O 7º Simpósio de mecanização da lavoura cafeeira abriu nesta terça-feira (07), a programação técnica da Expocafé 2016. O evento mostrou o passo a passo da utilização da tecnologia como solução para o produtor. Segundo o coordenador do Simpósio, Fábio Moreira da Silva, a cafeicultura de precisão, que compreende as gestões de mecanização e do manejo da lavoura, pode ser empregada com sucesso, assim como acontece com outras culturas, desde que empregada de forma eficiente. “Os cafeicultores precisam conhecer a tecnologia e adequá-la a cada realidade. A tecnologia significa redução de custo, menor impacto ambiental e maior eficiência operacional das máquinas”, ressalta.

Cerca de 200 produtores, estudantes e pesquisadores participaram da programação. A abertura contou com o diretor de Operações Técnicas da EPAMIG, Trazilbo José de Paula Júnior, e de representantes da UFLA e da Cocatrel. O pesquisador da EPAMIG, Gladyston Rodrigues Carvalho, apresentou o potencial produtivo das quatro novas cultivares de café desenvolvidas pela empresa e o desempenho nas diferentes regiões de Minas Gerais. “Detectamos que as cultivares desenvolvidas pela EPAMIG têm potencial de bebida maior que as tradicionais. Então, estamos mudando um padrão de bebida e agregando valor à venda” disse, destacando que esse trabalho de melhoramento genético tem como base o banco de germoplasma da EPAMIG, que dispõe de 1.576 materias de café.

Entre os temas apresentados, o destaque foi a palestra do produtor Luiz Fernando Ribeiro de Lima. Em sua propriedade, em Areado (Sul de Minas), ele empregou o manejo da brachiária, com cultivo intercalado ao café, obtendo resultados satisfatórios em qualidade e produtividade. “Entre as vantagens, a brachiária protege o cafeeiro da insolação e da perda de água, evita a erosão do solo e, por ter fácil decomposição, promove o acúmulo de biomassa nos pés do cafeeiro, que alimentam as plantas”.

O maior evento nacional do agronegócio café, a Expocafé 2016 será aberta à visitação nesta quarta-feira. O evento que acontece no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) em Três Pontas vai reunir 155 empresas que apresentarão novidades em diversos segmentos da cadeia produtiva: máquinas, insumos, implementos agrícolas, software, irrigação, importadora, linhas de financiamento, seguros, terraplanagem, treinamento e cosméticos.

Estrutura está pronta para receber visitantes. Expectativa é que 20 mil pessoas visite a Expocafé
Estrutura está pronta para receber visitantes. Expectativa é que 20 mil pessoas visite a Expocafé

No estande da EPAMIG os visitantes, além experimentar café de diferentes cultivares desenvolvidas pela empresa, poderão conhecer técnicas para o cultivo de hortaliças não convencionais. No estande da Emater-MG os visitantes poderão conhecer três alternativas diferentes de terreiros para secagem de café, telhado ecológico, fossa ecológico, cercas feitas de pneus, clareador de água e sistema de iluminação com garrafas pets.

A exposição ficará aberta ao público de 8 a 10 de junho, de 8h às 18 horas.

COMPARTILHAR

Comentários