a Administração anterior, ainda em 2009, no valor de R$686.775,69 somados a contrapartida de R$42.283.83. Paulinho não deixou de elogiar a ex-prefeita Luciana Mendonça, pela quantidade de convênios assinados durante sua gestão como este do Pontalete.

Grande Expediente

O vereador Luis Carlos da Silva fazendo a política da boa vizinhança aproveitou o projeto do Pontalete votado e deixou um abraço a ex-prefeita Luciana Mendonça. Depois, denunciou que por intervenção política, Três Pontas perdeu uma carreta do Governo de Minas, do Programa Ver Minas que iria fazer exames e cirurgias oftalmológicas que iria atender a micro região. Ela irá para Campos Gerais depois de tudo estar marcado para o Município.  Luisinho não está acreditando no que soube mas quer que o caso seja apurado. Outra reclamação do vice presidente é que alguém teria ligado em Belo Horizonte e perguntado quantas casas que serão construídas pelo Programa Minha Casa Minha Vida, Luisinho teria garantido para distribuir a seus eleitores. “Eu não tenho nada garantido e não tenho influência nenhuma na distribuição das 316 casas”, respondeu.

Ele também agradeceu o Governo do Estado e todos os políticos envolvidos, sem exceção, incluindo o senador Clésio Andrade (PMDB-MG) pela realização dos sonhos dos trespontanos, quanto ao asfaltamento de Três Pontas a Carmo da Cachoeira e Paraguaçu. Ao prefeito Paulo Luis recordo que quando Aécio Neves era governador realizou a abertura da Expocafé no Centro Cultural Milton Nascimento e a tônica do seu discurso foi as estradas, que depois teve o apoio do cantor e compositor Milton Nascimento.

O vereador Chico Botrel desmentiu os boatos sobre a construção das casas populares do Minha Casa Minha Vida. Pessoas tem dito que as obras não acontecerão e que o local inclusive teria sido trocado. Ele confirmou a realização da primeira etapa da construção com 316 casas no Residencial Jardim das Esmeraldas, na saída para Campos Gerais, construídas pela Construtora Cheren. Do total, 10 unidades serão destinadas às pessoas com necessidades especiais. As famílias contempladas terão prazo de 10 anos para pagar as parcelas, que irão variar entre R$25 e R$80. 

A secretária da Mesa Alessandra Vitar Sudério Penha (PPS), também criticou o oportunismo de parlamentares que usam dos benefícios conseguidos por outros para se promover. Começou dizendo “daí a César o que é de César. Ela recordou que em 2012 e juntamente com o ex-vereador, Érik dos Reis, Luis Carlos e o assessor legislativo Carlos Castro estiveram em Brasília. Nas visitas aos gabinetes dos deputados solicitou ao deputado federal Dimas Fabiano, a inserção de uma verba à  Escola Estadual Cônego José Maria. Em conversa com a diretora da época, foram apresentadas a necessidade de melhoria no telhado. A reivindicação foi levada e depois de um bom tempo, com o empenho de Dimas a escola foi incluída num pacote de R$3 milhões liberados pela Secretaria Estadual de Educação para Superintendência Regional de Ensino de Varginha, que destinou R$94 mil para o estabelecimento educacional trespontano. Ela demonstrou insatisfação e repudiou quanto a notícia de que seria outro parlamentar o ‘pai  da criança’. “Precisamos ser honestos e transparentes com a população. Não se pode enganar as pessoas”, desabafou. Alessandra não quis divulgar o nome, mas foi o deputado estadual Mario Henrique ‘Caixa’ (PCdoB) que divulgou que por empenho dele a escola teria sido contemplada.

O vereador José Henrique Portugal (PMDB), presidente da Comissão Especial que investiga a perda dos recursos para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), disse que fez esta semana a notificação ao ex diretor do SAAE Afonso José de Carvalho para se pronunciar e já tem a resposta da atual direção do SAAE responsável pela obra. À Superintendência da Caixa Econômica Federal já pedido um relatório. Na quinta quinta-feira (27) as 19 horas os diretores serão ouvidos.

A sessão terminou já passava das 22h30 minutos horas, por causa dos vários assuntos abordados no Grande Expediente. Apesar das cadeiras vazias no público, os vereadores não abreviaram.

Camara 2

COMPARTILHAR

Comentários