Nesta segunda feira (18), o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), promoverá uma série de ações para conscientizar a comunidade sobre a importância do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Uma mobilização acontece no período da tarde, a partir das 13 horas, na Praça Tristão Nogueira, a Praça da Fonte. O principal objetivo é mobilizar famílias sobre a importância de não fechar os olhos diante de abusos e denunciar para proteger as vítimas, muito vulneráveis.

Diversas apresentações artísticas, concurso de paródias entre os programas sociais desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social, concursos de frases em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e varal com o trabalho das crianças atendidas pelo Espaço Arco Íris, Recriar e Travessia.

As cinco melhores frases serão premiadas, com certificado, medalha e brindes. As frases ganhadoras serão confeccionadas em faixas, com o nome do aluno e escola, e afixadas em diversos lugares do município. Das parodias serão duas vencedoras, também com certificados, medalhas e brindes.

Dados da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) apontam que 60% dos 1.209 estupros registrados em Minas nos primeiros quatro meses deste ano foram contra vulneráveis – vítimas menores de 14 anos ou que tenham algum tipo de deficiência.

Minas Gerais foi, em 2014, o quarto Estado brasileiro em denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. Atrás apenas de São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro, foram 1.783 registros no Disque Direitos Humanos (Disque 100). Ainda assim, os dados não representam a realidade. “Para cada denúncia que se recebe, há pelo menos oito situações de que não se tem conhecimento”, alerta a coordenadora especial da Política Pró-Criança e Adolescente do governo do Estado, Célia Nahas.

Em Três Pontas

destaque dois

O CREAS vai divulgar no início da semana, a pedido da Equipe Positiva, os números de casos que são registrados em Três Pontas. Vítimas e famílias recebem acompanhamento de uma equipe com vários profissionais.

O caso mais recente registrado pela Polícia Militar, foi em janeiro de um trabalhador rural que estava abusando da enteada de 11 anos de idade. Os abusos aconteciam a pelo menos três meses e só foi descoberto porque José Pereira de Freitas fazia fotos (foto acima) em um celular dos encontros que mantinha com a criança, no meio de um cafezal. Em depoimento na Delegacia de Polícia, o homem confessou os abusos. Depois de ser violentada, a criança era ameaçada caso contasse para alguém.

Preso em uma cela separada do Presídio de Três Pontas, José Pereira tentou suicídio, foi socorrido ao Pronto Atendimento Municipal (PAM) e internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital São Francisco de Assis. Ele morreu poucos dias depois. O caso ganhou grande repercussão na imprensa.

COMPARTILHAR

Comentários