A partir desta segunda-feira (03), é que oficialmente o Município de Três Pontas entra em Situação de Emergência decretada pelo prefeito Paulo Luis Rabello (PPS). O documento atestando a situação foi assinado no dia 17 de outubro, em uma entrevista coletiva. A partir desta data, a população entrou em alerta e, diante da divulgação de que um possível racionamento não está descartado, se não houver economia, é que o assunto é um dos mais comentados nas redes sociais. Fotos de pessoas desperdiçando ou gastando água de forma desnecessária ganhou as páginas do Facebook. A Situação de Emergência é válida por 60 dias, mas pode ser prorrogada. A estiagem já dura dias e a pouca chuva que caiu é insignificante diante da maior estiagem da história.

Os baixos níveis de vazão do Córrego Custodinho e do Sistema de Sete Cachoeiras, preocupam o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), que iniciou uma grande campanha de conscientização, para o uso racional de água. O Decreto, tem o intuito de evitar o racionamento de água, mas já aplica sanções para quem gastar além do que vinha gastando.

A cidade é abastecida pelos ribeirões Sete Cachoeiras, Custodinho, Formiga e Quatis. O Custodinho quando cai a vazão, o que tem acontecido com freqüência, só fica uma bomba ligada, fazendo a adução dos Quatis e Formiga, para segurar a defasagem. As bombas estão trabalhando 24 horas por dia, no máximo de sua capacidade, principalmente o sistema Sete Cachoeiras.

Durante o período de vigência do Estado de Emergência, está proibido, lavar calçadas, veículos, frente de imóveis ou vias públicas, abastecimento de piscinas ou outras medidas que caracterize desperdício. Para quem desobedecer e for denunciado ao SAAE, pagará multa no valor de R$90,53. O valor é dobrado em caso de reincidência e pode chegar até a suspensão do fornecimento, após a terceira vez.  O SAAE já está fazendo um levantamento do consumo médio de todas as unidades consumidoras, dos últimos seis meses e sendo detectado que houve um aumento, sanções estão previstas, incluindo também a multa.

A denúncia precisa ser formalizada através do 0800 035 2444, ou do site www.saaetpo.mg.gov.br/atendimento e, não pode ser no anonimato. O Ministério Público também será comunicado já que o desperdício é crime ambiental. As medidas só não se aplicam às casas de saúde, hospitais e órgãos que prestem serviços públicos essenciais e construções e ou reformas de imóveis, desde que promovam o uso racional da água.

Cada trespontano consome uma média 200 litros de água por dia,quando o ideal seria pelo menos 150 litros e, em tempos de economia extrema, o recomendado é reduzir para 110 litros.

Nas comunidades rurais nascentes estão secando e deixando famílias sem água. Locais que havia água com fartura vivem outra realidade, diante de uma estiagem que não parece ter fim. A seca atinge produções e plantações. O socorro foi a construção de poços artesianos e cisternas, para tentar amenizar o problema. (Foto: Cedida pelo SAAE – tirada no dia 10 de outubro as 15:00 no Córrego Custodinho)

COMPARTILHAR

Comentários