Rapaz atropelou, fugiu sem prestar socorro e foi preso fazendo sexo. Julgamento foi adiado por falta de advogado do acusado

Foi adiado o Juri Popular de Mauro Vitor Carolino de 43 anos, que é acusado de atropelar e matar a jovem Jaqueline Moreira de Oliveira de 19 anos, em julho de 2015. O julgamento estava marcado para as 8:30 desta quinta-feira (04) e estava tudo pronto no Salão do Juri. Neste horário, o juiz criminal Dr. Cristiano Araújo Simões Nunes ao lado do promotor de Justiça Dr. Estevan Sartorato na mesa que preside os trabalhos, informou às testemunhas, jurados e familiares que o advogado de defesa do acusado, Dr. Isac Hallyson havia desistido do caso no dia anterior. Por este motivo, o julgamento estaria sendo cancelado.

Ele contou que o advogado havia informado que não havia confiança mais entre as partes. Mauro Carolino pode optar por contratar um outro advogado para defendê-lo ou escolher pela Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais. Não há previsão de quando um novo juri será marcado.

O acusado conversou com Dr. Cristiano no Salão do Juri
O acusado conversou com Dr. Cristiano no Salão do Juri

Na primeira fileira de cadeiras do Salão estava o pai da jovem Jaqueline. Seu José Aparecido de Oliveira de 61 anos lamentou o adiamento da sessão, mas disse que espera que a justiça seja feita. Os familiares vestiam camisetas com a foto da moça.

Familiares da jovem se acomodaram para acompanhar julgamento que foi adiado
Familiares da jovem se acomodaram para acompanhar julgamento que foi adiado

RELEMBRE O CASO

Jaqueline trabalhava de vendedora
Jaqueline trabalhava de vendedora

Jaqueline Moreira de Oliveira trabalhava como vendedora no Centro de Três Pontas e morreu no início da noite, quando voltava para casa, no dia 15 de julho de 2015. Ela estava com uma amiga, quando foi atropelada na Rua Espírito Santo e seguia sentido ao Estádio Municipal José Comuniem. Com o impacto da batida, ela foi lançada contra uma árvore, caiu e morreu na hora. O motorista era Mauro Carolino, que fugiu do local em alta velocidade, sem prestar socorro. Na fuga ainda atropelou um motociclista na mesma rua.

Com algumas informações que a Polícia Militar recebeu de testemunhas, foi possível identificar o carro e o suspeito. Pouco tempo depois que as viaturas iniciaram as buscas, Mauro foi encontrado nu dentro do Vectra que atropelou a moça, mantendo relações sexuais com uma mulher que estaria com ele na hora do atropelamento, próximo do Centro de Eventos Wagner Tiso.

Mauro Carolino no dia que foi preso (foto Arquivo EP)
Mauro Carolino no dia que foi preso (foto Arquivo EP)

No Quartel da PM, o rapaz se manteve tranquilo. Reclamou diversas vezes que o povo em Três Pontas tem o hábito de andar no meio da rua e não demonstrou arrependimento. Ele foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Civil de Varginha e depois transferido para o Presídio de Três Pontas, onde aguarda julgamento.

Mauro Vitor Carolino estava com 43 anos e já esteve preso durante 17 anos, sendo 10 em Belo Horizonte e 7anos em Três Pontas. Ele cumpria pena por latrocínio e estava no regime semi aberto, há um ano e meio, quando foi preso pela última vez.

SAMU chegou no local mais a jovem já estava morta
SAMU chegou no local mais a jovem já estava morta
COMPARTILHAR

Comentários