A sessão ordinária da Câmara Municipal desta segunda-feira (18), foi antecipada para as 18 horas. Apesar de ser uma decisão conjunta, encabeçada pelo presidente Luis Carlos da Silva (PPS), ela não agrada a todos, ainda mais quando o Grande Expediente é suprimido por causa do tempo.

Muito adepto a homenagens, Luisinho, propôs aos vereadores de Três Pontas homenagearem o 180º Grupo de Escoteiro Boa Vista, pelo Dia Mundial do Escoteiro, celebrado em 23 de abril de cada ano. A solenidade acontece em seguida a sessão de votação e começou atrasada, por conta das discussões dos representantes do povo.

O reconhecimento acontece como forma de incentivar a criação e a manutenção das atividades escoteiras na Cidade. Coincidentemente, a comemoração acontece três dias antes de completarem um ano de atividades, depois de reativado.

A cerimônia não foi demorada e presidida pelo vice presidente Geraldo Messias Cabral (PDT), por causa do afastamento por problema de saúde do presidente Luis Carlos. Dois vereadores não permaneceram. Edson Vitor do Nascimento (PSD), foi embora por ter agendado compromisso anteriormente e José Henrique Portugal (PMDB) que se recupera de uma cirurgia precisou deixar a Casa.

O diretor presidente Baeta e o presidente em exercício Geraldo Messias
O diretor presidente Baeta e o presidente em exercício Geraldo Messias

Os escoteiros de vários ramos marcaram presença e seguiram os rituais normais do movimento secular, que é a maior organização de jovens do mundo, com mais de 40 milhões de associados, mais de 80 mil no Brasil, mais de 7.000 em Minas Gerais e hoje em Três Pontas 178, que vive com base da lei e na promessa escoteira.

O diretor presidente do grupo João Paulo Resende Baeta, ocupou uma cadeira junto a Mesa Diretora da Câmara. De lá, ouviu o histórico do movimento que existiu em Três Pontas há 25 anos, na época o 59º Grupo Escoteiro Boa Vista, que com o fim da Usina Boa Vista foi desativado, por ser mantido pela fábrica.

Em agosto de 2014, começaram a se reunir alguns destes ex escoteiros, que interessados na ideia reativaram o movimento. Em março do ano passado, foi realizado o primeiro curso preliminar para Chefes Escoteiros, formando 18 Chefes, sendo então fundado o 180º Grupo Escoteiro Boa Vista, que teve as atividades iniciadas no dia 26 de abril de 2015, com suas tropas completas. Uma Alcatéia com 24 lobinhos de idade entre 6,5 anos e 10,5 anos, uma Tropa Escoteira com 32 escoteiros com idades entre 10,5 anos e 15 anos, uma Tropa Sênior com 24 seniores e Guias com idades entre 15 e 18 anos e um clã pioneiro com formado por 8 pessoas.

Apesar de apenas um ano que vai ser completado na próxima terça-feira (26), já foram feitas várias campanhas, acampamentos de tropa e grupos, participação em atividades distritais e regionais e cursos para a chefia se aprimorar em conhecimentos escoteiros. Para demonstrar como tudo é feito e que o investimento nestas crianças e jovens é a motivação destes chamados de “loucos”, um vídeo foi apresentado.

Após receber o quadro que registra este momento importante para os Escoteiros, o diretor presidente Baeta deu um testemunho de como o projeto é determinante nas escolhas da ida. Escolha que fez quando era lobinho no 47º Grupo Barão de Santa Cecília. Foi lá que despertou nele a vontade de servir, deixando de ser mero coadjuvante para ser protagonista. A missão é vista, as vezes, relata Baeta como loucura, por isto, os chefes são vistos como loucos, por deixarem o aconchego de seus lares nos finais de semana, para levarem os filhos de outras pessoas para se divertirem no meio do mato de graça, porém, não fazem de graça, eles pagam para fazer. As despesas são com alimentação e deslocamento para os acampamentos, por isto, precisam tirar dos próprios bolsos. A recompensa, é o olhar de cada jovem ao término de cada atividade e a certeza de que eles querem mais, reflete o diretor dos Escoteiros.

Ele aproveitou para fazer um pedido aos vereadores. Para as atividades eEscoteiros homenagem 4 encontros eles não possuem uma sede. A reunião acontece todos os sábados das 830 as 11 horas da manhã no Parque Multi Uso da Mina do Padre Vitor e não há lugar nem para guardar equipamentos e materiais de atividades. Por isto, o reconhecimento de Utilidade Pública Municipal para receberem verbas públicas, seria uma contribuição imemorável que depende dos vereadores.

Já há muitas histórias para serem contadas, principalmente aquelas que os chefes já perceberam que o objetivo está sendo alcançado. Pela primeira vez, eles participaram no último fim de semana, da Missa do Escoteiro em Aparecida (SP), que acontece todos os anos. Lá, os trespontanos puderam encontrar com mais de 2 mil escoteiros. Depois, a bagunça foi formada na praça pertinho da Catedral da Padroeira do Brasil. O dia foi indiscutivelmente uma “loucura”, relatou o Chefe Gustavo Trolez na entrega da homenagem.

Escoteiros homenagem 3

O MOVIMENTO ESCOTISMO

O Movimento Escoteiro, reunindo mais de 40 milhões de membros em todo o mundo, tem como propósito contribuir com a formação integral de crianças e jovens, auxiliando-os a desenvolver suas potencialidades físicas, intelectuais, sociais, afetivas e espirituais e do caráter, oferecendo-lhes um ambiente fraterno, onde a convivência é orientada por princípios claramente definidos, que resultem em pessoas felizes, dispostas a contribuir para a construção de um mundo melhor e exercer um papel ativo em suas comunidades.

A forma pela qual o Escotismo alcança seu propósito fundamenta-se em um Programa Educacional próprio, que utiliza a participação em atividades atraentes e variadas para, pela experiência pessoal vivenciada por cada criança ou jovem, favorecer a aquisição de valores que nortearão a conduta e as atitudes de cada um.

O Escotismo contribui para a formação de cidadãos responsáveis que compreendem a dimensão política da vida em sociedade e que desempenham um papel construtivo na comunidade.

Como movimento educativo, não se envolve nas disputas político-partidárias. Entretanto, os princípios em que se baseia o Movimento Escoteiro orientam as opções políticas pessoais dos seus membros, e a formação de cidadãos responsáveis, participantes e úteis em sua comunidade, que deles exige atenção à realidade política.

Os escoteiros, desde crianças, são incentivados a serem leais ao seu País e amarem sua terra natal, seu povo e sua cultura, em harmonia com a promoção da paz, sem hostilidades entre classes sociais ou entre nações. A fraternidade mundial é promovida entre os jovens e difunde-se a ideia de cooperação mundial entre países e organizações. Os Escoteiros do Brasil tem reconhecimento de Utilidade Pública Federal pelo Decreto n° 3.297 de 11/07/1917, reiterada pelo Decreto n° 5.497 de 23/07/1928 e como Instituição de Educação Extra-Escolar e Órgão Máximo do Escotismo Brasileiro pelo Decreto-Lei n° 8.828 de 24/01/1946.

O escotismo foi criado em 1907, pelo General Inglês, Lorde Robert Sthefenson Smith Baden Powell, a ideia escoteira chega ao Brasil em 1910, trazida por militares que tiveram conhecimento dos trabalhos feitos por Baden Powell, quando foram a Inglaterra para guarnecer os novos navios da esquadra brasileira, se espalhando no estado de Minas Gerais no ano de 1914.

COMPARTILHAR

Comentários