Emmerson Nogueira e Gleison Túlio passaram o som durante a tarde

O Clube de Campo Catumbi (CCC), recebe na noite deste sábado (21), a 19ª edição da Festa do Empresariado de Três Pontas. Uma festa de muito charme, luxo, estilo, elegância e gente bonita. Ela promove uma confraternização entre comerciantes e empresários, celebrando o ano que está perto do fim e renova as expectativas para o novo ciclo, prestes a ser iniciado.

As atrações musicais são sempre um ponto favorável para levar o público e como em 2013, Emmerson Nogueira será a atração principal e mais Gleison Túlio.

Todos os anos, empresa e empresários são homenageados e recebem títulos após passarem por uma criteriosa avaliação.

Luciano, Lidiane e Denize são os sócios proprietários da Vimi Cafeteria, homenageados como Empresa Revelação do Ano 2017

Em 2017, a Vimi Cafeteria e o Café Confiança que pertencem ao mesmo grupo serão agraciados com o Título Empresa Revelação. Já o Mérito Empresarial será entregue a Marcos José Lucas, do Grupo CP Agrícola.

A Vimi Café Gourmet é uma cafeteria e também uma micro torrefação de cafés especiais, que tem como foco os cafés especiais, regionais, de origem e sempre com uma história por trás.

O trespontano Luciano Vitor de Faria, foi provador e degustador de café durante 16 anos, em uma cooperativa. Foi lá que nasceu o desejo de montar uma cafeteria, com produto de qualidade, mostrando à população e aos visitantes porque carregamos o título de Capital Mundial do Café. “Faltava servir realmente um produto de qualidade”.

Luciano não entrou sozinho, montou sociedade com a esposa Lidiane Maria de Moura e da sogra Denize Júlia de Faria. Eles entraram de cara no mundo de cafés de qualidade e em novembro de 2015, começaram a planejar a Vimi Café. Em 18 de maio de 2016 eles abriram as portas e realizaram o sonho. “Graças a Vimi os trespontanos estão aprendendo a tomar café especial”.

Lidiane Faria explica que o mercado de café está em ascenção e o crescimento está em média 13% ao ano e a tendência é de aumento. O café servido aqui é produzido em Três Pontas e na região do Sul de Minas. O retorno tem sido positivo. Quem vista o estabelecimento diz que agora tem onde tomar um bom café, em um ambiente próprio.

E não foi por acaso que a cafeteria se chama Vimi. Há um misto de emoção que representa a família na escolha do nome do estabelecimento. Lidiane teve a ideia de juntar as iniciais do filho do casal – Vitor Miguel. Foi uma forma de homenageá-lo.

O menino nasceu prematuro, pesando 1,015g, medindo 33 cm e ficou 53 dias na UTI neonatal. Dia após dia dava testemunho de sua bravura e força para viver. Lutava por cada grama que ganhava, pelo ar que respirava, pelas gotas de leite que recebia. Os primeiros anos de vida ainda foram delicados, algumas complicações apareceram, mas ele saiu vitorioso de cada uma. E sabemos que seguirá vencendo todas as outras que possam surgir, porque é um garotinho cheio de vida, amor, alegria e força.

Com menos de dois anos de funcionamento, foram eleitos no começo do ano pela Revista Espresso, “Cafeteria Revelação do Brasil”, que elege anualmente 12 empresas do setor e está no Guia de Cafeterias do país.

A sócia proprietária Denize Faria diz estar extremamente feliz por ter este reconhecimento na sua cidade e vê o quanto estão mexendo com as pessoas. A aprovação foi tamanha que muitos clientes falam porque eles não ampliam às outras cidades, o que provoca uma satisfação ainda maior. Luciano de Faria concorda e fala em gratidão, divide o sucesso a equipe de colaboradores e aos clientes. “A gente não esperava que fosse tão rápido, mas há muita coisa ainda a ser feita”.

