A epidemia de Dengue registrada em Três Pontas nos últimos dias, foi o principal assunto comentado pelos vereadores na sessão ordinária desta segunda-feira (30), durante o Pequeno Expediente.

A vereadora Valéria Evangelista Oliveira (PPS), repercutiu e fez agradecimentos sobre o lançamento do Parlamento Jovem (PJ), na Câmara Municipal de Três Pontas. Confiando que vai poder contar com a participação e apoio de todos para neste trabalho tão grandioso, na avaliação da secretária da Mesa e Presidente da Escola Legislativa “Professora Maria Rogéria Mesquita”. As reuniões serão as quartas-feiras às 17 horas, no Plenário Presidente Tancredo Neves.

Sempre muito gentil, Valerinha agradeceu a cobertura feita pelos veículos de comunicação, sites Equipe Positiva e Sintonize Aqui e Jornal Correio Trespontano. Estes órgãos segundo ela, produziram reportagens sendo fiéis ao objetivo desta conquista à comunidade.

O vereador Francisco Cougo, comentou sobre a viagem que fez junto com os colegas, Luis Carlos, Alessandra Sudério, Vitor Bárbara e Geraldo Messias. Lá, eles fizeram várias visitas a deputados e a ANATEL solicitando providências para que o bairro Eucalipto tenha sinal de telefonia celular de qualidade.

O vereador Professor Popó contou que ele e outros colegas estão sendo cobrados sobre providências que devem ser tomadas para se combater a Dengue. Lendo reportagem do jornal impresso da Equipe Positiva, ele registrou os 245 casos notificados na Cidade, mas que vê muitos terrenos, sujos que proprietários adquirem, aguardam valorizá-los para fazer investimento mas não os mantém limpos.

Conversando com colegas, está criando uma lei que tentar inibir o abandono destes espaços, multando os donos. A lei já foi redigida e deve ser protocolada por Popó nos próximos dias na Câmara, para ir a estudo nas Comissões Técnicas e posteriormente em votação.

O vereador Paulo Vitor da Silva (PP), também tocou no assunto que segundo ele, aflige a cidade que é a Dengue. Antes, eram 25 agentes de endemias, agora são 10, número insuficiente na opinião de Paulinho, já que quando era mais de 20 já era complicado o controle, ainda mais agora que por opção da Administração o número de profissionais diminuiu.

Já Geraldo Messias Cabral (PDT), explicou que há muita diferença entre os casos notificados e casos confirmados. A notificação são casos suspeitos e uma morte foi registrada na cidade. Nos últimos dias, o Pronto Atendimento Municipal (PAM) tem recebido diversos pacientes com suspeita da doença, mas só um exame feito em Belo Horizonte é que vai confirmar isto. “O poder público está fazendo sua parte. Sobre a questão do agente agora está de acordo com a lei”, opinou. A Secretaria de Obras está disponibilizando caçambas para a retirada de lixo do quintal de residências.

Sobre a dificuldade que o setor enfrenta, Geraldinho acrescentou que foi preciso uma decisão judicial para que os agentes de endemias consigam entrar em centenas de imóveis que ficam fechados ou que os moradores não permitem a entrada dos profissionais.

Sérgio Eugênio Silva (PPS), concorda com Popó que é preciso multar os donos de terrenos baldios que ficam abandonados, mas lembrou que isto já existe no Código de Postura.

COMPARTILHAR

Comentários