O Sargento Mauro da PM e os advogados Melissa e Iran

A Comissão de Transição do prefeito eleito de Três Pontas Dr. Luiz Roberto Laurindo (PSD), iniciou os trabalhos de levantamentos para a próxima gestão na manhã desta segunda-feira (17).

José Gileno Marinho, Deivis Victor dos Santos e o servidor Victor Adriano Mesquita chegaram às 9 horas da manhã no antigo prédio do IBC e foram surpreendidos com o que encontraram. A sala disponibilizada pela atual Administração é uma usada pela Secretaria de Indústria e Comércio. Pequena demais que não cabe nem mesmo os três acomodados. O computador fornecido para auxiliar nos trabalhos estava passando por manutenção. Uma funcionária estava tentando restabelecer a máquina, enquanto o grupo comentava sobre os planos para projetar os 100 primeiros dias de governo de Dr. Luiz Roberto. O problema maior foi que documentos básicos que por lei devem ser disponibilizados no primeiro dia da Transição não foram entregues, não havia se quer alguém para recebê-los. Por causa disso, eles resolveram chamar a Polícia Militar, registrar um boletim de ocorrências para tomar providências posteriores.

Adriano, Gileno e Deivis na sala da Secretaria de Indústria e Comércio no IBC
Adriano, Gileno e Deivis na sala da Secretaria de Indústria e Comércio no IBC

“Chegamos com o coração em paz, porém o prefeito que assinou a Portaria 2.855 que indicou este local para trabalharmos e que sancionou a lei 2.937 de 2007 no seu primeiro mandato, nada disso cumpriu”, afirmou Deivis Victor. A impressão segundo ele, é que o calor das urnas não passou, a dor da derrota não foi absolvida por ele [Paulo Luis]. A intenção é fazer um diagnóstico da situação da Prefeitura, o que foi feito, o que tem por fazer, melhorar o que tiver ruim, manter o que foi feito de bom e não perder nada. “Queremos é criar laços e fazer mais e melhor para a população carente, mas precisamos da boa vontade do atual governo”, declarou.

Gileno Marinho já vislumbra dificuldades neste período de Transição e as demonstrações já foram dadas. “A gente não sabe o que passa na cabeça das pessoas que se dizem tão legalistas, que não cumprem a lei por eles próprios”, afirmou Gileno acrescentando que a

Comissão de Transição reclamou do computador disponibilizado pela Prefeitura
Comissão de Transição reclamou do computador disponibilizado pela Prefeitura

intenção não é fazer auditoria e sim um levantamento para o próximo governo e não “pegar” uma prefeitura “no escuro”, sem saber o que será feito a partir de 1º de janeiro. “Viemos na paz, este é o nosso espírito, o espírito de Dr. Luiz Roberto”. Ele citou o exemplo da harmonia em São Paulo (SP), quando o atual prefeito Fernando Haddad foi receber o prefeito eleito João Dória Júnior, na transição.

Adriano Mesquita contou que tem um bom relacionamento com a secretária de Administração e Recursos Humanos Evânia Rocha Moreno. Ela teria dito a ele que tudo que precisar ela está a disposição, porém, por surpresa deles não há nenhum documento disponível. O grupo está contando com apoio jurídico dos advogados Otacílio Ferreira, Monalisa Pieve Andrade, Iran Fadel Ferreira, Abraão Elias Neto, Melissa Chaves Garcia e Ives Duarte Tavares.

Para Gileno Marinho, ganhar e perder faz parte do jogo democrático, isto é público de cidadania, e é o que a população espera e quer, que as rixas políticas fiquem para trás, e que a gente agora pense e façamos pelo povo, sinalizando que a cidade está carente. Tanto é que as urnas demonstraram a mudança, na Eleição que teve um resultado jamais visto na história, a tamanha diferença.

Comentários