Maior evento do agronegócio café no país recebeu 28 mil pessoas em três dias

Maior evento do agronegócio café no Brasil, a Expocafé completou sua maioridade em 2015 com motivos de sobra para comemorar. O evento, que movimentou a cidade sul-mineira de Três Pontas esta semana, chegou ao fim hoje, dia 3, com saldo de negócios gerados e prospectados de R$ 230 milhões, número 15% maior que os R$ 200 milhões registrados no ano passado. O número de expositores, 150 em 12 mil metros quadrados de área comercializada, foi recorde. E 28 mil visitantes passaram pelo Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – EPAMIG – nos três dias de feira, 6 mil a mais que na última edição, em 2014.

“Só temos o que celebrar ao final deste evento. Mesmo em um ano de dificuldades macroeconômicas, expositores e produtores de café estiveram mais uma vez conosco e os números comprovam o sucesso desta 18ª edição da Expocafé”, disse o diretor-presidente da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), Francisco Miranda de Figueiredo Filho. A programação da Expocafé 2015 reuniu feira com exposição de máquinas, implementos e acessórios; dinâmicas de campo; e uma série de cursos e palestras gratuitos. Tudo com o objetivo de oferecer aos produtores de café de todo o país e também do exterior o que há de melhor em tecnologias e técnicas para melhoria da produtividade das lavouras.

Em sua primeira participação como expositora, a empresa Nutrion Gesso Agrícola se surpreendeu com o resultado. O gesso agrícola, produto com 10 anos de mercado e que é útil para as lavouras especialmente em tempos de estiagem, fez sucesso entre os produtores de café. No estande da marca, um consultor especializado em manejo de solo prestava todas as informações e tirava as dúvidas dos interessados. “Foi uma experiência que superou nossas expectativas pela possibilidade que nos deu de estarmos frente a frente com o nicho do café, que é nosso principal mercado de Minas Gerais. Com certeza estaremos de volta em 2016” disse Narayma Saquy, gerente de Marketing da Nutrion. Segundo ela, durante a feira a empresa concluiu que há mercado para um nicho que vinha pesquisando, o de venda do gesso agrícola em bags para os pequenos produtores de café. “Nas conversas aqui com os produtores tivemos certeza que podemos lançar”, afirmou.

Outro expositor que vai embora satisfeito é a Stihl. Segundo a analista de Marketing Camila Thormann, as demonstrações das máquinas feitas no estande chamaram atenção dos visitantes. “O saldo do contato com o produtor é positivo. As pessoas se mostraram interessadas nas informações e lançamentos que trouxemos para a feira”, disse.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A Expocafé é realizada pela Cocatrel, EPAMIG e Universidade Federal de Lavras (Ufla), com apoio da Prefeitura Municipal de Três Pontas. A promoção é da Café Editora, empresa com mais de 10 anos de atuação e especializada no mercado de cafés. O objetivo dos organizadores é contribuir para a promoção da melhoria de renda e da qualidade de vida do produtor rural, a geração de empregos e a fixação do homem no campo.

Tecnologias para a cafeicultura

Responsável pela coordenação técnica da Expocafé, a EPAMIG apresentou a cultivar Aranãs, que é resistente à ferrugem, com potencial para produção de bebida de qualidade. Esta que é a 15ª cultivar registrada pelo Programa de Melhoramento Genético de Café da EPAMIG, juntamente com outras instituições que integram o Consórcio Pesquisa Café, tem se destacado pela alta produtividade e adaptabilidade em diferentes regiões como Vale do Jequitinhonha e Sul de Minas.

Nas dinâmicas de campo, os visitantes da Expocafé conheceram em 17 estações o funcionamento de máquinas e equipamentos para a cultura. Uma das novidades foi uma podadeira lateral e de topo da GTM do Brasil, que pode ser adaptada em tratores pequenos. A máquina, que tem duas serras de 650 mm, consegue rendimento médio de sete hectares por dia, em 10 horas e pode substituir cerca de 100 homens por dia. Outra novidade foi o pulverizador costal elétrico da Jacto, com programação para misturar os produtos para pulverização foliar, herbicida e fungicida, em cinco níveis de pressão. O equipamento pode ser regulado em cinco níveis de pressão e a bateria dura entre quatro e oito horas com o gatilho acionado.

Pela primeira vez, a EPAMIG promoveu cursos de degustação e avaliação de cafés especiais, vinhos e azeites. Os participantes da feira conheceram mais sobre processamento de café de qualidade, características agronômicas, químicas e sensoriais de vinho e azeite, com degustação de produtos desenvolvidos com tecnologia da EPAMIG.

De acordo com a coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia da EPAMIG Sul de Minas, Vanda Cornélio, a Expocafé é uma oportunidade de a Empresa aproximar as tecnologias de cultivo aos cafeicultores de pequeno a grande porte e consumidor final. “O papel da transferência é potencializar a aplicação das novas tecnologias, considerando as realidades do cafeicultor e do mercado”. (Fonte ASCOM EPAMIG)

COMPARTILHAR

Comentários