O prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello (PPS), recebeu a Equipe Positiva em seu gabinete para mais uma entrevista exclusiva e esclarecedora. Ele ainda não fez um balanço de mais um ano de gestão, o segundo deste seu mandato, mas comentou ações promovidas pela Administração que afetam diretamente a vida dos trespontanos. É claro que ele teve que respondeu questões polêmicas, levantadas principalmente na Câmara Municipal, onde seus maiores adversários políticos, os vereadores Paulo Vitor da Silva (PP) e Antônio Carlos de Lima (PSD), tripudiam a sua gestão. Ainda sobre o Poder Legislativo, Paulo Luis revelou que não tem preferência e não interfere no processo de Eleição da Mesa Diretora e não acredita que o próximo presidente, seja ele, eleito da oposição ou situação possa travar a sua Administração. As Eleições que elegeram os candidatos que não foram apoiados pela Administração, em Minas Gerais Fernando Pimentel e a presidenta Dilma Rousseff, não é sinal preocupação a Paulo Luis que apoiou candidatos e deputados do Partido dos Trabalhadores, inclusive Odair Cunha que será o secretário de Estado de Governo.

Trânsito, o polêmico ponto facultativo do dia 31 de outubro, o Decreto de Situação de Emergência, obras da gestão anterior e o Plano de Governo registrado em Cartório pelos então candidatos Paulo Luis e Érik, que já foi cumprido em sua grande maioria, em áreas essenciais como na Educação e na Saúde; foram assuntos da conversa do prefeito com a Equipe Positiva.

PL 1
“Nós não vamos fazer do projeto da ETE do Quilombo e da futura ETE de Três Pontas, mais uma Petrobrás do Brasil”

O senhor apoiou nas Eleições os candidatos do PSDB. O que o prefeito esperado do governador eleito Fernando Pimentel e da presidente reeleita Dilma, ambos do PT?

Realmente eu apoiei candidatos a deputados do PSDB, como apoiei outros candidatos de outros partidos, inclusive da base do governo federal e do governo estadual. O que eu espero do governador eleito Fernando Pimentel, é que ele volte os olhos para Três Pontas, como todos os governadores fizeram e direciona para Três Pontas o que é de direito. Além do governador Fernando Pimentel, nós temos pessoas ligadas ao governo e que vão exercer cargos de confiança no Governo de Minas, como por exemplo, o deputado federal Odair Cunha, que será secretário de Governo. Ele foi muito bem votado em Três Pontas e tenho certeza que pelo relacionamento que a nossa Administração sempre teve com ele e outras pessoas ligadas ao parlamentar e que sempre pensaram no bem de Três Pontas, teremos um tratamento diferenciado do próximo governador. Eu tenho a grata satisfação de conhecê-lo pessoalmente e já tivemos por diversas vezes juntos. Quanto a presidente Dilma, vários deputados que foram eleitos e votados em Três Pontas tem relação com o prefeito, com o vice e com vários vereadores. Estas pessoas tenho certeza que vão junto ao governo federal administrado pela presidenta, colocar no orçamento da União, várias verbas para Três Pontas. 

Como ficam as obras tão sonhadas de asfaltamento das rodovias em torno de Três Pontas. A rodovia Três Pontas – Pontalete, Três Pontas a Carmo da Cachoeira e a terceira pista para Varginha?

Eu tenho certeza que estas obras serão concluídas. As licitações dos projetos estão prontas junto ao DER. O que está faltando é apenas a licitação da obra. Como também o projeto da terceira pista para Varginha já foi licitado e a empresa está elaborando o projeto. Eu tenho certeza que o governador Fernando Pimentel vai dar continuidade a todos os projetos que foram iniciados no atual governo.

Mudando de assunto, mais algumas mudanças foram feitas no trânsito de Três Pontas. Elas trouxeram resultados positivos?

Trouxeram bons resultados sim. Obviamente muitas pessoas não compreendem o intuito dessas mudanças. A mudança na mão de direção da Rua Coronel João dos Reis, a antiga Rua dos Bambus, desafogou muito o trânsito no centro. Lógico que nos horários de pico, entre 11 e 12 horas e 17 e 18 horas, existe um congestionamento na área central e isto é normal. É preciso que as pessoas entendam, que o número de veículos em Três Pontas é muito alto. São aproximadamente 25 mil veículos em circulação na cidade. Em dia de chuva é quase inviável andar aqui. A maioria das ruas é muito estreitas, ainda mais no centro, tornando inviável a circulação de veículos. Mas, acho que as mudanças trouxeram mais resultados positivos do que negativos.

