Quando os votos dos deputados mineiros, no Congresso Nacional foram dados na sessão de votação desta quarta-feira (25), a maioria já havia decidido pela rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República e a favor do relatório da Comissão de Constituição e Justiça pelo tucano Bonifácio de Andrada (MG), contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Os deputados mais votados em Três Pontas repetiram os mesmos votos de agosto, quando a primeira denúncia contra Temer foi a Plenário e também não foi acatada pelos parlamentares.

As 20h55, os parlamentares mineiros foram ao microfone do Congresso e deram o veredito. O primeiro foi Aelton Freitas (PR), que deu o 185º voto, depois, Bilac Pinto (PR), Carlos Melles (DEM), Dâmina Pereira (PSL), Diego Andrade (PSD), Dimas Fabiano (PP), votaram a favor da permanência de Temer. Entre os federais eleitos por Minas, apenas o deputado Domingos Sávio (PSDB), é que justificou o voto, defendendo as investigações, mas, após o término do mandato presidencial.

O presidente Michel Temer foi denunciado desta vez por obstrução de justiça e organização criminosa. O voto que garantiu a vitória a Temer saiu às 20h35, com o “sim” do deputado Francisco Floriano (DEM-RJ). Ele foi o 158º a votar “sim”, e se somou aos 14 ausentes para dar vitória ao governo.

A base aliada precisava de 172 votos (entre “sim”, ausências e abstenções) para a impedir a admissibilidade da denúncia contra Temer e dar prosseguimento à investigação no Supremo Tribunal Federal(STF). Com Temer, foram salvos agora, os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil).

As 21h35 o presidente Rodrigo Maia anunciou que a denúncia estava arquivada. O resultado foi 251 votos favoráveis ao arquivamento, 233 contrários, 25 deputados faltaram e dois abstiveram.

COMPARTILHAR

Comentários