*Primeira parcela do 13º salário foi quitada em julho, com todos os servidores

O prefeito de Três Pontas Paulo Luis Rabello (PPS), anunciou nesta quarta-feira (02), com exclusividade à Equipe Positiva, que a Prefeitura irá pagar até daqui a 10 dias (12 dezembro), a segunda e última parcela do 13º salário de todos os servidores municipais. Para isto, o Município irá investir R$ 1,5 milhão.

A informação da Secretaria Municipal de Fazenda é que o prefeito também determinou o pagamento do mês de dezembro até o Natal e o investimento para o último compromisso do mês está orçado em cerca de R$3,5 milhões.

Três Pontas foge a regra

A notícia foge a regra do que está acontecendo nas prefeituras de várias regiões de Minas Gerais, inclusive do sul. A situação vivida em outros municípios é de greve, pagamento escalonado e em alguns não há nem mesmo previsão de quando aconteça, em 2016.

De acordo com o prefeito Paulo Luis, é preciso sacrífico e colaboração dos próprios servidores para manter em dia o pagamento dos salários, encargos com o INSS, IPREV, 13º salário, incluindo o pagamento de férias prêmios, tudo que é obrigação de ser quitado, mas que no passado que está ainda vivo na memória dos profissionais, não foram cumpridos. Para o gestor, honrar os compromissos com os funcionários que são fundamentais para a gestão do Município é prioridade. Para manter a “casa” em ordem, várias leis tiveram que ser feitas ou alteradas, ajustando as contas da Prefeitura.

Paulo LuisAlém dos servidores, de acordo com Paulo Luis, fornecedores também tem recebido em dia. Quando perguntamos se algumas medidas drásticas foram tomadas para ocasionar neste equilíbrio financeiro, Paulo Luis responde que isto depende de coragem para tomar decisões “e isto não falta na atual gestão de Três Pontas”.

Dificuldades extremas

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Mineira de Municípios (AMM), cerca de 300 cidades (35%) das 853 cidades do estado, não possuem orçamento suficiente para pagar o benefício. Além disso, 43,9% dos municípios pesquisados afirmaram estar com dificuldades para quitar a folha de pagamento e o 13º.

Apesar dos cortes dos gastos, cancelamento de obras e demissões, os administradores ainda não conseguiram a verba necessária para quitar o benefício e afirmam que a principal razão para o atraso é a queda nos repasses federais e estaduais, principalmente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Segundo a AMM, 76% das prefeituras pretendem realizar o pagamento do 13º salário em uma única parcela, no mês de dezembro, e 23% daquelas que ainda não quitaram a primeira parcela, pretendem fazê-lo ainda em novembro. A pesquisa da AMM foi realizada entre os dias 29 de outubro e 12 de novembro, sendo que, dos 853 municípios de Minas Gerais, apenas 250 responderam ao questionário eletrônico.

COMPARTILHAR

Comentários