A chuva tão aguardada pelos trespontanos, começou a cair com intensidade enquanto autoridades e convidados participavam da cerimônia de abertura do Dia Nacional do Campo Limpo, em Três Pontas nesta sexta-feira (18).

A Central de Recebimentos de Embalagens Vazias de Agrotóxicos de Três Pontas abriu suas portas neste dia inteiro todos os anos, para a comunidade conhecer, se conscientizar sobre a importância da devolução e comemorar também os excelentes resultados da logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil e reconhecer os elos da cadeia do Sistema Campo Limpo (agricultores, canais de revenda e cooperativas, indústria fabricante e poder público). O evento aconteceu em mais de 100 unidades de recebimento de 22 estados do país. Com o tema “Quando cada um cumpre a sua parte, temos muitos motivos para comemorar”.

Peça teatral “Os Guardiões do Planeta” levou conscientização sobre a importância da preservação ao meio ambiente

Às crianças, brincadeiras, lanche e uma divertida peça teatral com tema “Os Guardiões do Planeta” do Grupo Teatral Arte e Manha do professor Glauber Adriano Reis. Eles ensinaram que todos precisam assumir suas responsabilidades e que cada um pode ser um herói da natureza, basta ter boa vontade que em gestos simples é possível salvar o planeta.

Os estudantes do 4º e 5º anos do ensino fundamental da rede municipal e particular, envolvidos no programa participaram dos concursos de Desenho e Redação, com premiação em etapas local e nacional. E os vitoriosos da seleção trespontana foram premiados junto com seus professores. Na categoria desenho foram – Yram Vitor Leopoldino do Caic e Maria Clara dos Santos Venâncio da Escola Municipal João de Abreu Salgado. Na redação foram premiados Raissa Aparecida Pires da Escola Nossa Senhora Aparecida e Iago Alves Divino também do Caic.

Secretários da Administração prestigiaram o Dia do Campo Limpo. Entre eles, o secretário de Meio Ambiente Francisco Botrel Azarias que representou o prefeito Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), enfatizou a importância da Central para o meio ambiente, parabenizou pela comemoração e o envolvimento com as crianças. O mesmo disse os secretários de Agropecuária João Aleixo Ferreira Pereira e o de Educação Paulo Vitor da Silva, destacando as dificuldades que foram enfrentadas desde 2002, quando a unidade foi construída. Desde 2005, o evento é organizado pela Associação Regional dos Engenheiros Agrônomos (Area), Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (InPev) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

Todos os anos, a Central reconhece o trabalho de um produtor rural, que adota boas práticas no campo. Pela primeira vez em 13 anos, a escolhida foi uma produtora rural. Dona Enoe Nazaré Reis é proprietária da Fazenda Rancho Grande e seu neto, Leonardo Sandy Reis, recebeu em nome da matriarca um cartão de prata de produtor destaque. Aos 92 anos e com a saúde um pouco debilitada, “Gabilete” (foto) representou a família e levou também um certificado para todos os filhos. O presidente da Area Roberto Felicori Rodrigues que administra a Unidade de Recebimento de Embalagens, fez elogios ao trabalho que é feito por Dona Enoe e seu falecido marido Aneite Reis a favor do meio ambiente e da economia de Três Pontas. Ela teve cinco filhos, tem 12 netos e 11 bisnetos.

Apesar da idade, a proprietária que cuida desta terra desde 1933, não consegue ficar parada e está sendo dando orientações aos empregados, perguntando como estão os negócios e os cuidados com as plantações de café e cereais, com o gado, com as terras de pastagens e com seus funcionários.

A propriedade que começou com apenas cinco hectares, conta hoje com 1842 hectares, dos quais 500 hectares são usados na plantação de café – sua principal atividade econômica – seguida da criação de gado leiteiro e a plantação de cereais como soja, milho sorgo, trigo e aveia. A propriedade fica a 17 km do perímetro urbano. Aneite Reis faleceu em 1989, mas seu legado continua. A Fazenda Rancho Grande se tornou uma empresa que é administrada pelo filho dela, José Carlos.

O Dia Nacional do Campo Limpo sempre trouxe boas notícias no que refere ao recolhimento, devolução e destinação correta das embalagens de defensivos agrícolas na Central de Três Pontas. Somente em 2017, foram 139.750 embalagens lavadas e não lavadas recolhidas. Desde quando foi inaugurada, em janeiro de 2002, foram recebidas 2.242.722 de embalagens lavadas e não lavadas foram 264.015, totalizando 2.506.737 no total. De acordo com Roberto Felicori, são 30 milhões de litros que tiveram um destino correto e um volume de benefícios à natureza inimaginável.

Ainda segundo ele, as dificuldades foram muitas desde a escolha do terreno para a construção da Central, doado pelo Município no mandato da ex-prefeita Adriene Barbosa de Faria Andrade. Desde então, começou-se a entender que a responsabilidade precisa ser compartilhada, com a participação efetiva de todos. Hoje a Unidade recebe também produtos vencidos e aqueles que não tem mais utilidade e ainda estão nas fazendas e propriedades rurais.

COMPARTILHAR

Comentários