Discutir em âmbito local e de forma democrática, das responsabilidades e dos compromissos com diretrizes, que serão referências para a definição de políticas educacionais a serem desenvolvidas em um amplo processo de colaboração, respeitando a autonomia federativa e promovendo a consolidação da unidade nacional.

Foi este o trabalho desta terça-feira (07), de autoridades, professores, funcionários da Secretaria Municipal de Educação e delegados representando escolas municipais, estaduais e particulares e centros municipais de educação infantil, movimentos sociais, associações e entidades de classe, na 1ª Conferência Municipal de Educação. O encontro foi no Centro de Convivência do Idoso Lourenço Antônio Siqueira e conseguiu mobilizar a sociedade trespontana.

A Conferência é um espaço democrático onde a sociedade civil pode falar e ser ouvida sobre como a educação brasileira pode melhorar, de forma a avaliar a execução e acompanhar o monitoramento do Plano Nacional de Educação. O diferencial, é que a opinião popular está sendo inserida no Plano e se transforma em meta a ser cumprida por todas as esferas de governo. Nele está explícito, as dificuldades enfrentadas no dia a dia e a responsabilidade que cada um precisa assumir, na construção de uma educação cada vez de qualidade.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Paulo Vitor da Silva, o setor exige muito dos profissionais e de gestores, por isto, ele defende a Conferência onde se discute metas e diretrizes, com todos aqueles que vivem a educação.  Foram elaboradas e aprovadas três propostas que são levadas para a etapa subsequente na tentativa de que ela seja inclusa no Plano Nacional. O texto ainda estava sendo redigido no fechamento desta reportagem.

Com uma demanda cada vez maior, que cresce vertigiosamente é preciso conhecer e cobrar de forma coletiva, aquilo que se entende que deve ser cobrado. Como a questão da vinculação de recursos e a formação de processos que diretamente estão ligados a promoção da qualidade da educação. “Temos que trabalhar muito para seguirmos esta linha de forma a melhorar a educação cada dia mais para todos os envolvidos nela”, reforçou Paulo Vitor.

Na opinião do prefeito de Três Pontas Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), somente os municípios conseguem enxergar as dificuldades, formar as diretrizes e avaliar a educação, não somente no fator pedagógico, mas principalmente psicopedagógico envolvendo aluno-professor e sociologia.

O Regimento Interno foi aprovado sem ressalvas, após os pronunciamentos. Ele determina as normas a serem seguidas. O Superintendente Regional de Ensino Professor Erivelton Giovani Ramos, o inspetor escolar Paulo Leandro de Carvalho e o secretário de Educação Paulo Vitor abordaram os nove eixos propostos. Um deles foi defendido pelos integrantes do Parlamento Jovem (PJ), orientados pelo presidente o vereador Maycon Douglas Machado (PDT).

Os delegados foram eleitos para a Conferência Territorial que acontece em Varginha. Depois, acontecem as etapas estadual e nacional.

COMPARTILHAR

Comentários