O fechamento da via em frente a Loja Xavier. A prefeitura já definiu que lá será realmente fechado e será construído um calçadão?

Isto ainda não está decidido. Logicamente que na Rua Frederico Meimberg, o fluxo de veículos ficou maior. Nós vamos arrumar uma solução para isto. Quando a gente encontrar uma solução para resolver este fluxo, nós vamos decidir se fazemos ou não um calçadão abaixo da Praça da Fonte.

A feira realizada aos sábados ao lado da prefeitura mudou de local. Porque?

A feira que era realizada ao lado da prefeitura mudou porque foram vários pedidos de comerciantes e pessoas que transitavam pela Rua Nossa Senhora d’Ajuda que achavam perigoso da forma que estava sendo feita. O município necessita daquela área para que amanhã aumentar o pátio da Prefeitura, já que aquela área pertence ao Município. Por esta razão nós transferimos a feira para a rua em frente ao Fórum. Existe um movimento dos pequenos produtores rurais, que pertencem a agricultura familiar pedindo que possamos realizar uma feira na Avenida Oswaldo Cruz. Estamos estudando a possibilidade de fazer isto lá, ou em outro local.

O que o senhor espera da Eleição para a presidência da Câmara? O senhor torce para algum candidato?

Eu espero que ganhe o melhor. Todos os candidatos são ótimos. Eu torço por Três Pontas e não tenho preferência. Eu tenho certeza que aquele que ganhar a presidência, irá administrar o Poder Legislativo para o povo de Três Pontas, não somente para pequenos grupos.

O prefeito não teme que vencendo um candidato da oposição possa prejudicar ou travar seus dois últimos anos de administração?

Eu acredito que não. Eu sempre tenho dito que não tenho oposição. As pessoas podem ser contra o prefeito. Se existe um vereador lá contra o prefeito é uma coisa, mas se ele vota contra os projetos que são feitos em favor da população ele não vota contra o prefeito e sim contra o povo.

O senhor disse prefeito, que o ponto facultativo do dia 31 de outubro foi municipal, estadual e federal e por isto não fez um comunicado informando sobre o fechamento da Prefeitura. O senhor não acha que a população não tem este conhecimento?

No dia 31 de outubro, nós emendamos para que pudesse coincidir com o ponto facultativo do Estado e da União. Todo mundo sabe do ponto facultativo. Ninguém desconhece o Dia do Servidor Público, principalmente os familiares, as pessoas da relação dos servidores e, acho desnecessário fazer o comunicado através de rádio, jornais e outros veículos de comunicação. Todas as pessoas tem conhecimento. Da mesma forma que teve um cidadão de Lambari que saiu da sua cidade para fazer qualquer coisa em Três Pontas. Lá também as repartições estadual e federal estavam fechadas. Lá não é outro estado e faz parte do Brasil. Todas as repartições públicas, estadual e federal lá também se encontravam fechadas.

Quais as consequências do Decreto baixado no Município para a economia de água por causa da estiagem?

Uma economia muito grande. Estamos dentro dos limites plausíveis de economia de água. Logicamente que para os cofres do SAAE isto vai repercutir e, a arrecadação começou a cair. As pessoas estão economizando água e pedimos que elas continuem fazendo isto, pois é preciso, salutar e bom para todos. Temos que arrumar soluções, para que num futuro bem próximo tenhamos projetos para que amanhã não seja necessário fazermos um racionamento. Coisa que esperamos que nunca aconteça.

O vereador Paulo Vitor da Silva disse que gostaria muito de estar noticiando as conquistas da Administração, principalmente na área de geração de emprego, porém, segundo ele não há o que comemorar. O Município tem conseguido gerar novos postos de trabalho?

