Em meio a mais grave crise hídrica já vivida em todo o País, o Poder Público tem buscado alternativas inéditas para conscientizar a população sobre a falta d’água.

Os reservatórios baixaram a níveis inéditos e o Sul de Minas passa pelo Dia Mundial da Água, celebrado neste domingo 22 de março, em meio a uma crise hídrica sem precedentes.

Apesar de a entrada do Outono ter sido com nuvens nubladas e alguns dias de chuvas em Três Pontas, ainda não deu esperança ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e muito menos aos produtores que dependem deste bem precioso para suas plantações.

01O SAAE, Secretaria de Meio Ambiente e Polícia Militar do Meio Ambiente, promoveram na manhã deste sábado (21), na Praça Cônego Victor, algumas atividades para mostrar que ainda é preciso fechar a torneira. Crianças, jovens e adultos, receberam cartilhas, panfletos e orientações. As fases do tratamento da água foram explicadas por servidores usando como recurso um banner com fotografias. Mudas de árvores foram distribuídas pelos organizadores. Apresentações das crianças que participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV), da Secretaria de Assistência Social, apresentaram números de dança.

É notório que o Decreto de Emergência baixado pela Prefeitura e válido para novembro, dezembro e janeiro do ano passado, fez com que a população criasse hábitos importantíssimos, diante dos baixos níveis do Córrego Custodinho e do Sistema Sete Cachoeiras. Os números divulgados na época do consumo de cada trespontano eram de que cada cidadão consomia em média 200 litros de água por dia, quando o ideal seriam 150.

Em pouco tempo, a conscientização ganhou as casas, empresas, ruas e até as redes sociais. Tanto é que dados divulgados posteriormente mostraram que Três Pontas havia economizado mais de 23 milhões de litros de água, no período de vigência do Decreto, que penalizou com multa quem abusou. A economia equivale a 1.321 litros de água por ligação, já que o Município possui 18 mil ligações, uma média de 476 litros por habitante por mês, equivalente a 16 litros/habitantes por dia.

A diretora do SAAE Marisa Cainelli Basílio de Brito, revelou que o Decreto naquele momento foi necessário e ele trouxe resultados satisfatórios. Isto foi demonstrado no próprio consumo da autarquia, que está bem servido de água nas nascentes do Município, mas que a economia deve permanecer e ser constante no cotidiano dos trespontanos. Os reservatórios ainda não estão em seus níveis normais e o Custodinho, um dos que mais sofreu na crise, perdeu muito a sua capacidade.

02

03

05

06

COMPARTILHAR

Comentários