*O ex-prefeito Paulo Luis entrou com ação e juntou aos documentos, nota fiscal que comprovaria que o prefeito Luiz Roberto comprou jogo de camisa e doou para um time de futebol da cidade, durante o período eleitoral

O ex prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello (PPS), que disputou a reeleição no pleito de 2016 e foi derrotado, entrou na justiça com processo contra o médico Dr. Luiz Roberto Laurindo Dias (PSD), de ter comprado votos, doando uniformes personalizados, durante o período eleitoral.

A ação foi movida no dia 15 de dezembro de 2016. Nela, Paulo Luis afirma que no dia 08 de agosto do ano passado, Dr. Luiz Roberto adquiriu camisas, calções e meias para times de futebol, da empresa Sport Ação Indústria e Comércio de Artigos Esportivos Ltda, que fica em São Paulo, um uniforme completo no valor de R$1 mil e distribuiu a um time de futebol chamado “Guerreiras de TP”. Em fotos anexadas no processo ficou claro o nome da empresa Sportação estampado no uniforme, a mesma que emitiu a nota fiscal em nome de Luiz Roberto.

Uma das provas de que a compra teria sido feita pelo então candidato, é que a nota fiscal está em seu nome, com todos os seus dados pessoais, como documentos, endereço e valor pago pelo produto. Ao que tudo indica, seria Rondineri Chagas Lima, o popular Tita, a pessoa responsável por fazer a compra nesta empresa, bem como teria sido ele quem buscou a mercadoria para que Dr. Luiz Roberto fizesse a distribuição aos eleitores trespontanos.

O ex prefeito Paulo Luis entregou à Equipe Positiva, cópia da nota fiscal em nome de Luiz Roberto, que foi juntada aos autos 

Na página do facebook do time de futebol, foram feitas postagens que informa e agradecem pela doação. Em uma delas, pode-se identificar que há as iniciais L.R e D.A, que seriam de Luiz Roberto e o deputado federal Diego Andrade, seu principal apoiador político na campanha. O jornal Correio Trespontano edição do dia 10 de setembro de 2016, mostrou reportagem com depoimentos de uma das jogadoras, “Guerreiras de TP”, identificada como “Sussu”, e nele fica claro que o time de futebol feminino recebeu a doação de uniforme.

Testemunha confirma a doação em depoimento

Em Audiência realizada no dia 09 de fevereiro, no Fórum Dr. Carvalho de Mendonça, uma das testemunhas prestou depoimento. Tifany Helena da Silva afirmou que sempre ouviu comentário junto as outras jogadoras que o uniforme utilizado atualmente pelo time foi doado por Dr. Luiz Roberto. Em 15 de dezembro de 2016, ela assinou uma escritura declaratória em um Cartório de Notas e no dia seguinte foi procurada por duas mulheres. Uma seria jogadora do time, a outra funcionária de Dr. Luiz Roberto. Ambas levaram a testemunha até a residência do então prefeito eleito, que pediu que ela fizesse um boletim de ocorrência dizendo que a declaração anexada ao processo seria falsa e que após isto, ela poderia contar com ele no que precisasse. Tifany foi até a Delegacia de Policia Civil de Três Pontas e registrou o BO, acompanhada pelo advogado da campanha Dr. Otacílio Ferreira.

“Compra de votos causa disputa desleal”, afirma Paulo Luis

Após a realização do pleito eleitoral, Paulo Luis Rabello (foto) foi procurado por vários amigos informando que Rondineri o popular Tita, possuía uma nota fiscal em nome do candidato Luiz Roberto em que ele teria comprado uniformes esportivos e distribuído no período eleitoral a várias equipes. A nota fiscal seria da doação feita ao time feminino Guerreiras de Três Pontas. Uma das camisetas veio com o nome errado e uma empresa foi contratada pelo pai da jogadora para confeccionar uma nova camiseta.

Quando Paulo Luis soube que Tita seria o responsável pela compra dos uniformes em São Paulo (SP) e estaria divulgando isto pela cidade, ele foi buscando os fatos, para tentar provar que Luiz Roberto teria feito outras compras, porém, não conseguiu levantar as notas, como a que foi inserida nos autos. 

Além do depoimento da jogadora, foi juntado conversas que elas trocaram com amigos pelo wasthaspp confirmando a versão.

Na opinião do ex-prefeito, perder Eleição é coisa normal e quem entra na disputa precisa estar consciente que pode ganhar ou perder, porém, as regras do jogo precisam ser igualitárias. “O resultado foi forjado e o peso do dinheiro ditou o resultado, independente se compraram 10, 20 votos ou muitos outros, já que sabemos que muitas outras coisas foram distribuídas”, alertou Paulo Luis. Ele também avigorou que sempre tratou Eleição e Prefeitura dentro da legalidade e não há como levantar qualquer dúvida de seus votos, afirmando que perdeu de forma digna.

Ele retribui as ações que enfrentou no final de mandato quando o acusaram de comprar votos, ao implantar a internet Wi-fi na Praça Cônego Victor e Jardim das Esmeraldas e ao distribuir entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016, brinquedos às crianças das creches e escolas que foram doados pela Estrela. Mesmo sem a presença de eleitores, a oposição entrou na justiça que julgou todas improcedentes.

Ação pede a cassação de prefeito e vice

A ação pede a cassação do mandato de Dr. Luiz Roberto e seu vice Marcelo Chaves Garcia, considerando que “a normalidade do pleito eleitoral foi maculada, com a distribuição de brindes à população, com vistas a obter a simpatia e o voto dos eleitores e sagraram-se ao final do pleito vencedores justamente em função do abuso cometido”.

O caso está sendo investigado pelo juiz eleitoral da Comarca de Três Pontas Dr. Cristiano Araújo Simões Nunes. Após a Audiência, houve dois dias para cada parte se manifestar e nos próximos dias a decisão deverá ser publicada.

Dr. Luiz Roberto só irá se manifestar após decisão 

A Equipe Positiva entrou com o advogado de Dr. Luiz Roberto, Abrahão Elias Neto. Foi ele quem acompanhou o prefeito na audiência. O advogado pediu que falássemos com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura. Gilmar Souza nos respondeu que o prefeito só irá se manifestar após a decisão da Justiça Eleitoral.

* A Equipe Positiva continua a disposição para ouvir o prefeito Dr. Luiz Roberto 

COMPARTILHAR

Comentários