Eu até estranho o que o vereador Paulo Vitor da Silva diz. Vários projetos estiveram na Câmara Municipal para que fossem elaborados licitações para geração de emprego. Estes projetos quando tem autorização legislativa, nós vamos e fazemos a licitação e todas elas tiveram licitantes. Quer dizer que se teve licitante, nós estamos gerando emprego. Talvez ele não esteja tendo conhecimento destas licitações. Todas elas foram feitas através de autorização do Poder Legislativo. Basta o vereador procurar nos anais da Prefeitura o número de empregos que já foram gerados. Por outro lado, em Três Pontas, poucos prefeitos realizaram um Concurso Público. O primeiro foi feito por Tadeu Mendonça, o segundo por Paulinho Nogueira e o terceiro na minha primeira administração em 2006. Nós vamos realizar agora o quarto concurso na história da cidade. Será realizado em março ou abril para o preenchimento de cerca de 400 vagas em todas as áreas, incluindo o cadastro de reserva. Como também será realizado concurso no SAAE, a empresa lá também já foi licitada. Esta também é uma forma de gerar emprego. Não geramos mais empregos por causa do índice constitucional da Lei de Responsabilidade Fiscal. Sempre estamos no limite de gasto, isto porque estamos administrando erros que fizeram no passado. Se não fosse o que fizeram no passado, estaríamos numa situação muito mais saudável e folgada. Hoje infelizmente, por causa do inconsequente Plano de Cargos e Salários o povo está pagando as conseqüências de quem o elaborou.

O vereador Antônio do Lázaro também tem feito várias críticas a sua Administração, inclusive o acusa de perseguir a sua esposa por ele ser oposição. Como o prefeito vê isto?

Eu vejo até com indignação. Talvez ele não tenha o entendimento e discernimento necessário para entender que o servidor público concursado, é servidor do Município de Três Pontas. O Município abrange toda a sua área. Ela [a servidora], por ser esposa do vereador não tem nenhum privilégio. Porque a esposa do vereador teria o privilégio de escolher a onde trabalhar. Ela apenas mudou de local de trabalho, não foi exonerada e não teve nenhum prejuízo financeiro em seu salário. Assim como também existem outras esposas de outros vereadores, que são servidoras do Município e trabalham normalmente. Tem professoras que trabalhavam como diretoras numa escola e hoje estão na sala de aula. Quer dizer que hoje seria perseguição do Poder Executivo a estes vereadores? Tem vereador que a esposa trabalhava na área de saúde, hoje trabalha em uma escola. Se ela estiver trabalhando amanhã em outra escola isto é perseguição? Eu só queria que as pessoas tomassem conhecimento do que está sendo feito em Três Pontas. Tem vereador que as vezes não sabe fazer contas. Vejam como pegamos a Administração no dia 1º de janeiro de 2013 e vejam a situação que a Prefeitura se encontra hoje. As pessoas precisam pegar seus veículos e dar uma volta nas estradas rurais. Ainda não está completo do jeito que pretendemos, mas estamos melhorando substancialmente a condição das estradas. Ao lado da Escola Agrícola, quem passava por lá, atravessava uma ponte que era de pau e onde várias pessoas morreram, vai lá ver como que está agora? A pessoa que estiver indo para o Distrito do Quilombo, dá uma olhada na Escola Agrícola para ver o Ginásio que está sendo construído. E todas as obras que ficaram da Administração passada no Quilombo, nós concluímos. Da mesma forma que a creche que lá está foi inaugurada. Ela foi realizada com recurso municipal. Não teve verba estadual ou federal para a sua construção. Foi dinheiro do povo. Nós equipamos no Quilombo o Posto de Saúde. Lá tem uma casa que era uma igreja, que fizeram um permuta com o Município e deram para uma associação que não cumpriu as clausulas de doação e o imóvel foi revertido para o Município, com autorização da Câmara. Lá está sendo feito vários projetos. A Defensoria Pública de Minas Gerais, que atende no Fórum, vai atender a comunidade a cada 15 dias. Lá será instalado um braço da Secretaria de Assistência Social do Bolsa Família. Quem precisar de uma assistência do Poder Público encontrará, evitando que as pessoas necessite vir à cidade. Num domingo de dezembro, vamos fazer um grande evento no Ginásio Coberto. As pessoas decantam que a gente vai fechar o ginásio. Nós prometemos é fizemos um Processo Seletivo para atender as pessoas que moram lá e possam prestar atendimento no PSF. Eu já pedi a diretora do SAAE que elabore um projeto de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) para o Distrito e a área inclusive já existe. Mas, o projeto que vamos realizar, podem ter a certeza que o material que será gasto não será duplicado. Não haverá duplicidade de itens. É um projeto que haverá transparência sem ninguém levar vantagens. Nós não vamos fazer do projeto da ETE do Quilombo e da futura ETE de Três Pontas, mais uma Petrobrás do Brasil.

Foi aprovado pela Câmara o projeto de lei que autoriza o Município a terminar as obras deixadas do mandato anterior. As obras já foram reiniciadas e já há um prazo de conclusão?

