Uma operação desencadeada pela Polícia Militar na tarde deste domingo (28), repercutiu imediatamente de forma positiva, entre os moradores do Distrito do Quilombo Nossa Senhora do Rosário, em Três Pontas.

A ação policial teve dois objetivos, como anunciou o sub comandante da 151ª Companhia de Polícia Militar Tenente Sanges Guimarães, que comandou a operação. Primeiro, garantir a tranquilidade na Comunidade, já que houve solicitações dos próprios moradores que reclamaram das presenças constantes de pessoas que provocam a desordem, utilizando motocicletas. Segundo, é que a incidência de furtos e roubos na zona rural aumentou.

06
Homens que estavam em bar foram surpreendidos com a chegada da PM

As equipes chegaram em um horário de pico, por volta das 16 horas, quando muita gente estava nos bares e no campo de futebol. Em poucos minutos, estrategicamente as equipes se espalharam pelas ruas. Os moradores saíram de casa e foram às ruas acompanhar o trabalho dos militares. A ação contou com a participação de 17 policiais, inclusive com o Canil do 24º Batalhão de PM de Varginha.

13

Durante cerca de 2 horas, eles ocuparam o Distrito e o resultado foi cerca de 30 pessoas abordadas, 15 veículos fiscalizados, um deles ficou retido para regularização, três motocicletas foram apreendidas por falta de documentação e ou por estarem sem lacre das placas, cinco autuações aplicadas, sete multadas emitidas, e cinco ocorrências registradas. De acordo com o Tenente Guimarães, apesar da Operação ser voltada ao trânsito, ela coíbe o uso de motos que foram furtadas/roubadas. São veículos assim que são utilizados em outros crimes, pois dificulta a identificação e consequentemente gera intranquilidade.

Nem todos usam para o mal, mas é preciso alertar que quem adquire uma moto ou um carro de forma irregular, além de cometer um crime, está alimentando todo um sistema criminoso. “Se há um índice grande de furto de veículos, é porque há uma demanda de pessoas que querem comprar. A recomendação é que a pessoa saiba a procedência do veículo, veja se o preço está dentro da realidade, faça uma pesquisa, exija recibo e documentação antes de fechar o negócio”, recomenda.

Tenente Guimarães já adiantou que as operações vão continuar, até devolver a tranquilidade da Comunidade.

(Veja as imagens exclusivas da Equipe Positiva)

COMPARTILHAR

Comentários