Denis Pereira – A Voz da Notícia 

A vida terminou de forma repentina para uma jovem de 21 anos de Três Pontas. Ariliana Caroline Bento cursava Tecnologia em Alimentos no Instituto Federal de Machado e, como fazia todo fim de semana veio ver a família. Mau sabia que este seria o último domingo que passava ao lado das duas irmãs, do irmão e dos pais Hércio e Lurdes, que moram no bairro João Piedade Campos.

Ariliana morreu por volta das 19 horas no Centro de Terapia Intensiva (CTI) e sua morte será investigada pelo setor de saúde.

A irmã Ariana Bento contou à Equipe Positiva que a jovem começou a passar mal durante a madrugada desta segunda-feira, sentindo dores no corpo. De manhã, quando acordou, tudo doía, ninguém e podia encostar se nela.

Ariliana foi ao médico na Policlínica, tomou soro, fez exame de sangue já que havia a suspeita de Dengue por conta dos sintomas, voltou para casa e foi orientada se fosse preciso era para procurar atendimento no Pronto Atendimento Municipal (PAM). Ela voltaria a unidade de saúde para um novo exame dentro de 7 dias.

A dor continuou e por volta das 15 horas, Ariliana teve que procurar novo atendimento. Ela deu entrada no Pronto Socorro as 15:09 e foi atendida pelo Dr. Milton Paiva de Lima. Ela estava com 38 graus de febre e com dificuldade respiratória. Apesar de estar conversando e andando normalmente, Ariliana nem passou pela triagem que é feita com todos os pacientes no Protocolo de Manchester e foi direto para o consultório. Ela disse ao médico que vomitava e estava com diarréia. Ainda no PAM, foram solicitados vários exames laboratoriais.

ArilianaImediatamente a jovem foi encaminhada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) e ficou em uma sala isolada dos demais pacientes. Lá, ela foi recebida pelo Dr. José Flávio Oliveira, que constatou que Ariliana teve febre hemorrágica que pode ter sido causada por inúmeras razões. Ela não resistiu e morreu por volta das 19 horas.

De acordo com o médico, a evolução do quadro foi muito rápida e os exames indicaram apenas uma anemia. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Varginha, que vai determinar a causa morte.

A estudante vivia uma vida normal, não reclamava nenhuma dor ou cansaço, não tinha nenhum problema de saúde, absolutamente nada. Para a família, segundo Ariana, a irmã deve ser mais uma vítima da Dengue, de um caso ainda mais grave, o hemorrágico. “Se ela teve Dengue, ela foi picada pelo mosquito em Machado onde estudava e se preparava para a formatura no ano que vem. Tanto que ela já estava escolhendo o vestido”, conta.

Ariliana Bento era tão querida e sua morte pegou família e amigos tanto de surpresa que muitas pessoas foram para a porta do PAM saber notícias da jovem. Na página dela no facebook amigos lamentam a morte da moça.

DESTAQUE

A SUSPEITA

Entenda a Dengue Hemorrágica

A dengue hemorrágica ou febre hemorrágica da dengue é uma reação forte do organismo ao vírus da dengue, levando à hemorragia. Em geral ela ocorre quando a mesma pessoa tem dengue pela 2ª vez. A hemorragia pode começar no 3º ou 4º dia após o aparecimento da dor no fundo dos olhos, febre e dor pelo corpo, que são os sintomas da dengue clássica.

A dengue hemorrágica tem cura e o seu tratamento envolve principalmente o controle da hidratação seja em ambiente domiciliar, seja em ambiente hospitalar.

O tratamento hospitalar é eficiente e por isso em caso de suspeita, durante uma epidemia, é importante ir ao hospital. A diferença entre a dengue hemorrágica e a dengue clássica é que a dengue hemorrágica é mais grave e pode matar.

Sintomas da dengue hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica são inicialmente os mesmos da dengue comum: dor de cabeça, dor no fundo dos olhos, cansaço, moleza e febre, mas, após cerca de 3 dias, o indivíduo pode começar a apresentar sinais de hemorragia interna, tais como:

  • Vômitos persistentes
  • Dor abdominal forte, que não passa
  • Pele fria e úmida
  • Sonolência, agitação e/ou confusão mental
  • Boca seca
  • Muita sede
  • Olhos vermelhos
  • Palidez
  • Dificuldade para respirar
  • Pintinhas vermelhas na pele
  • Pulso fraco e rápido
  • Sangramento da gengiva, boca, nariz, ouvidos ou intestinos
COMPARTILHAR

Comentários