Apesar de ter recebido orações de muita gente, ele revelou sua devoção pela Serva de Deus Nossa Mãe e o Beato Padre Victor e agradeceu a corrente de oração formada pelo reestabelecimento de sua saúde 

O médico Dr. Valério de Paula Victor Brito de 54 anos, que sofreu um acidente automobilístico em maio deste ano, recebeu alta na última sexta-feira (08), do Hospital Felício Rocho em Belo Horizonte e já está em casa.

Na tarde desta terça-feira (12), o médico trespontano recebeu a Equipe Positiva em sua residência, contou detalhes da luta que travou pela vida, mas revelou que não se lembra absolutamente nada do acidente, na estrada entre Carmo do Rio Claro e Ilicínea, na BR 265, na tarde do dia 23 de maio. Aos poucos vai se habituando ao colar cervical que está usando, mas caminha normalmente e acredita que vai se recuperar mais rapidamente estando em casa.

Dr. Valério voltava de um compromisso de trabalho na cidade de Passos, onde foi realizar uma Perícia em uma empresa e no retorno acabou sofrendo o acidente. Ele estava acompanhado do especialista em biossegurança e ergonomia Edson Vasconcelos.

Médico diz que não se lembra de nada do acidente e soube 10 dias depois de acordar de um coma induzido
Médico diz que não se lembra de nada do acidente e soube 10 dias depois de acordar de um coma induzido

O médico não se lembra de nada do acidente. Só tem recordação de ter parado na estrada para se alimentar a 80 quilômetros antes de onde tudo aconteceu, mas não se lembra absolutamente nada do ocorrido.

Ele conta que a notícia que se espalhou na hora do acidente é que ele não sobreviveria. Seu estado de saúde era gravíssimo e sua família chegou a ser informada de que ele não sobreviveria.

O que soube é que primeiro chegou um médico formado a dois anos, de Ilicínea, que ele não sabe ainda quem é, que fez os primeiros atendimentos. Ele acionou o SAMU e posteriormente o helicóptero dos Bombeiros/SAMU. A aeronave levantou vôo de Varginha, mas logo em seguida a equipe que estava a bordo recebeu a informação de que ele teria morrido, porém, médico e piloto se negaram a voltar. Chegando ao local, o médico do SAMU que o conhecia tomou determinações que foram cruciais para sua sobrevivência, fazendo a drenagem do tórax e o intubou que possibilitou ter vida até chegar no hospital.

Com fraturas em todas as costelas, suspeita de ter fraturo a coluna e cortes pelo corpo, começou a sua luta pela vida.  Durante o vôo de volta a Varginha, foi falado que se o helicóptero descesse no Aeroporto Municipal, Dr. Valério não chegaria vivo no Hospital. Entrou outra providência que ele considera divina. Seus amigos da Polícia Civil e da Guarda Civil Municipal, fecharam a Avenida do Contorno para que a aeronave pousasse com segurança mais perto, a dois quarteirões do Humanitas. Lá, já havia uma equipe médica imensa e começaram a tratar dele. A notícia se propagou pela cidade.

Enquanto médicos se desdobravam para salvar o companheiro, uma enorme corrente de orações se formou que Dr. Valério avalia ter sido fundamental, coisas que a medicina não explica. Ele permaneceu internado no hospital de Varginha, respondendo bem ao tratamento durante cerca de 30 dias. Na primeira semana ficou em coma induzido. Teve uma infecção normal que quase todo mundo enfrenta em UTI e se tratou. Porém, antes de receber alta para voltar para casa, teve uma febre. A equipe médica resolveu então tomar outra determinação importante. Transferi-lo para o Hospital Felício Rocho em Belo Horizonte, para especialistas da área para avaliar seu quadro. Lá, foi recebido por um médico com experiência em coluna, atua em Pronto Socorro de várias localidades e afirmou que casos como o dele são raríssimos, do paciente chegar vivo. E alertou que se tivesse demorado mais um mês ele não conseguiria mais fazer a cirurgia, sem sequelas e não obteria sucesso. Por isto, Dr. Valério passou por um procedimento cirúrgico de urgência.

Foi em BH que se descobriu a gravidade da fratura que tinha sofrido na coluna. “Se eu não fosse para um Centro maior, minha situação seria muito complicada e as sequências seriam certas” revela.

Dr. Valério está usando um colar cervical e uma placa foi colocada em sua coluna com seis parafusos. Eles são para fixar quatro vértebras e segurar o osso que foi quebrado com o impacto da batida no acidente. Ele teve um estrabismo nos olhos que aos poucos está se recuperando, provocado por um trauma em um músculo. Exercícios indicados já estão respondendo positivamente.

Nos próximos dias ele vai voltar ao médico para mais uma bateria de exames para avaliar como tudo está seguindo. Ele está tomando apenas um medicamento para aliviar a dor causa que sente, mas nada que seja insuportável.

Na varanda de casa, ele tomou café e fez questão de diversas vezes agradecer a todos
Na varanda de casa, ele tomou café e fez questão de diversas vezes agradecer a todos

O pior já passou e Dr. Valério disse que voltar para casa é estar no paraíso. “Deitar na cama da gente, ficar ao lado da sua família ajuda a gente a recuperar mais rápido. O melhor do mundo é a nossa casa”, disse Dr. Valério meio as lágrimas.

Ele diz que não tem palavras para agradecer. “Foi tanta gente que me ajudou, que torceu, que rezou e orou por mim, que se eu pudesse pegaria na mão de cada um. Não tenho dúvidas de que é por isto que eu estou aqui vivo”, agradeceu chorando.

De lição deste acidente, o médico tira que é preciso sempre ser correto com as pessoas e procurar fazer o bem. “A gente nem sempre acerta, mas se a gente errar é preciso pedir desculpas e tentar corrigir os erros em tudo o que a gente faz na vida. É preciso estar em paz com a consciência da gente”, completou Dr. Valério.

Sua fé em Nossa Mãe, demonstrada por uma corrente que ele faz questão de todos os dias carregar no peito, a imagem do retrato de Cristo que o acompanha no bolso e as orações ao Beato Padre Victor são rituais que o faz acreditar que sua fé o salvou. “Tem muita gente que só acredita na ciência e não em milagres. Mas o que aconteceu comigo a ciência não explica”, declarou.

Dr. Valério sorri, acredita que as orações do povo e as providências tomadas salvaram sua vida, lhe dando uma segunda chance
Dr. Valério sorri, acredita que as orações do povo e as providências tomadas salvaram sua vida, lhe dando uma segunda chance
COMPARTILHAR

Comentários