Um helicóptero caiu na represa de Furnas, próximo a Fama, por volta de 12h deste sábado (20).  Segundo o cabo Carlos Teodoro, da Polícia Militar de Alfenas (MG), três pessoas estavam na aeronave, o piloto, o sargento da PM de Fama Marcos Antônio Alves e a mulher dele, cuja identidade ainda não foi confirmada. O piloto do helicóptero foi resgatado com vida por pescadores que estavam no lago. Ele já foi levado para um hospital em Elói Mendes . O casal não conseguiu sair da aeronave, que ficou submersa no lago. Dois mergulhadores do Corpo de Bombeiros trabalham no resgate.

A comerciante Rita Maria da Silva, que tem um bar em frente ao lago, viu o momento em que a aeronave caiu. “O helicóptero levantou voo aqui perto, saiu de costas, fez a manobra para a esquerda, e quando foi virar para a direita ele ficou ‘de bico’ para o lago. Quando as hélices encostaram na água, o piloto perdeu o controle e ele caiu no lago”, relatou. Segundo ela, o piloto já havia feito dois voos e no terceiro, perdeu o controle e caiu.

Segundo as primeiras informações apuradas pelo G1, o helicóptero estaria fazendo voos panorâmicos na cidade, onde acontece uma festa de peão neste fim de semana. No entanto, o serviço não foi contratado pelos organizadores do evento.

A Polícia Militar de Elói Mendes disse que o piloto da aeronave se apresentou na delegacia da cidade contando sobre o acidente e pedindo ajuda para chegar até um hospital. Ele permanece internado sob escolta da polícia no Hospital de Elói Mendes.

Foto tirada no Campo da Vila Formosa em Alfenas. A mesma aeronave esteve mês passado na cidade
Foto tirada no Campo da Vila Formosa em Alfenas. A mesma aeronave esteve mês passado na cidade

 

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou que o modelo do helicóptero que caiu no Lago de Furnas é um Robson 44 com capacidade para três passageiros e tripulação. A aeronave possuía certificado de aeronavegabilidade válido até 2018 e inspeção anual de manutenção também dentro da validade. Ainda segundo a Anac, o helicóptero pertence a uma instituição financeira privada e é operado por uma siderúrgica. O motivo pelo qual o aparelho fazia os voos panorâmicos em Fama ainda não foi esclarecido.

Helicoptero 1

Fonte: G1 Sul de Minas

COMPARTILHAR

Comentários