Lidiane Faria diz que se sente orgulha por propagar sua marca com um grão tão especial, que vai além do que produzir um bom café. Diz que eles precisam melhorar ainda mais, mas o Prêmio Revelação demonstra que estão no caminho certo.

O Empresário do Ano escolhido foi Marcos José Lucas proprietário da empresa CP Agrícolas. Ele não quis divulgar detalhes da empresa e sua biografia.

Festa lança marca de cerveja “Trespontana”

Turma da Cervejaria Trespontana. Cervejas já estão no mercado, mas serão lançadas hoje

Amigos que se juntavam sempre para andar de bike, encerravam sempre os passeios tomando cerveja. Eles são profissionais de setores distintos e perfis diferentes quiseram primeiro produz a cerveja que eles bebiam e depois entraram e investiram na bebida artesanal.

Alessandro Miari, Gleison Mendonça, Wilson Roberto “Ratinho” e Thiago Miranda se uniram em sociedade e abriram a Cervejaria Trespontana. A marca será lançada durante a Festa do Empresariado na noite deste sábado (21).

Começaram assim: alugaram uma casa e chamaram alguns amigos para experimentar as receitas. Foram muitos testes até chegar as receitas ideais. O tempo foi passando e das rodas de amigos foram surgindo demandas pelas cervejas. Foi quando eles entenderam que enquanto “homebrews”, esles não conseguiriam produzir com padrão e nem em grande escala. Foi ai que veio a ideia da “Cervejaria Cigana”, que nada mais é que alugar um espaço em uma cervejaria artesanal já existente para que esta cervejaria faça todo o processo de produção e embalagem das cervejas. Depois de muita busca, a cervejaria escolhida foi a “Fürst”, de Formiga (MG).

A Cervejaria Trespontana tem três rótulos sendo comercializados. A cerveja Pilsen, que tem o nome de Três Pontas” e é a mais comum para o gosto dos brasileiros, menos amarga e puro malte. A do tipo IPA (Indian Pale Ale Americana), mas amarga, lupulada, com notas cítricas, chamada de “Hamsa Hop” e a Weis beer, de trigo, chamada de “Rivotrigo”, que é um estilo de cerveja alemã que tem caído muito do gosto dos brasileiros.

Para entender estes estilos de cerveja, o mais estudioso deles, o Alessandro Miari, explica um pouco sobre os pontos básicos da fabricação dessa paixão nacional. “Tem dois estilos básicos na família das cervejas. Tem o estilo lager e as ale. O que difere os dois é o processo de fermentação. Basicamente a cerveja é composta por malte, lúpulo, água e levedura. As diferenciações entre umas e outras são as torras, a fermentação, etc … O lúpulo é responsável pela parte aromática e é o que  também difere o amargor e a citricidade entre elas. Não pode esquecer de mencionar que a qualidade da água é muito importante, não pode ter cloro de jeito nenhum. A água tem que ter o ph correto e deve estar diariamente do mesmo jeito.

No rótulo das três cervejas constam a temperatura idela que cada uma deve ser consumida, já que isso é um diferencial entre os estilos, o tipo de copo em que elas devem ser degustadas e o teor de amargor de cada uma delas, chamado de IBU, que varia numa escala de 1 a 100. Para se ter uma ideia, o IBU da Pilsen “Três Pontas” é de 13, enquanto o da IPA, “Hamsa Hop” é de 65.

Hoje eles produziram e venderam cerca de 1.5 mil litros de cerveja e quando atingirem os 5 mil litros, os empresários abrirão a cervejaria própria deles. Eles acreditam que em cinco anos eles conseguirão atingir a meta que é abrir um brew pub, com uma microcervejaria aqui em Três Pontas.

A Revista Prado está lançando mais uma edição e completando dois anos de circulação. A Prado tem edição bimestral e destaca nesta edição na matéria de capa a Cervejaria Trespontana. A revista é do colunista social Paulo “Tigrão” Prado.

COMPARTILHAR

Comentários