Estas obras foram paralisadas por iniciativa da Administração anterior, através de uma Tomada de Conta Especial. Foi levantado que houve um desviou de R$58 mil. E neste levantamento, foi citado pessoas da Administração passada. Estas providências serão tomadas pelos órgãos competentes. Nós tivemos autorização agora da Secretaria de Estado de Saúde para que pudéssemos continuar estas obras. A licitação foi realizada em meados de outubro, porém, somente uma das obras é que teve licitante. Mas, nós vamos tomar providências urgentes para que sejam concluídas as outras duas obras. Na descrição do edital teve empresas que não quis. Nós vamos reformular o edital para dar continuidade a estas obras e existem empresas interessadas. Quem parou as obras foi a Administração anterior e o dinheiro já estava em caixa. Isto ninguém pergunta e nenhum vereador fala na Câmara. Simplesmente falam que o atual prefeito parou as obras. Se havia dinheiro, porque eles não ‘tocaram’ as obras até onde o dinheiro desse? É uma questão a ser indagada à Câmara Municipal, ela é a fiscal e deveria levantar estes dados.  O dinheiro está ai e não foi desviado em momento algum nesta administração.

E o PSF do bairro Alcides Mesquita?

Já fizemos a licitação para equipá-lo. O procedimento já foi concluído e estamos apenas esperando o material chegar. Não adianta fazer obras, apenas o esqueleto da Unidade Básica de Saúde e preciso também ter o recurso para colocar em funcionamento. O governo não dá ou manda dinheiro para contratar pessoal.

Existem respostas então que precisam ser respondidas. Caso da perda dos recursos para a construção da ETE e da paralisação das obras dos postos de saúde. Quando você espera que os culpados sejam apontados?

No caso da ETE foi montada uma Comissão Especial na Câmara Municipal, aonde foi levantado dados por três vereadores que compuseram esta comissão. Este levantamento foi remetido ao Ministério Público, orgão que todo cidadão deve confiar, porque eles investigam, levantam e levam com probidade todos os fatos levantados. Nesta questão somente o Ministério Público dará a resposta. Eu não posso ficar acusando ninguém e seria uma leviandade ficar citando nomes ou divulgando os nomes apontados na Tomada de Contas Especial. A Tomada foi remetida ao Tribunal de Contas do Estado, que disse que não era competente e mandou remeter para a Secretaria de Saúde. As providências não cabem apenas ao prefeito e sim a todos os órgãos reguladores e fiscalizadores, a Câmara Municipal e o Ministério Público.

O senhor é um interessado em esclarecer de uma vez por todas estas questões polêmicas?

Eu tenho muito interesse que seja mostrado tudo para que o povo tenha conhecimento e fique sabendo, porque o dinheiro é da população. O povo tem o direito e o dever de saber de todas as decisões que são tomadas no âmbito municipal. Tenho certeza que o povo vai ficar sabendo de todos estes resultados.

A Administração continua cumprindo as metas e compromissos que vocês firmaram durante a campanha eleitoral?

Existem vários vereadores que até nas suas gavetas tem o nosso Plano de Governo e eu fico muito satisfeito. Porque esta é uma obrigação do vereador, ele é fiscal do povo. Poucos candidatos e prefeitos tiveram coragem de registrar o seu plano no Cartório Eleitoral. Eu e meu vice Érik registramos e vamos completar ainda dois anos de Administração. Já cumprimos das nossas metas – quase 70% na educação e 77% na saúde. Lógico que tem obras na saúde que só o dinheiro municipal não dá condição de serem feitas, sendo necessário o aporte dos governos estadual e federal e isto estamos buscando. Mas, o balanço que estamos fazendo é positivo. Tivemos a confiança do povo na Eleição e estamos respondendo com trabalho.

Considerações finais.

Quero dizer ao povo que estamos trabalhando e trabalhando muito, para gerar emprego para dar melhores condições ao cidadão. Quero pedir a compreensão de todas as pessoas, porque a situação que atravessamos no País é grave. Basta ligar a TV ou ler jornal ou internet e ver o que está acontecendo. Estamos numa crise grave. Os preços da gasolina e da energia elétrica já subiram, causando um grande impacto na economia. Isto vai refletir no nosso bolso e na geração de emprego. Diminuindo a geração de emprego, o poder aquisitivo também cairá e trará desemprego. Consequentemente todos os problemas vão bater a nossa porta, principalmente no do governo municipal.

“Tivemos a confiança do povo na Eleição e estamos respondendo com trabalho” – PAULO LUIS RABELO

 

COMPARTILHAR

Comentários