Após um período conturbado na justiça em Três Pontas, quando a Comarca que abrange também o município de Santana da Vargem ficou com apenas uma juíza, a situação começou a melhorar, com três magistrados trabalhando no Fórum Dr. Carvalho de Mendonça, os processos começaram a ter um andamento mais célere. Com isto, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Luciano Reis Diniz, acredita que as coisas tende a melhorar, já que estão sendo despachada uma média de dois a três mil processos ao mês. “Um andamento esperado pela instituição. Se não houve nenhum imprevisto, até março ou abril de 2013, a situação deve chegar perto da normalidade”, afirmou Luciano Diniz. Hoje estão em Três Pontas as doutoras Raíssa Figueiredo Monte Raso Araújo, (1ª Vara) e Aline Cristina Modesto da Silva (2ª Vara) que veio substituir Dr. Pedro Parcekian e o juiz cooperador Dr. Felipe Manzanares Tonon, designado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O pedido foi feito pela Ordem em meados de 2012, em uma reunião que envolveu a presidente do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCEMG), doutora Adriene Barbosa de Faria Andrade que abraçou a causa de Três Pontas e foi ao encontro do desembargador doutor Joaquim Herculano Rodrigues, que se comprometeu com o município e cumpriu a promessa. “Na conversa que tivemos, ele foi claro que com a nova turma de juízes tomando posse, mais um seria encaminhado para Três Pontas”, garantiu.

O presidente da instituição, afirma que é preciso esclarecer que foi feita uma representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pedindo a instalação da terceira vara na Comarca, com um número maior de juízes, por causa do número excessivo de processos. Em agosto a OAB recebeu uma resposta que o Tribunal estava fazendo um planejamento estratégico para 2014 ou 2015, mas que já havia enviado o juiz cooperador para diminuir o número de processos. “Acredito que estamos no caminho certo. A luta continua e não deixamos de trabalhar pela instalação definitiva da terceira vara.

Antes do Dr. Felipe assumir foi enviado um novo pedido ao desembargador Luis Carlos de Azevedo Correia Júnior e foi juiz na Comarca de Três Pontas pedindo o apoio para a implantação do serviço na Comarca. A expectativa é que em 2014, ano Eleições, a sonhada vara se torne realidade.

O prefeito Paulo Luis Rabello (PPS), também se comprometeu a ajudar no que for necessário, disse Luciano que reintera as dificuldades dos advogados.

A instalação da terceira vara, também possibilitará que o Fórum seja reestruturado, dividindo os processos nas três varas e solucionando muitos problemas, com um maior número de funcionários concursados, que estão carregados de serviço. Esta terceira, seria especializada ou geral. (Denis Pereira – A Voz da Notícia)

COMPARTILHAR

Comentários